Unidade Vila Mariana (11) 2275-2516/2276-2835

Unidade Moema (11) 2738-1700/2738-1900

Blog

Sorrir

É bem provável que você já tenha ouvido falar que “sorrir é o melhor remédio”. O que talvez você não saiba é que, de fato, essa afirmação é uma verdade e sorrir faz bem para saúde comprovadamente.

Diversos estudos pelo mundo têm associado o sorriso a alguns benefícios para o nosso corpo e para a mente. Então, aproveite para conhecer a seguir algumas das principais razões para investir no bom humor no seu dia a dia!

  1. Aumento da atividade do organismo

Um estudo da Universidade de Loma Linda, na Califórnia (EUA), apontou que sorrir conseguia impactar na produção e atividade das células conhecidas como NK (ou natural killers), que seriam as responsáveis pelo combate de alguns prejuízos ao organismo — como a destruição de vírus, tumores etc.

Isso quer dizer que o riso é capaz de aumentar a atividade do organismo no sentido de proteger a nossa saúde e o bom funcionamento do nosso corpo. Por isso, o ato de rir diariamente é considerado uma terapia tanto para prevenir doenças como para tratá-las.

  1. Redução do estresse cotidiano

Outra questão apontada pelo estudo da Universidade de Loma Linda foi o nível de cortisol entre dois grupos de pessoas, sendo que um deles convivia silenciosamente e o outro era exposto a uma série de vídeos divertidos.

O resultado foi que o cortisol (o hormônio relacionado ao estresse) era realmente menor no grupo bem-humorado. Ou seja, apostar em maneiras de deixar o dia mais leve e divertido é capaz de afastar o estresse e a tensão acumulados.

E o melhor de tudo é que esse benefício se multiplica, já que sabemos que o estresse pode causar complicações como depressão, ataques cardíacos, obesidade, entre outras. Logo, tudo isso pode ser evitado com a redução do estresse cotidiano.

  1. Favorecimento da circulação sanguínea

Em relação ao sistema cardiovascular os mais sorridentes e felizes também estão em vantagem. De acordo com pesquisas da Universidade de Maryland (EUA), rir protege o coração e reduz as chances de infartos, tromboses e outros problemas desse tipo.

Isso acontece porque quando uma pessoa sorri, o corpo tende a diminuir a pressão arterial e facilitar o fluxo de sangue — o que facilita as funções cardíacas e mantém a oxigenação. Já o estresse é capaz de piorar esse processo e ainda comprometer o endotélio (membrana que reveste e protege os vasos sanguíneos).

  1. Fortalecimento do sistema imunológico e do bem-estar

Outro efeito comprovado de que sorrir faz bem para saúde é a liberação de hormônios como a serotonina e endorfina, que estão ligados às sensações de prazer e felicidade.

Esses hormônios atuam tanto no nosso corpo como na nossa mente. Por isso é que a sensação de bem-estar é quase que uma reação automática de quando estamos felizes e sorrindo.

Ao contrário, quando sentimos raiva ou estamos estressados o organismo libera substâncias (estradiol e adrenalina, por exemplo) que enfraquecem o sistema imunológico ao dificultar a ação das nossas células de defesa — o que aumenta o risco de doenças e outras disfunções.

Pensando por esse lado, mesmo quando as coisas não vão tão bem é melhor manter o alto astral, concorda? Além de deixar a nossa imunidade mais forte, sentimentos como autoconfiança e autoestima são essenciais para nossa saúde mental e para manter uma boa qualidade de vida.

  1. Melhora da digestão e ajuda no emagrecimento

Você sabia que quando rimos diversos músculos são trabalhados, inclusive alguns que estão localizados na região abdominal? Como consequência, é como se esses movimentos fizessem uma espécie de massagem no sistema gastrointestinal e facilitassem o processo digestivo.

Além de ter a digestão facilitada, rir também gasta calorias. No fim das contas, você pode estar se divertindo e ainda ajudando o seu corpo a funcionar melhor, eliminar toxinas e emagrecer um pouco.

Enfim, é bom reconhecer a importância do sorriso e que manter o bom humor é realmente capaz de gerar efeitos positivos. Logo, vale a pena investir em atividades que proporcionem isso para a sua saúde, como encontrar seus amigos com mais frequência.

