Unidade Vila Mariana (11) 2275-2516/2276-2835

Unidade Moema (11) 2738-1700/2738-1900

Blog

Ansiedade

Em nosso dia a dia, a ansiedade é uma sensação muito frequente. Pode ser resultante de acontecimentos positivos ou negativos, de compromissos ou responsabilidades, da necessidade de cumprir adequadamente tarefas rotineiras ou de aguardar por um evento esperado.

Entretanto, os sintomas de ansiedade podem prejudicar o desempenho de atenção e de memória; uma vez que ficamos desconcentrados por pensar em várias informações simultaneamente ou por não concluir adequadamente uma tarefa iniciada. Os sintomas de ansiedade geram estresse e podem deixar o nosso organismo em estado de estresse excessivo.

São vários os impactos dos sintomas da ansiedade em nossa vida. Do ponto de vista físico, podem ocasionar dores de cabeça, falta de energia para realizar tarefas, sudorese aumentada, aumento dos batimentos cardíacos, tremor e dores musculares e no estômago.

No aspecto emocional, pode gerar desânimo, ansiedade intensa, raiva, frustração, preocupação, nervosismo e falta de paciência; além da própria dificuldade em manter um bom desempenho das habilidades mentais.

Teste o nível da sua ansiedade

Responda as perguntas a seguir e verifique quantas alternativas SIM você responderá. Cada alternativa SIM valerá um ponto e uma somatória de 5 (cinco) pontos ou mais será um indicativo inicial de que você está com a presença de sintomas de ansiedade em seu cotidiano.

  1. Eu me preocupo em grande parte do tempo com as coisas.
  2. Eu acho difícil tomar uma decisão em problemas desafiadores.
  3. Sinto-me agitado com frequência no dia-a-dia.
  4. Eu acho difícil relaxar.
  5. Eu frequentemente não consigo aproveitar as coisas por causa de minhas preocupações.
  6. Eu me vejo como uma pessoa nervosa.
  7. Eu me vejo como uma pessoa nervosa.

Importante refletir que, se os sintomas de ansiedade interferirem em sua qualidade de vida, é importante buscar auxílio profissional para ter acesso ao tratamento adequado e assim ter uma vida mais calma e tranquila.

Cuidados para prevenção de sintomas de ansiedade:

  • Coloque poucas metas por dia e objetive cumpri-las;
  • Organize-se antecipadamente: faça planos, projetos, tenha o hábito de escrever e preparar roteiros personalizados sobre seus objetivos;
  • Respeite seus limites: tenha férias, intervalos de descanso. O excesso de compromissos e trabalho gera estresse elevado, angústia emocional e causa cansaço, e no final das contas, a exaustão e o esgotamento;
  • Compartilhe suas emoções: evite acumular preocupações, problemas emocionais e afetivos, compartilhe com alguém de sua confiança;
  • Sorria mais: não somos felizes o tempo todo, mas busque valorizar pequenas ações e sorria mais. Ao sorrirmos estamos estimulando o nosso cérebro a liberar neurotransmissores que diminuem o nível de estresse;
  • Por fim, cuide do seu cérebro e faça exercícios de ginástica cerebral; cuidar da atenção, da memória e de outras habilidades também diminui os sintomas de ansiedade e melhora a qualidade de vida.

Referência: Supera

Passos para ser admirada

Você já percebeu como sempre há alguém muito admirado no trabalho? Pois então, essas pessoas costumam assumir seus pontos fracos com mais facilidade, em vez de esperar o tempo necessário para que outras pessoas os percebam.

No ambiente profissional, existem táticas para aumentar a popularidade. Os 10 passos seguintes explicam como.

  1. Faça perguntas

Pessoas que questionam e expõem suas dúvidas são admiradas porque sentem prazer em compartilhar o que sabem e o que não sabem. Por causa dessa característica, sempre estão prontos para ajudar quem precisa – e isso conta pontos em qualquer grupo.

  1. Fale mais

Uma característica em comum de pessoas admiradas é a capacidade de conversar com todos. Elas não escondem o que pensam. Isso não significa que elas são diretas e grossas, mas fazem questão de ser detalhistas e prestativas.

  1. Doe seu tempo… sem esperar algo de volta

Ajudar os outros por vontade própria aumenta sua popularidade. Pense na pessoa que você mais gosta no trabalho – provavelmente quem poderia ajudar em um dia difícil, ou mesmo quando o seu computador não estiver funcionando. Cuidado, porém, ao ajudar só para ser admirado. A iniciativa precisa ser genuína.

  1. Ouça melhor

Esse passo não elimina a segunda dica, que continua sendo verdadeira. Comunicação facilita relações entre pessoas, mas é importante fazer uma pausa de vez em quando para ouvir. Pessoas admiradas estão sempre curiosas para aprender e ouvir algo novo. Fale tudo que for preciso, mas na hora de ouvir, faça isso com toda a atenção.