Fonte: Compass

Cuidar do espírito

Muito se fala sobre a relação entre a saúde física e a saúde espiritual. Mesmo aquelas pessoas que não seguem nenhuma doutrina espírita estão começando a entender que cuidar do espírito é fundamental para manter a saúde sempre em dia, pois de nada adianta tratar os sintomas do corpo se é a alma que está adoecida.

Alguns médicos também reforçam o cuidado do espírito como um fator fundamental para uma vida de qualidade. Um deles é Dr. Paulo Niemeyer Filho, filho do Neurocirurgião Paulo Niemeyer e sobrinho do arquiteto Oscar Niemeyer.

Paulo optou pela medicina logo cedo. Começou a faculdade aos 17 anos, na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e apenas 15 dias depois de formado, mudou-se para a Inglaterra, onde se especializou em neurologia na Universidade de Londres. Na volta ao Brasil, fez doutorado na Escola Paulista de Medicina.

Foram 20 anos de estudo para que Paulo Niemeyer terminasse a sua formação. No entanto, as consequências de sua dedicação são visíveis. Atualmente, ele é chefe dos Serviços de Neurocirurgia da Santa Casa do Rio de Janeiro e da Clínica São Vicente e opera praticamente todos os dias da semana, ainda encontrando tempo para lecionar no Curso de Pós Graduação em Neurocirurgia da PUC-Rio.

Um grande exemplo de uma pessoa realmente apaixonada por aquilo que faz. Dr. Paulo, um médico muito experiente e influente, acredita que a melhora do cérebro está relacionada ao cuidado do espírito e dá algumas informações muito interessantes sobre a importância do cuidado com o corpo em uma entrevista que deu à Revista Poder. Mostramos abaixo alguns trechos. Confira:

PODER: Existe alguma coisa que se possa fazer para o cérebro funcionar melhor?

Dr. Paulo Niemeyer: você tem de tratar do Espírito. Precisa estar feliz, de bem com a vida, fazer exercícios. Se está deprimido, com a autoestima baixa, a primeira coisa que acontece é a memória ir embora; 90% das queixas de falta de memória são por depressão, desencanto, desestímulo. Para o cérebro funcionar melhor, você tem de ter motivação. Acordar de manhã e ter desejo de fazer alguma coisa, ter prazer no que está fazendo e ter a autoestima no ponto.

PODER: Cabeça tem a ver com alma?

Dr. Paulo Niemeyer: eu acho que a alma está na cabeça. Quando um doente está com morte cerebral, você tem a impressão de que ele já está sem alma. Isso não dá para explicar, o coração está batendo, mas ele não está mais vivo.

PODER: O que se pode fazer para se prevenir de doenças neurológicas?

Dr. Paulo Niemeyer: todo adulto deve incluir no check-up uma investigação cerebral. Vou dar um exemplo: os aneurismas cerebrais têm uma mortalidade de 50% quando rompem, não importa o tratamento. Dos 50% que não morrem, 30% vão ter uma sequela grave: ficar sem falar ou ter uma paralisia. Só 20% ficam bem. Agora, se você encontra o aneurisma num check-up, antes dele sangrar, tem o risco do tratamento, que é de 2%, 3%. É uma doença muito grave, que pode ser prevenida com um check-up.

PODER: Existe algum inimigo do bom funcionamento do cérebro?

Dr. Paulo Niemeyer: o exagero. Na bebida, nas drogas, na comida. O cérebro tem que ser bem tratado como o corpo. Uma coisa depende da outra. É muito difícil um cérebro ir muito bem num corpo muito maltratado e vice-versa.

Muito esclarecedor, e pode ser a resposta que muitas pessoas precisavam para começarem a cuidar de sua saúde espiritual ainda hoje. 

Referência: O Segredo

Infecção em idosos

Febre e mal estar são os sinais típicos de infecções que tomam conta do organismo, mas não valem para todas as faixas etárias.

Entre os idosos, especialmente os mais velhos ou com doenças crônicas associadas, os sintomas das infecções variam entre confusão mental, hipotermia (redução considerável da temperatura) e mudanças importantes no comportamento.

O idoso pode ter ainda sonolência e fraqueza geral. Nos pacientes com alguma dificuldade cognitiva, pode ter redução nos níveis de consciência e, um sinal de uma infecção mais grave é, ao invés da febre, uma hipotermia, e hipoglicemia. Pode ter ainda confusão mental, agitação, agressividade e até mesmo uma queda do paciente é uma manifestação em potencial de infecção em idoso, explica Rodolfo Pedrão, médico geriatra do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (HC/UFPR).

A mudança na apresentação dos sintomas confunde os familiares, que tentam buscar outras explicações para esses sinais. Isso atrasa o diagnóstico e, quem sofre, é o próprio paciente idoso. De acordo com José Mário Tupiná Machado, médico geriatra do hospital Marcelino Champagnat e professor de geriatria da PUCPR, as mudanças no envelhecimento são lentas e gradativas — e ninguém apresenta demência de um dia para outro.

É importante que a família tenha consciência que as mudanças de aparência, de comportamento, de rotina sempre precisam ter uma explicação. Sempre precisam buscar uma explicação para elas. Não pode ficar achando que é da idade. Qualquer mudança deve ser checada porque pode ser, entre outras coisas, uma infecção, reforça Machado.

Alerta aos sintomas de infecções nos idosos

Fique atento aos seguintes sinais, de acordo com orientações dos médicos geriatras José Mário Machado e Rodolfo Pedrão:

  • Mudança de comportamento: Se, de repente, o idoso que era agitado, participativo ou brincalhão se torna apático, prostrado, se isola ou se irrita com facilidade, fique de olho. O contrário também é verdadeiro: de alguém menos para mais agitado.
  • Confusão mental e alucinações: Nem sempre uma falha de memória ou confusão é sinal de demência, mas pode indicar uma infecção não diagnosticada.
  • Hipotermia: Em infecções mais graves, ao invés de aquecer, o corpo tende a se resfriar, podendo levar a um quadro de hipotermia.
  • Sonolência e redução dos níveis de consciência: Especialmente nos pacientes com dificuldades ou déficit cognitivos, as infecções podem levar a uma maior sonolência e até reduzir a consciência.

 

Doenças importantes

Se o idoso tiver, concomitantemente à infecção, doenças que comprometem a imunidade, ou doenças debilitantes, como demências em estágio avançado, diabetes, doenças cardíacas e pulmonares, o risco de ter sintomas mais atípicos é maior.

Infecções em geral podem causar esses sinais atípicos, mas as infecções mais prevalentes entre os idosos são pneumonia, infecção urinária e de pele, explica José Mário Machado, médico geriatra do hospital Marcelino Champagnat.

Como evitar?

A melhor forma de evitar as infecções, segundo o médico geriatra Rodolfo Pedrão, se dá pelo cuidado com a saúde em geral do idoso, o que significa prezar por uma alimentação saudável, atividades físicas e vacinação.

É importante lembrar das vacinas, da gripe, por exemplo. Alguns idosos recebem a indicação de tomar também, especialmente quem está tratando de doenças crônicas, as vacinas contra a pneumonia e o herpes zóster. Mas a vacina contra a gripe é fundamental, se não tiver nenhuma contraindicação, diz o especialista que também faz parte da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia.”

Referência: Gazeta do Povo

Passos para ser admirada

Você já percebeu como sempre há alguém muito admirado no trabalho? Pois então, essas pessoas costumam assumir seus pontos fracos com mais facilidade, em vez de esperar o tempo necessário para que outras pessoas os percebam.

No ambiente profissional, existem táticas para aumentar a popularidade. Os 10 passos seguintes explicam como.

  1. Faça perguntas

Pessoas que questionam e expõem suas dúvidas são admiradas porque sentem prazer em compartilhar o que sabem e o que não sabem. Por causa dessa característica, sempre estão prontos para ajudar quem precisa – e isso conta pontos em qualquer grupo.

  1. Fale mais

Uma característica em comum de pessoas admiradas é a capacidade de conversar com todos. Elas não escondem o que pensam. Isso não significa que elas são diretas e grossas, mas fazem questão de ser detalhistas e prestativas.

  1. Doe seu tempo… sem esperar algo de volta

Ajudar os outros por vontade própria aumenta sua popularidade. Pense na pessoa que você mais gosta no trabalho – provavelmente quem poderia ajudar em um dia difícil, ou mesmo quando o seu computador não estiver funcionando. Cuidado, porém, ao ajudar só para ser admirado. A iniciativa precisa ser genuína.