  1. Preocupe-se de verdade

Como desenvolver a preocupação e o carinho ao próximo em uma era tão narcisista com as redes sociais? Importar-se requer deixar seus interesses e ambições de lado para ajudar o próximo. Isso exige esforço. Você precisa conscientemente decidir que vai se preocupar com alguém. Ao fazer isso, verdadeiramente, você notará que as pessoas vão admirá-lo.

  1. Admita: você não sabe tudo

Todos sabem como é importante evitar ser o arrogante do escritório. Parte porque sabemos que essa pessoa não irá pedir por ajuda, e muitas pessoas gostam de se sentir úteis e ajudar. Mais importante ainda porque pessoas arrogantes estão sempre tentando se promover. Elas exibem um tipo de orgulho que não é atraente.

  1. Prefira a risada

É difícil não gostar de alguém que encare a vida com leveza. Frequentemente, as pessoas mais admiradas conseguem encher um ambiente de risadas e sorrisos. Se a sua natureza não for tão brincalhona, não tem problema. Só não se esqueça de enxergar humor em acontecimentos cotidianos. Seja alguém de riso fácil e você conquistará as pessoas ao seu redor.

  1. Não esquente tanto a cabeça

A seriedade é uma característica importante no ambiente profissional, mas o excesso dela ofusca a visão mais ampla de algumas situações. Pessoas sérias demais são essencialmente mais egoístas, pois estão sempre se focando em seus problemas particulares. Indivíduos admirados no trabalho reconhecem problemas de colegas e são altruístas.

  1. Não seja insistente demais

Você pode ter suas preferências pessoais, mas seja flexível quando necessário. Vá almoçar em lugares diferentes, ouça músicas sugeridas por amigos, não espere que todos gostem das mesmas coisas que você. Ajuste-se às situações.

  1. Assuma suas fraquezas

Eventualmente, seus colegas no trabalho irão descobrir seus pontos fracos, por que não abri-los com mais facilidade? Não aja como vítima ou compartilhe seus problemas com a próxima pessoa que for apresentada. Mas, no trabalho, não é nenhum pecado expor seus pontos fracos com a intenção de se esforçar para melhorar. Seus colegas farão boas sugestões e poderão ajudá-lo.

Referência: Semear Innovation

28 ago

Energia

A gente já se acostumou a correr contra o relógio para dar conta de trabalho, estudo, tarefas domésticas e achar que a vida é assim mesmo: quanto mais agitada, melhor. Só que um dia o corpo reclama. É quando você percebe que está exausta, desmotivada, se sentindo feia e sem energia nem para se divertir. Nessa hora, é importante repensar o estilo de vida e colocar em prática atitudes que dão um choque no desânimo e renovam o astral em instantes. Quer ideias? Entregamos várias para você ter na manga e usar no trabalho, em casa, a dois ou a sós.

1. Filtre as companhias
Há pessoas que são como vampiros emocionais: sugam sua energia e deixam você para baixo. Gente tagarela, que reclama demais ou só fala da própria vida costuma ser assim e, se você não se proteger, entra nessa relação sem perceber. “A pessoa não precisa ser do mal para ter esse poder sobre o outro”, fala a psicóloga Carmen Cerqueira Cesar, de São Paulo. “Uma amiga querida ou colega de trabalho com quem você se dá bem tem essa capacidade. Cabe a você colocar limites para não se deixar contaminar.” Corte a conversa com jeitinho ou invente uma mentira branca para evitar um encontro se sabe que não vai sair inteira dele. Assim, você não só preserva seu bem-estar mas a amizade também.

2. Sexo para reanimar
Se nos dias em que chega em casa exausta e louca para se jogar no sofá a última coisa em que pensa é transar, não sabe o que está perdendo. Nos momentos de excitação, o organismo turbina a secreção de dopamina, endorfina e serotonina, substâncias que batem os níveis de cortisol e elevam o humor, a alegria e a disposição. De quebra, você levanta zerada no dia seguinte — um estudo da Arizona State University, nos Estados Unidos, revelou que mulheres que haviam feito sexo na noite anterior acordaram mais relaxadas e bem-humoradas.

3. Cheiro de bem-estar
Leve na bolsa ou deixe na mesa de trabalho um blend de óleos essenciais capaz de dar um up imediato na disposição: com bergamota, grapefruit e limão é uma opção. O aroma age direto no cérebro, estimulando e reequilibrando os hormônios do bem-estar – é só aplicar nos locais em que dá para sentir a pulsação, como pescoço e pulsos, sempre que precisar de uma injeção de ânimo.

4. Laranja para levantar o astral
Nas unhas, na maquiagem ou na roupa, nem que seja apenas em um acessório, essa cor tem tudo para colocá-la para cima no ato: ela afasta as energias negativas, estimula a mente e chama a alegria. E está super na moda. Ou seja, com ela, é dois a zero para o alto-astral e a autoestima.

5. Silêncio mágico
Ficar só e calada de vez em quando funciona para escutar o que o corpo e as emoções pedem — e não tem nada a ver com estar triste ou de mal com a vida. “Aí, conseguimos processar tanta informação que recebemos o tempo todo e achar sentido na vida”, diz Carmen Cerqueira Cesar. “É como colocar cada arquivo na pasta certa para o computador (ou nossa mente) não dar pau”, completa.

6. Transforme angústia em alegria
A terapeuta Ma Deva Suvalia, do Hotel Ponto de Luz, em Joanópolis (SP), ensina um exercício capaz de transformar sofrimento e ansiedade em sentimentos bons: feche os olhos e visualize um ponto no meio do tórax, que corresponde ao chacra do coração. Inspire mentalizando seus medos e preocupações e expire pensando em coragem e tranquilidade, sempre focando o ponto no coração. Em cinco minutos, vai se sentir mais leve, renovada e pronta para encontrar soluções positivas para o que incomoda você.

7. Faça um spa em casa
Tomar um banho quentinho e sem pressa já é um bálsamo contra o cansaço e a falta de ânimo. Para sair completamente renovada, aproveite os minutos embaixo do chuveiro e faça uma esfoliação no corpo com um punhado de sal grosso triturado com alecrim, manjericão e outras ervas aromáticas de que você gosta. “O processo renova a pele, libera aromas que refrescam e revigoram e neutraliza as energias negativas e positivas”, fala o terapeuta Michael Roriz, do Blue Garden Spa, em São Paulo. Enquanto isso, aproveite para mentalizar coisas boas e focar no barulhinho da água caindo pelo corpo.

8. Recarregue com chocolate
O doce já é nosso amigo nos momentos de baixo-astral, mas a notícia melhor ainda é que ele entrega energia extra quando vem na forma de uma bebida quentinha. Primeiro, porque contém cafeína e teobromina, que estimulam o corpo a produzir endorfina e serotonina, substâncias relacionadas ao bem-estar e a emoções positivas. E, como revelou um estudo da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, publicado na revista Science, o simples fato de segurar uma caneca com uma bebida quente deixa você mais segura e para cima.

9. Suco que levanta
Não dê mole para o desânimo e copie esta receita sugerida pela nutricionista Karoline Jorge, da KJ Nutricional Consultoria e Assessoria, em São Paulo, para começar o dia com pique total: bata no liquidificador 1 copo (200 ml) de suco de laranja, 1/3 de cenoura picada, 1 polpa de açaí e 1 colher (chá) de guaraná em pó. O açaí carrega ferro, mineral que em falta no organismo pode levar a cansaço e anemia. Combinado com o guaraná, a frutinha forma uma dupla revigorante. A laranja e a cenoura colaboram para a eliminação de toxinas e a renovação de todas as células do corpo.

10. Mexa o corpo
Pode soar contraditório, mas quando você se sente exausta, uma das melhores coisas a fazer para recuperar o pique é malhar. Não precisa ser em alta intensidade nem até suar em bicas. Um estudo da Universidade da Geórgia, nos Estados Unidos, mostrou que adultos que pedalaram em baixa intensidade por 20 minutos, três vezes por semana, sentiram 65% menos fadiga do que o grupo que não se movimentou e 16% mais dispostos do que quem praticou exercício pesado. É que mexer o corpo aumenta a oxigenação do sangue e dos tecidos e estimula a produção de substâncias que garantem energia, disposição e bem-estar, como dopamina, adrenalina, endorfina e serotonina.

11. Banana a tiracolo
Não tem fruta mais prática que essa para matar a fome fora de hora, e o melhor é que ela também esbanja propriedades. “É ótima para quando falta energia, pois tem frutose e um tipo de aminoácido que serve como matéria-prima para a produção de serotonina, que garante bem-estar e disposição”, diz Karoline Jorge.

Livro da Vovó

Olhando sempre para o lado positivo da vida, acompanhada da risada gostosa que é sua marca registrada, Maria Emília de Mendonça, a vovó Dodóca, alcançou mais um sonho na  longa trajetória. Aos 103 anos, ela lançou neste sábado (10), em Novo Hamburgo, o livro Encontro das Águas, que eterniza as suas memórias em 129 páginas. A obra conta como ela encara o mundo para chegar a incrível marca de mais de um século na Terra — ainda se sentindo jovem, garante ela. 

Para a vovó Dodóca, o segredo de tudo está na cabeça, e não no corpo. Ela sugere que todos olhem para a vida sempre buscando a sua melhor parte. Ou seja, para ela, o copo nunca está meio vazio, mas meio cheio. Assim, segundo a vovó, é possível atingir a longevidade de maneira feliz.

Perguntada sobre o momento mais alegre, complementou a primeira fala: 

— Alegria eu tenho sempre. Eu penso mais é nas amizades, no amor, nas pessoas que estiveram e estão comigo. 