  1. Ouça melhor

Esse passo não elimina a segunda dica, que continua sendo verdadeira. Comunicação facilita relações entre pessoas, mas é importante fazer uma pausa de vez em quando para ouvir. Pessoas admiradas estão sempre curiosas para aprender e ouvir algo novo. Fale tudo que for preciso, mas na hora de ouvir, faça isso com toda a atenção.

  1. Preocupe-se de verdade

Como desenvolver a preocupação e o carinho ao próximo em uma era tão narcisista com as redes sociais? Importar-se requer deixar seus interesses e ambições de lado para ajudar o próximo. Isso exige esforço. Você precisa conscientemente decidir que vai se preocupar com alguém. Ao fazer isso, verdadeiramente, você notará que as pessoas vão admirá-lo.

  1. Admita: você não sabe tudo

Todos sabem como é importante evitar ser o arrogante do escritório. Parte porque sabemos que essa pessoa não irá pedir por ajuda, e muitas pessoas gostam de se sentir úteis e ajudar. Mais importante ainda porque pessoas arrogantes estão sempre tentando se promover. Elas exibem um tipo de orgulho que não é atraente.

  1. Prefira a risada

É difícil não gostar de alguém que encare a vida com leveza. Frequentemente, as pessoas mais admiradas conseguem encher um ambiente de risadas e sorrisos. Se a sua natureza não for tão brincalhona, não tem problema. Só não se esqueça de enxergar humor em acontecimentos cotidianos. Seja alguém de riso fácil e você conquistará as pessoas ao seu redor.

  1. Não esquente tanto a cabeça

A seriedade é uma característica importante no ambiente profissional, mas o excesso dela ofusca a visão mais ampla de algumas situações. Pessoas sérias demais são essencialmente mais egoístas, pois estão sempre se focando em seus problemas particulares. Indivíduos admirados no trabalho reconhecem problemas de colegas e são altruístas.

  1. Não seja insistente demais

Você pode ter suas preferências pessoais, mas seja flexível quando necessário. Vá almoçar em lugares diferentes, ouça músicas sugeridas por amigos, não espere que todos gostem das mesmas coisas que você. Ajuste-se às situações.

  1. Assuma suas fraquezas

Eventualmente, seus colegas no trabalho irão descobrir seus pontos fracos, por que não abri-los com mais facilidade? Não aja como vítima ou compartilhe seus problemas com a próxima pessoa que for apresentada. Mas, no trabalho, não é nenhum pecado expor seus pontos fracos com a intenção de se esforçar para melhorar. Seus colegas farão boas sugestões e poderão ajudá-lo.

Referência: Semear Innovation

Descarte de Lixo reciclável

Resíduos recicláveis sujos não são reaproveitados e vão para aterros sanitários; a maior parte das pessoas não sabe jogar fora os recicláveis da forma correta

As pessoas não sabem como jogar o lixo fora da forma correta, afirmam especialistas, e isso está tendo um impacto negativo no meio ambiente. Você separa seu lixo, mas não limpa os recipientes de plástico? Se assim for, você é um “reciclador aspira”.

Segundo os ambientalistas, muitas pessoas jogam materiais na lixeira sem saber que, da forma como estão sendo descartados, não podem ser reciclados. Isso acontece porque em geral se supõe que alguém vai separar e limpar os materiais, mas muitas vezes, esse não é o caso.

Se o material reciclável está contaminado por resíduos de alimentos, ou está misturado com muito material não reciclável, seu tempo em colocar o lixo na lata de recicláveis foi desperdiçado. Seu lixo vai acabar em um aterro sanitário, de acordo com a diretora de Marketing e Comunicações da Repak, Laura Sherry.

— Você não deve reciclar sacolas plásticas. E você não deve colocar sua reciclagem em um pequeno saco de lixo porque essas sacolas podem ficar presas em máquinas. Fraldas também são um grande problema para a reciclagem.

Também é importante notar que, ao reciclar incorretamente, há mais desperdício e mais trabalho para outras pessoas. Sherry disse que as pessoas devem estar conscientes do que colocam em suas lixeiras. “São os seres humanos que passam por esse desperdício em certos estágios, não são todas as máquinas”, acrescentou ela.