A ideia de escrever o livro já existia em dona Maria Emília, mas foi incentivada pela filha, Marli Helena de Oliveira, 68 anos, que buscou a parceria do escritor e amigo Fabrício Vijales. Foram várias semanas de entrevistas da vovó ao profissional entre 2017 e 2018, em encontros todas as segundas-feiras para que ela detalhasse os principais pontos da vida centenária.

As histórias da vovó

O livro conta desde os primeiros anos dela, neta de um escravo, em uma família humilde. Nascida na área rural de Gravataí, ela perdeu a mãe aos sete anos, o que abreviou a infância e fez com que ela trabalhasse desde cedo. Teve de assumir os irmãos e se tornar uma mãe repentinamente. Ainda assim, ajudava o pai na roça com uma enxada sempre que ele precisava. Depois, aos 13 anos, foi morar em Porto Alegre, no bairro Bom Jesus, onde trabalhou como doméstica nas casas de famílias ricas da época. 

O texto reflexivo também atende a um dos principais hábitos da dona Maria Emília: ler. Há 10 anos, ela decidiu largar outros passatempos, como a TV, e dar mais atenção para a leitura, um hábito que nunca mais deixou e recomenda a todos. Nem mesmo a casa cheia com os nove netos, 12 bisnetos e cinco tataranetos é capaz de tirar a concentração dela nos textos.  

Ultimamente, a vovó teve agenda de estrela para divulgar o Encontro das Águas. Visitas em prefeituras, casas de amigos, conversa com autoridades e uma maratona de entrevistas marcaram os últimos dias da dona Maria Emília. Ela lembra o nome de cada um que a entrevistou e perguntou a vários as suas datas de nascimento, para que possa dar os parabéns na próxima vez em que os encontrar.

— Está muito legal. Foi uma boa ideia da Marli o livro. Tá bombando! — diverte-se, usando um termo jovem, a mulher que já tem quase 38 mil dias de vida.  

Além do livro, no ano passado, a vovó alcançou outro sonho em sua vida. Comemorou os 102 anos em sua primeira viagem internacional, com a filha, para Portugal. Maria Emília lembra de compartilhar o sonho com algumas pessoas, que duvidaram que ela conseguiria ir tão longe com a idade avançada. A viagem foi de mais de 20 dias e ela adorou.

A memória de Maria Emília impressiona a qualquer um. Ela não demora para responder as questões, não titubeia, lembra de datas com a precisão de quem não usa agendas. Uma das histórias que ela mais se diverte ao contar foi sobre a vez em que abandonou o noivo pouco antes do casamento, aos 24 anos. O pretendente era mais velho, amigo de seu pai, e já tinha até feito casa para eles e entregue uma aliança. Ela tinha certeza que não queria casar com aquele homem. 

— Teve uma noite que eu não dormi. Não sabia como diria para o meu pai. Mas criei coragem e falei pra ele ao amanhecer, quando pedi a bênção. Ele, graças a Deus, entendeu. Saí a pé para caminhar duas horas até o cartório e ainda encontrei o noivo no caminho. Ele tinha uma faca, e me ameaçou. Disse pra ele: quer me matar, pode me matar, mas contigo eu não caso — conta. 

O destino, como ela mesmo lembra, foi caprichoso e ela casou-se com o homem de sua vida: um amigo que ela já gostava de outros tempos. Foi com ele que ela teve os seus seis filhos. 

Vitalidade e saúde de ferro

Chama atenção também seu estado de saúde: não usa óculos nem para ler, caminha lentamente, mas com passadas firmes e sem bengalas, e só toma dois remédios, um para manter controlada a pressão arterial e outro para labirintite. Fazia hidroginástica até os 99 anos de idade e só parou de ir, assegura, porque ficou sem companhia. Até os 101, ela morava sozinha em sua casa em Novo Hamburgo. Há dois anos, mora com a filha, na mesma cidade.  

— Não tem quem não se impressione. Ela é uma pessoa iluminada, que alegra quem está por perto  — revela Marli.

A vó Dodóca também revela sua dieta: come de tudo, mas em porções pequenas. Gosta de cozinhar à moda antiga, usando banha no feijão, que deixa as comidas mais saborosas. O prato preferido é dobradinha: mondongo com batata. Nunca fumou, nunca bebeu e nunca usou drogas. 

Na rotina, gosta de ir em todas as festas em que é convidada e a encontros com familiares e amigos.  É adepta da filosofia Seicho-no-Ie há 30 anos. Ficar muito tempo parada não é algo que deixe feliz a centenária do Vale do Sinos. Tenta sempre viajar e os outros Estados do Brasil estão entre os seus destinos favoritos. Para o futuro, o único pedido que faz toda noite é que possa seguir conhecendo novos lugares. 

O nome do livro, Encontro das Águas, é uma simbologia feita pelo autor pela resiliência da dona Maria Emília com os problemas da vida. Uma pessoa que se molda ao passar dos anos, mas que segue sempre o seu próprio fluxo. Se ficar parada, apodrece. Por isso, precisa mover-se em seu caminho desviando de pedras e dos problemas, mas sem nunca parar de seguir. Olhando, claro, para o lado positivo e mantendo a risada contagiante.

Referência: GaúchaZH

Água no Inverno

Sabia que nosso corpo gasta muito mais energia no inverno? Isso acontece porque além de queimarmos calorias com as atividades diárias rotineiras, o nosso corpo ainda está trabalhando redobrado para nos manter aquecidos. Esse trabalho todo ocasiona uma perda de água mais acelerada. 

O problema? É justamente no frio que tendemos a nos hidratar menos. Veja em nossa galeria 5 razões para beber água até mesmo no inverno! 

Evita cãibras

Durante os dias frios, temos uma tendência maior para sofrer com cãibras. Elas acontecem quando há falta de água na musculatura. E como no frio tendemos a esquecer de beber água, essas dores aparecem para nos lembrar de correr até a cozinha e tomar um copo com água.

Diminui a fome

A Organização Mundial da Saúde sugere que o ideal é ingerir 2 litros de água por dia. Porém, nessa conta também podem ser incluídos os chás naturais. Eles atuam no organismo nos hidratando e ajudam a segurar a comilança, já que são nos dias frios que sentimos mais fome. Essa fome vem como sinal do organismo, que precisa de mais energia para se manter aquecido. Por isso, se não redobrarmos os cuidados com a alimentação, a temporada de dias frios pode ocasionar uns quilinhos a mais.

Ajuda a emagrecer

Por outro lado, a tendência é que as pessoas percam mais peso no inverno, porque o corpo gasta mais energia para manter a temperatura do corpo. E com isso, costuma-se também perder líquido neste processo. Por isso, é importante manter-se sempre hidratado. Recomenda-se beber um copo de água a cada uma hora mesmo que você não sinta sede, pois a sede já é um sinal do organismo desidratado pedindo líquidos.

Evita ficar doente

É a água presente no sangue que ajuda no transporte dos nutrientes que estão diretamente ligados ao nosso sistema imunológico. Quanto mais hidratado, menos chances de sofrermos com as doenças recorrentes do inverno como resfriados, gripe e alergias.

Desintoxica

As toxinas são eliminadas através da urina e do suor. Se não bebermos líquido o suficiente, essa faxina do organismo fica comprometida, acumulando toda essa sujeira. A combinação de água com limão é uma ótima receita — tanto para intensificar a desintoxicação quanto para reforçar a defesa do organismo por causa da vitamina C do limão.

Fonte: Guia da Semana

Trabalho de reciclagem realizado na cidade de Kamikatsu foi considerado o ‘mais bonito do Japão’

KAMIKATSU, JAPÃO — Não há coleta de lixo na pequena cidade japonesa de Kamikatsu. Seus 1.500 habitantes vão ao aterro sanitário para pacientemente separar seu lixo em 45 categorias. O objetivo final é reciclar tudo.

— Sim, é complicado — admite Naoko Yokoyama, de 39 anos, no meio de um labirinto de contêineres e caixas no centro de triagem. — Mas desde que me mudei para cá há um ano, presto mais atenção ao meio ambiente.

As categorias variam de travesseiros a escovas de dentes, garrafas (dependendo do tipo de vidro), recipientes diferentes, objetos de metal etc.
Localizada nas montanhas 530 quilômetros a sudoeste de Tóquio, a vila de Kamikatsu pretende reciclar tudo sem enviar nada para os incineradores até 2020.
Embora os funcionários do centro de resíduos ajudem, há muito trabalho para os vizinhos que devem lavar e secar sacos, embalagens e recipientes para facilitar a reciclagem.
Alguns objetos exigem desmontagem. Em um canto, um homem usa um martelo para extrair as peças de metal das prateleiras que ele trouxe. Em outro, os trabalhadores do centro de triagem cortam uma longa mangueira de borracha em pedaços. O local tem compressores para latas e plásticos
Para ajudar, um folheto descreve o trabalho como “o mais bonito do Japão”, apresentando em 16 páginas duplas, uma infinidade de fotografias e desenhos acompanhados por uma foto do recipiente ou caixa a usar.

Muitos municípios no Japão exigem a classificação do lixo, mas geralmente em um pequeno número de categorias (plástico, lata, papel etc.), e a maioria dos resíduos domésticos é incinerada.
Kamikatsu passou a fazer diferente depois que recebeu um ultimato: em 2000 o município recebeu a ordem de fechar uma de suas duas incineradoras, que não cumpria as normas de poluição.
— Então pensamos que se não podiamos queimar o lixo, deveríamos reciclá-lo — conta uma funcionária pública, Midori Suga.
A localidade está perto de alcançar seu objetivo, com uma taxa de reciclagem de 80% de suas 286 toneladas de resíduos produzidos em 2017, bem acima da média nacional de apenas 20%.
Embora o Japão produza menos resíduos per capita do que a maioria dos países desenvolvidos, é líder no lixo plástico per capita, atrás apenas dos Estados Unidos. Até recentemente, o arquipélago exportava parte dele, especialmente para a China, mas Pequim não quer mais o plástico japonês.
A população de Kamikatsu é consciente. O sistema “funciona porque somos apenas 1.500 pessoas”, explica Yokoyama.