Aprenda a descartar o lixo da forma correta

  • Xícaras de café: A maioria dos copos não pode ser reciclado, pelo menos não atualmente. Isto é principalmente devido ao revestimento de plástico ao redor do copo de papel, que é difícil de quebrar.
  • Potes de Comida:  Outro erro de reciclagem é não limpar as marmitas descartáveis antes de colocá-los na lixeira especial. Embora seja tentador jogar fora sua caixa manchada de molho sem enxaguar, o líquido pode vazar para outros materiais da lixeira. Assim, além de descartar errado, você vai estar contaminando o lixo de quem descartou corretamente. Sempre lave seus plásticos antes de colocar na lixeira.
  • Pasta e escovas de dentes: Os tubos de pasta de dentes são compostos de um componente de plástico, tornando-os difíceis de quebrar. A própria escova de dentes é de plástico e é difícil de reciclar. Mudar para uma escova de dentes de bambu significa que menos plásticos descartáveis vão para o solo.

Referência: O Globo

Sarampo

O Brasil só esteve atrás da Venezuela em número de casos de sarampo nas Américas em 2018. E esse surto, aliado à campanha nacional de vacinação, fez muitas pessoas perguntarem sobre a doença — dos sintomas aos tratamentos — para seus médicos.

Coordenadora do Departamento Científico de Imunizações da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (Asbai), a médica Ana Karolina Barreto Marinho reuniu algumas dessas dúvidas e as respondeu uma por uma. O conteúdo abaixo foi editado:

  1. Quem não sabe se já tomou a vacina deve se imunizar?

Se não há comprovação de vacinação prévia, é importante tomar todas as doses recomendadas, sim. Elas estão disponíveis na rede pública — mais abaixo, você verá o protocolo adequado para cada idade.

  1. Caso a pessoa tome uma dose adicional, há risco para a saúde?

Não. As reações alérgicas, raríssimas, tendem a aparecer na primeira dose.

  1. A vacina do sarampo protege contra outras doenças?

Sim. A versão tríplice viral estimula a produção de anticorpos contra sarampo, rubéola e caxumba. Já a tetra viral também afasta o risco de catapora (varicela).

  1. Há algum componente na vacina do sarampo capaz de desencadear reação alérgica?

Embora seja raro, componentes do imunizante podem causar reações alérgicas em indivíduos predispostos. O produto contém as seguintes substâncias potencialmente alergênicas: albumina humana, sulfato de neomicina (antibiótico), gelatina e traços de proteína do ovo de galinha. No Brasil, uma das vacinas empregadas na rede pública carrega traços de lactoalbumina (uma proteína do leite de vaca).

  1. Quais os cuidados que os pacientes alérgicos devem ter?

Foi demonstrado, em muitos estudos, que mesmo pessoas com alergia grave ao ovo possuem um risco baixíssimo de reações anafiláticas após tomarem suas doses contra o sarampo. No entanto, é indicado que esses indivíduos, por precaução, sejam vacinados em locais que ofereçam condições de atendimento de anafilaxia.

Crianças com alergia grave ao leite de vaca (reações imediatas como anafilaxia) não devem receber a vacina tríplice viral, que contém lactoalbumina. Pelo sim, pelo não, os alérgicos a algum componente do imunizante podem conversar com seu médico antes de irem para o posto.

  1. Quantas doses da vacina eu preciso tomar e quando?

Deve-se seguir o calendário orientado pelo Ministério da Saúde. O esquema vacinal contra o sarampo para crianças é de uma dose aos 12 meses (tríplice viral) e outra aos 15 meses (a tetra viral) de idade.

Para a turma de até 49 anos que não cumpriu esse esquema, o Ministério preconiza:
• Até os 29 anos: duas doses, da tríplice ou tetra viral
• Dos 30 aos 49 anos: dose única, da tríplice ou tetra viral

Quem já tomou duas dessas injeções durante a vida não precisa mais se preocupar. Mas em caso de surtos — ou mesmo durante campanhas de reforço da vacinação —, não custa tomar uma picada adicional.

Até porque as duas doses padrão garantem uma proteção de mais ou menos 90% contra o sarampo. E uma terceira poderia turbinar ainda mais nossas barreiras imunológicas.