Estilo de vida plástico


— É claro que incinerar é fácil —, diz Saeko Takahashi à AFP, lavando caixas de leite e amarrando seus jornais. — Mas é melhor reciclar.
Um contêiner de adubo recebe os restos de carne e peixe, enquanto as cascas de frutas e legumes vão parar direto no seu jardim.
— Os alimentos duram mais tempo embrulhados em plástico, mas não há necessidade de multiplicar as camadas — explica.
Kazuyuki Kiyohara, 38 anos, diretor do aterro, diz que o plástico é o que mais chega e que seu consumo diminuiu pouco.
— Nosso modo de vida depende do plástico — constata. — Os consumidores podem reduzir o lixo até certo ponto, mas sempre teremos alguns, enquanto os fabricantes produzirem objetos de plástico.

As caixas plásticas para as refeições, o envoltório plástico de bananas ou tomates, as sacolas, colheres ou canudos distribuídos em todos os lugares… O Japão está longe de eliminar este material.
Em 2018, no entanto, o governo anunciou a meta de reduzir em um quarto até 2030 sua produção anual de resíduos plásticos, que foi de 9,4 milhões de toneladas.
As empresas privadas adotam iniciativas, mas seguindo um cronograma que parece muito aquém das disposições já adotadas em outros países.
— Não devemos nos concentrar apenas nos resíduos — diz Suga. —Precisamos de políticas que limitem sua produção.

Fonte: O GLOBO

20 maio

Praticar o perdão

por nossacasa

O perdão é a liberação das limitações autoimpostas e dos padrões de conduta autodestrutivos que nos atam ao passado de maneira insana. Além disso, ele permite liberar a ira, o medo, a dor, o ressentimento e outros sentimentos negativos, abrindo o coração para a alegria, a paz e o amor.

Embora não seja fácil, não se deve permitir que o passado tenha poder sobre nossa vida. Temos que liberar a dor que sentimos e as amarras que nos impedem de vivê-la plenamente.

Razões para praticar o perdão

– Eliminar o rancor

– Ter uma boa saúde física, psicológica e emocional

– Liberar todos os sentimentos negativos

– Encontrar a paz

– Aprimorar a vida social, pois deixamos de ver hostilidade nas pessoas

Como fomentar o perdão? 

Abaixo estão alguns conselhos para desenvolver a habilidade de perdoar:

– Encontre tempo no dia-a-dia para meditar e explorar sua mente, para liberar qualquer ressentimento guardado. Imagine-se com um grande nó, respire lentamente e imagine que pouco a pouco ele vai se derretendo e fazendo com que se sinta livre e leve; o poder da imaginação é enorme.

– Perdão não significa reconciliação, você não deve desculpar a outra pessoa, nem tolerar seus comportamentos; apenas deve deixar de lado seu próprio sofrimento.

 – Se você sente uma profunda hostilidade em relação a alguém do passado, escreva uma carta de perdão em que seus sentimentos sejam demonstrados. Se não deseja enviá-la, não o faça, mas é uma forma de imaginar que os sentimentos de vingança da outra pessoa também desaparecem; se repetir diariamente a escrita de cartas de perdão, pode ser uma válvula de escape útil para sua recuperação.

– Não deixe que o ambiente negativo de pessoas grosseiras e insensíveis recaia sobre você. Frequente ambientes de bem-estar, onde possa manter sua mente saudável e não se deixar contaminar pelas energias negativas.

– Lembre-se de que você não deve ficar de fora do círculo do perdão, você deve perdoar a si mesmo por não ser perfeito e por cometer erros como os demais; você merece a mesma compreensão e compaixão que os demais para poder encontrar a positividade e a liberdade para viver em paz.

– A capacidade de perdoar não funciona igualmente para todas as pessoas, algumas tardam mais que as outras, mas é uma meta que pode ser alcançada. Quem não é capaz de perdoar fica propenso a padecer de ansiedade, depressão, dor de coluna crônica, ter problemas cardiovasculares e sofrer alteração em suas funções neurológicas e no seu sistema imunológico, tornando-se incapaz de aproveitar a vida plenamente.

Fonte: A mente é maravilhosa 

Quando temos amigos, sabemos que não estamos sozinhos e que, não importa o que for colocado em nossos caminhos, sempre teremos alguém com quem contar.

Entre as muitas pessoas que conhecemos em nossas vidas, poucas são as que podemos chamar de amigas. Muitos passam por nós, permanecem por um tempo até cumprir sua missão e depois vão embora. Mas outras pessoas nunca se vão. Ainda que a vida nos guie para caminhos diferentes, a conexão de alma que possuímos com elas é tão forte e verdadeira que nunca estaremos totalmente separados.

Nossos amigos são pessoas insubstituíveis. Eles nos conhecem como ninguém e nos amam verdadeiramente, orgulham-se de nossas conquistas e fazem questão de que saibamos que somos únicos e dignos das melhores coisas da vida.

Em uma amizade verdadeira, não existe inveja, mentiras e maldade. Apenas há espaço para amor, companheirismo e crescimento mútuo.

São relacionamentos puros e sinceros, que nos ajudam a viver com mais alegria, perspectiva e felicidade.

Se você tem um amigo de verdade, provavelmente deseja estar ao seu lado sempre que possível e planeja aventuras e momentos especiais para todas as fases da vida. Desde as maluquices na juventude até os momentos de mais tranquilidade na velhice.

Entretanto, entre as coisas mais especiais que podemos fazer ao lado de nossos amigos é sorrir. Parece que, quando estamos com eles, tudo vira motivo para darmos gargalhadas infinitas que nos tiram o ar e fazem a barriga doer. Mesmo que o momento nem seja tão engraçado assim, vivê-lo ao lado dessa pessoa tão especial torna tudo mais intenso, mais divertido.

As risadas com nossos amigos são sinceras e nos despertam uma sensação única de alegria. Estar ao lado dessas pessoas tira das nossas mentes todos os problemas da vida e nos ajuda a vivermos no agora, com mais positividade e esperança para o que está por vir.

Quando temos amigos, sabemos que não estamos sozinhos e que, não importa o que for colocado em nossos caminhos, sempre teremos alguém com quem contar.

Todos os momentos que compartilhamos com essas pessoas são sagrados e ficam guardados em um lugar muito especial em nossas mentes e corações.

Se você tem um amigo com quem pode contar, esteja perto ou longe, alguém para dividir preocupações, alegrias e boas risadas, você é uma pessoa de muita sorte!

Reserve um tempo, sempre que possível, para estar perto dessa pessoa. Seu espírito se renovará e você perceberá que a vida é muito melhor quando compartilhada com as pessoas que amamos.

Fonte: O segredo

“Me deixa! Estou estressado!” A geração que se estressa e se frustra por tudo. Que se consideram eternamente infelizes. O que buscam esses meninos? O que lhes prometeram? Que o importante é ser feliz? Que ele pode ser o que quiser, no lugar que quiser? Que se cursar a faculdade X vai se realizar, que se estudar na escola Y vai passar direto e depois é só correr para o abraço?

Jovens que vão aos consultórios com demandas frágeis e de muito sofrimento. A dor da falta do não faltar. Sensação de não pertencimento, de estar perdido, de não saber o que quer da vida, nem saber se quer alguma coisa. Geração de poucos adjetivos.

O show das três bandas foi TOP, a viagem à Disney foi LEGAL. O aniversário no buffet foi NORMAL. O casamento da melhor amiga foi CHATO. E se sentem frustrados, mas não identificam o que lhes falta.

Choram pelo golfinho ferido, mas não tiram seu prato da mesa do shopping.

Colaborar em casa é “favor”, arcar com despesas? Nem pensar! Participar de tarefas, seja para fazer compras no supermercado, alimentar os dogs, ir ao banco, cartório, farmácia…. tudo é postergado, é exaustivo.

Geração das polpas de frutas, não descasca laranja, não chupa caroço de manga. Vive de sonhos áureos, mas não quer pisar no chão quente para alcançá-los.

Começar a trabalhar sem muito ganhar, nem pensar. Quem marca suas consultas, médicos, dentistas?

Não visita avós, não sai de seus quartos vivendo no mundo irreal do Instagram. Aponta defeitos com comentários maldosos nas redes sociais. Não elogia. Acredita que todos exigem muito deles. Não oferecem seus préstimos. Reclamam do mínimo obstáculo. Culpam os pais por “forçarem a barra”.

Na escola, solucionaram problemas matemáticos em turmas avançadas e não conseguem solucionar problemas reais como tirar segunda via de boletos, ir à repartição pública e lidar com burocracias…

Querem respostas rápidas, fáceis e ficam aborrecidos sempre, mesmo quando essa resposta vem. Entediam-se. Trocam de escola, de curso, de emprego, de parceiros, de amigos, nada e nem ninguém os compreende. Nada os preenche.

Culpam o sistema, a família, o amigo difícil, o porteiro chato, a coordenadora do curso, a lei, o chefe que exige. Reclamam do almoço, de não ter roupa pra sair, de não ter dinheiro. Passam o dia no ar-condicionado, consumindo o salário dos pais.

Andam de carro, uber, táxi…. não lavam suas cuecas, nem suas calcinhas. Não buscam conhecimento. Nem espiritualidade.

Não se encantam com decorações natalinas, nem com um ipê florido no meio da avenida. Reivindicam direitos de expressão e não oferecem nada em troca. Nenhuma atitude.

Consideram-se vítimas dos pais. Julgam.

Juízes duros! Impiedosos! Condenam.

Choram pelo cachorro maltratado e desejam que o homem seja esquartejado.

Compaixão duvidosa.