  1. Quais os sintomas do sarampo?

O sarampo apresenta os seguintes sintomas: febre acompanhada de tosse persistente, irritação ocular, coriza e mal-estar intenso. Logo depois, as manchas avermelhadas no rosto, que progridem em direção aos pés, costumam dar as caras.

Não há tratamento específico para o sarampo. O próprio corpo lida com o vírus, embora os médicos possam lidar com os sintomas e consequências dele.

Fonte: Saúde Abril

Água no Inverno

Sabia que nosso corpo gasta muito mais energia no inverno? Isso acontece porque além de queimarmos calorias com as atividades diárias rotineiras, o nosso corpo ainda está trabalhando redobrado para nos manter aquecidos. Esse trabalho todo ocasiona uma perda de água mais acelerada. 

O problema? É justamente no frio que tendemos a nos hidratar menos. Veja em nossa galeria 5 razões para beber água até mesmo no inverno! 

Evita cãibras

Durante os dias frios, temos uma tendência maior para sofrer com cãibras. Elas acontecem quando há falta de água na musculatura. E como no frio tendemos a esquecer de beber água, essas dores aparecem para nos lembrar de correr até a cozinha e tomar um copo com água.

Diminui a fome

A Organização Mundial da Saúde sugere que o ideal é ingerir 2 litros de água por dia. Porém, nessa conta também podem ser incluídos os chás naturais. Eles atuam no organismo nos hidratando e ajudam a segurar a comilança, já que são nos dias frios que sentimos mais fome. Essa fome vem como sinal do organismo, que precisa de mais energia para se manter aquecido. Por isso, se não redobrarmos os cuidados com a alimentação, a temporada de dias frios pode ocasionar uns quilinhos a mais.

Ajuda a emagrecer

Por outro lado, a tendência é que as pessoas percam mais peso no inverno, porque o corpo gasta mais energia para manter a temperatura do corpo. E com isso, costuma-se também perder líquido neste processo. Por isso, é importante manter-se sempre hidratado. Recomenda-se beber um copo de água a cada uma hora mesmo que você não sinta sede, pois a sede já é um sinal do organismo desidratado pedindo líquidos.

Evita ficar doente

É a água presente no sangue que ajuda no transporte dos nutrientes que estão diretamente ligados ao nosso sistema imunológico. Quanto mais hidratado, menos chances de sofrermos com as doenças recorrentes do inverno como resfriados, gripe e alergias.

Desintoxica

As toxinas são eliminadas através da urina e do suor. Se não bebermos líquido o suficiente, essa faxina do organismo fica comprometida, acumulando toda essa sujeira. A combinação de água com limão é uma ótima receita — tanto para intensificar a desintoxicação quanto para reforçar a defesa do organismo por causa da vitamina C do limão.

Fonte: Guia da Semana

Uma pesquisa realizada por hospital infantil da cidade de Trieste, na Itália, comprovou a eficácia do riso no auxílio do tratamento de crianças. O estudo levou em conta a atuação de “doutores palhaços” nos locais.

A iniciativa foi adaptada no Brasil sob o nome “Doutores da Alegria”. Sem fins lucrativos, os palhaços visitam os hospitais infantis e realizam brincadeiras.

O estudo comprovou que, embora a doença física não seja afetada, a presença dos doutores da alegria ajudava a diminuir a ansiedade nos pacientes e trazia a sensação de bem estar.

No Recife
Os palhaços do Doutores da Alegria visitam quatro hospitais públicos do Recife duas vezes por semana: Hospital Universitário Oswaldo Cruz e Procape, Barão de Lucena, Restauração e Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip). A ONG atua no Recife há 13 anos e reúne muitas histórias pra contar.
Muitas engraçadas, outras tristes, histórias de superação e sobretudo de encontros verdadeiros entre as crianças e os palhaços.

Fonte: Diario de Pernambuco 

É importante saber que muitos problemas de memória não estarão presentes em decorrência de um problema de saúde, mas talvez pela convivência com os que chamamos de vilões da memória. O primeiro deles seria a falta de atenção. Sabe-se que a atenção é a primeira etapa do processamento da memória recente; quanto mais atentos estivermos, melhor será o desempenho da nossa memória.