Amorosidade mínima.

“Preciso disso! Tem que ser aquilo!” E haja insatisfação! Infelicidade. Descontentamento. Adoecimento. Depressão. Suicídio….

Geração estragada. Inconformada. Presa em suas desculpas. Acomodada em suas gaiolas de ouro.

Inertes, não assumem a responsabilidade de viver, de se mexer, de traçar seu caminho, de enfrentar o que está fora da caverna de Platão.

Postam sorrisos, praias paradisíacas, mas não se banham no mar curador. Limpam o lixo na praia com os amigos e não arrumam a própria cama. Em casa, estampam tristeza, sofrimento, dor…. a dor de ter que crescer sem fazer por onde…. merecer.”

Fonte: Seu Amigo Guru 

Adotar cachorro ou gato é um compromisso de longo prazo e envolve uma decisão responsável e consciente

É comum quando alguém se interessa em adotar um animalzinho de uma ONG ou um abrigo receber um questionário de adoção. São perguntas como: “Há alguém em sua casa alérgico a pelos?”; “Seus familiares estão de acordo com a adoção?”; “O que fará com o animal quando viajar?”. O objetivo é avaliar se o candidato a adotante está apto ou não para levar um pet para casa. Esse cuidado minimiza as chances de devolução ou um futuro abandono do cão ou gato.

Muitas outras perguntas precisam ser respondidas e o candidato – que deve ser maior de idade – também tem que apresentar documentos e assinar um termo de responsabilidade, em que se compromete a cuidar bem do novo companheiro. Afinal, adoção é coisa séria.

Algumas pessoas chegam a achar exagero, mas tem que se levar em consideração que os animais recolhidos por aquela ONG ou abrigo foram retirados de uma situação de abandono e, muitas vezes, receberam tratamento antes de estarem prontos para ganhar uma família definitiva.

Tudo isso gerou um custo para a instituição ou o protetor independente, portanto, de nada adianta ter todo esse cuidado com o bem-estar do animal, se ele for entregue a alguém que não tenha compromisso de continuar tratando-o bem.

Se você estiver considerando aumentar a família e dar e receber amor de um companheiro felino ou canino, veja abaixo os pontos que você deve se atentar. Assim, você saberá se está preparado ou não para ter um animal de estimação e ser muito feliz!

Segurança da casa

Preparar o coração para transbordá-lo de amor por um animal é muito fácil, porém sua casa também precisa estar preparada para receber o novo morador. Após a adoção, pode-se levar um tempo até o novo integrante da família se acostumar com o novo lar, portanto, um lugar seguro, sem rotas de fuga, é fundamental.

Em casas, grades, portões e muros precisam ser seguros o suficiente para evitar o acesso livre dos animais à rua.

Já em apartamentos, janelas, sacadas e varandas precisam ser teladas. Este ponto é ainda mais imprescindível quando o animal a ser escolhido trata-se de um gatinho. Neste caso, todas as janelas precisam de proteção. É o mesmo cuidado que se tem com uma criança em casa.

Se o cão for pequeno, também é preciso checar se seu corpo dele não passa pela abertura do parapeito da sacada. Esse cuidado é essencial para evitar acidentes.

Despesas compatíveis com seu orçamento

É importante saber que a adoção responsável deve levar em conta que os animais de estimação precisam de vacinas, alimentação de qualidade e veterinário.

“Muita gente adota no momento da emoção e não pensa em tudo isso”, comenta a veterinária Graciela Mendes.  “Ele pode adoecer, e o tutor terá gasto com consulta, exames, medicamentos e uma eventual cirurgia. Então, se a pessoa tem a intenção de ter um bichinho, a primeira coisa que ela tem que olhar é o orçamento dela”, afirma.

Existência de alergia

Pelos e saliva dos animais podem ser alergênicas e causar sintomas em pessoas predispostas à alergia. Então, antes de optar pela adoção, verifique com o seu médico sua condição de saúde, bem como a de seus familiares.

Tempo para passeio

Mesmo que sua casa tenha espaço para brincadeiras e banhos de sol, os cães precisam passear na rua e ter convivência com outros animais e pessoas. Por isso, é tão importante manter uma rotina de passeios, mesmo que seja uma volta curta no quarteirão para que o cão faça suas necessidades.

Ainda não estou preparado para adotar. O que fazer?

Caso o que te impeça de adotar um cachorro ou um gato seja a segurança da sua casa, é possível resolver. Contate empresas de redes de proteção para sacadas e janelas do seu apartamento. Se morar em casa, reforce o muro com grades para evitar possíveis fugas e considere telar o quintal também, caso o animal escolhido seja um gatinho.

Se os motivos forem outros, impossíveis de resolver por agora, considere ajudar os animais carentes de outra forma. Você pode apadrinhar um bichinho de algum abrigo ou oferecer doações de ração e brinquedos para instituições e protetores sérios e comprometidos com a causa. Há milhares espalhados por todo o país.

Fonte: Catraca Livre