A desorganização ambiental e a falta de uma rotina obrigatória pré-estabelecida também colabora para que nosso cérebro fique mais preguiçoso, interferindo em um pior desempenho do processamento das nossas habilidades mentais.  Por isso, estabelecer um ritmo de tarefas obrigatórias e que envolvam hábitos de vida saudáveis são fundamentais para uma boa qualidade do processo de memorização e do resgate da informação memorizada.

Outro aspecto importante para se observar em pessoas adultas e idosas é o desempenho da chamada acuidade visual; ou seja, o quão sua visão está preservada e mantida, para interpretar as informações sensoriais visuais recebidas do meio. É descrito na ciência que pessoas com dificuldades visuais não corrigidas, seja por óculos, lentes oculares ou cirurgias podem ter um pior desempenho de memória e a longo prazo, podem desenvolver doenças neurodegenerativas.

O mesmo acontece com a capacidade auditiva; um indivíduo que em sua fase adulta relata sentir dificuldades auditivas, decorrentes de mudanças do processo normal do envelhecimento, precisa procurar auxílio de profissionais especializados, uma vez que a dificuldade auditiva também está relacionado a um pior desempenho de memória.

Neste sentido podemos ter algumas dúvidas que surgem: por que as dificuldades visuais e auditivas seriam vilões da memória? Porque estas dificuldades interferem nos estímulos recebidos pelo cérebro; além disso, muitas vezes pessoas com estas dificuldades passam a se isolar socialmente, interagindo menos com outras pessoas, e consequentemente, buscam por menos estímulos de memória e de atenção, apresentando assim um estilo de vida pouco desafiador para as habilidades mentais.

Ressalta-se também dentre os vilões da memória o estado de humor e a presença de sintomas de ansiedade. Indivíduos deprimidos ou com a presença de sintomas de ansiedade são indivíduos com dificuldades de atenção e concentração e podem apresentar um pior processamento da memória.

São pessoas que costumam se esforçar menos para novas aprendizagens, possuem crenças negativas sobre o seu desempenho cognitivo por se acharem menos capazes de enfrentar grandes desafios, pois apresentam pensamentos negativos e falta de ânimo na maioria das vezes. Em relação a este aspecto a nossa dica seria: cuide do seu estado do humor, a partir do momento que ele interfere na sua qualidade de vida, pois pode ser um problema de saúde a ser tratado.

Importante também se atentar à qualidade do sono, pois a insônia é uma grande vilã para um mau desempenho das habilidades mentais. É durante o sono que formamos as aprendizagens adquiridas durante o dia; então, uma boa qualidade do sono é fundamental para um bom funcionamento da memória.

Nos estudos das neurociências também se destaca a importância de evitar o abuso de alimentos industrializados, com excesso de açúcares e gorduras saturadas, pois estes alimentos podem acumular no cérebro proteínas não utilizadas, os radicais livres, e podem possibilitar o aparecimento de toxinas no cérebro. A longo prazo, podem gerar prejuízos no funcionamento das habilidades mentais, sendo um fator de risco para o desenvolvimento de demências.

No entanto, sabemos que, embora convivamos com vilões que interferem no desempenho da memória, temos que nos lembrar que há formas de combatê-los.

A partir dos hábitos de vida saudáveis, como uma alimentação balanceada, boa qualidade do sono, realização de exercícios intelectuais que estimulem as habilidades cognitiva (como por exemplo, os exercícios de ginástica cerebral oferecidos pelo SUPERA), a prática regular de atividades físicas prescritas por um profissional e os cuidados com o estado de humor e com a prevenção ou manejo adequado de doenças crônicas presentes. Evite vícios, seja em alimentos industrializados, jogos de azar; desafie-se, busque a interação social, e viva uma vida saudável e com tranquilidade em todas as fases da vida.


Fonte: Método Supera

 

Muitos imaginam que basta passar o fio dental e escovar os dentes após as refeições que a saúde bucal está garantida. Embora o preceito básico seja esse, há muitas outras atitudes que podem tornar este cuidado mais eficiente e, assim, manter não só a estética, mas também prevenir de maneira mais satisfatória cáries e outros problemas bucais.

Além de cuidados extras para tornar este hábito diário ainda mais efetivo, há também ações que, embora possam parecer benéficas, fazem mais mal do que bem e outras ainda que, por não fazerem parte da rotina diária, muitas vezes são esquecidas ou negligenciadas.

Se você quer realmente ficar com a saúde e a estética bucal em dia, atente-se à rotina de cuidados.

Cuidados com os dentes: o que NÃO fazer

1 – Abandone o uso do palito

Embora pareça uma medida prática e emergencial para limpar os espaços existentes entre os dentes, usar palitos de madeira com essa finalidade pode causar lesões na gengiva. “O palito pode perfurar a gengiva, as papilas dos dentes, e isso é perigoso”, alerta o dentista.

2 – Controle a força da escovação

A força usada para escovar os dentes também precisa ser controlada. Realizar o movimento com muita intensidade pode dar a sensação de que se está limpando os dentes de forma mais eficiente. Mas essa sensação é falsa. De acordo com Puglisi, a atitude pode causar sangramento e recessão gengival, quadro que aumenta a exposição do dente.

3 – Tenha cuidado com os alimentos que consome

Alguns alimentos, como limão e abacaxi, embora sejam importantes para a manutenção da saúde geral, são ácidos e, por isso, afetam os dentes. Neste caso, é essencial consumi-los de maneira adequada. “O abacaxi não causa tantos problemas ao ser ingerido puro, mas o limão não pode, de jeito nenhum. Tem gente que chupa a fruta. Mas o ideal é sempre diluir em água para evitar que ele cause erosão ácida nos dentes”, explica o dentista.

Além de colocar em prática os cuidados diários e estar atento às ações prejudicais à saúde bucal, é importante também olhar para os detalhes que podem passar despercebidos ou parecer desnecessários, mas também são essenciais para os cuidados com os dentes

Saúde bucal: o que fazer todos os dias

1 – Escove os dentes pelo menos 3 vezes ao dia

A recomendação do especialista também é clara em relação à quantidade de escovação. O ideal é que ela ocorra após todas as refeições. Mas se a rotina impede que esta orientação seja seguida à risca, existe uma regrinha básica para ajudar. “Se não for possível escovar imediatamente após as refeições, faça isso pelo menos três vezes ao dia”, orienta.

2 – Não esqueça do fio dental

O fio dental é essencial para a higienização do dente e não há nada que substitua sua ação. “O ideal é que você passe todas as vezes em que for escovar ”, comenta o dentista.

3 – Escove os dentes logo após as refeições

Ao pesquisar sobre cuidados com os dentes, é comum encontrar a orientação de que é preciso esperar pelo menos 30 minutos entre a refeição e a escovação para supostamente evitar que o ácido digestivo afete o esmalte de dente.

De acordo com o dentista Rafael Puglisi, esta é uma orientação equivocada. “Não existe tempo mínimo a ser esperado. Você pode escovar 10 ou 40 minutos depois de comer, mas deve sim escovar logo após as refeições”, explica.

Até aqui estão listados os cuidados básicos. Mas eles não são suficientes. É preciso também atentar-se ao que não é recomendado.

Cuidados com dentes que não podem ser esquecidos

1 – Troque a escova no período adequado

Embora não exista regra, é essencial saber quando é o momento de trocar a escova de dente. Puglisi explica que isto deve ser feito quando as cerdas aparentam sinais de desgaste. “Não existe um tempo certo, mas quando as cerdas já estão abertinhas, é hora de trocar”, comenta. E o macete vale tanto para as mecânicas quanto para as escovas elétricas.

2 – Saiba escolher uma boa escova

Para escolher uma escova adequada, além de pensar no tamanho e no tipo de cerdas, vale também ponderar entre os modelos manuais e os elétricos.

“A escova de dente elétrica é a melhor opção porque limpa os dentes profundamente e sem esforço. Ela faz uma escovação que elimina tártaros e a placa bacteriana sem danificar o esmalte e a gengiva”, comenta o dentista.

Além de remover mais placas e alcançar aéreas mais difíceis, modelos de escovas elétricas como a Philips Sonicare ainda dão mais longevidade a tratamentos estéticos. “Ciclos em escovação manual degradam mais rapidamente os cimentos utilizados nesses procedimentos. Como a escova elétrica só faz uma vibração, ela dá maior longevidade ao que fazemos”, reforça Dr. Puglisi.

Fonte: Vix