Unidade Vila Mariana (11) 2275-2516/2276-2835

Unidade Moema (11) 2738-1700/2738-1900

Blog

01 abr

A Nossa Casa. . .

por nossacasa

O bem-estar das nossas hóspedes é regra número um para a Nossa Casa. Temos diversas atividades como música terapia, tarde de piano, fisioterapia em grupo, jogos divertidos, aulas de idiomas, aula de artes etc. Além de tudo isso, as nossas tardes também contam com uma contadora de histórias! 

Quem aqui não lembra das histórias que nossos pais contavam para nós na hora de dormir? Era incrível como entrávamos no enredo e fazíamos parte daquela fantasia…

É essa a proposta, brincar com a imaginação, permitir essa incrível viagem sem sair do lugar.

Nossas meninas adoram e nós também! 

Era uma vez… um centro de longa permanência delicioso de morar!  

A idade está na cabeça das pessoas. Foi com essa frase que um dos entrevistados tocou o coração de todos aqueles que o assistiam. Após os 60 anos, muitos acabam por se entregar ao sedentarismo e ao pensamento de que não são mais capazes de realizar muitas coisas. Engana-se quem pensa assim.

Foi com o intuito de provar o porquê da nomenclatura “a melhor idade”, que o OCP trouxe a série “Idosos Ativos” para seus leitores, pois assim como eles, somos os idosos modernos do mundo digital. O veículo de comunicação mais antigo em circulação de Santa Catarina está prestes a completar 100 anos de história.

Apesar do tempo, a cada dia o OCP busca se modernizar e se atualizar para estar sempre em conformidade com as evoluções tecnológicas, sem deixar de lado a sua essência, que é o compromisso intransigente com a verdade, imparcialidade e defesa dos interesses da comunidade.

É com esse objetivo que disponibilizamos para vocês uma série de almas jovens com a sabedoria da idade!

Confira todos os vídeos na íntegra:

Fonte: OCP News

 

A Câmara Municipal de Araçatuba iniciou em fevereiro uma campanha de arrecadação de embalagens vazias de comprimidos para adquirir cadeiras de rodas. A ação faz parte do projeto Câmara Solidária, de inciativa da Mesa Diretora da Casa.

Os principais beneficiários dessa ação voluntária são pessoas em vulnerabilidade financeira atendidas pela Santa Casa de Misericórdia, por meio de um trabalho coordenado pela Pastoral da Saúde.

De acordo com a presidente da Câmara, vereadora Tieza (PSDB), a mobilização começou com os servidores que já nos primeiros dias depositaram centenas de embalagens numa urna transparente colocada na recepção da sede do Legislativo. Contudo, o público externo também pode fazer doações no posto de coleta permanente. As embalagens arrecadadas são doadas à Pastoral da Saúde, em contrapartida, uma empresa de reciclagem recebe e entrega os equipamentos de locomoção para os pacientes.

“Não podemos simplesmente descartar essas embalagens, uma vez que elas viabilizam a aquisição de cadeiras de rodas para as pessoas que tanto necessitam. Por meio dessa campanha, o Legislativo araçatubense reafirma o compromisso de aproximar a sociedade da tomada de decisões do Poder Público que visam ao bem-estar das pessoas e a sustentabilidade do meio ambiente”, afirmou a vereadora Tieza.

Assista ao vídeo:


 

Fonte: Câmara Municipal de Araçatuba

Michael Joyce 68 anos, passou os últimos oito anos lutando contra a doença de Alzheimer, mas há uma coisa que ele nunca vai esquecer com certeza: ele ama sua esposa.

A história parece um lindo romance, Michael esqueceu que era casado com Linda há 34 anos, e a pediu em casamento.

Linda disse que ela percebeu que ele estava tentando lhe dizer uma coisa importante, mas ela não estava conseguindo compreender direito as palavras, então calmamente perguntou: “Eu segurei a mão dele e perguntei ‘o que é, meu querido? O que você está tentando me dizer?’ Ele olhou para mim com lágrimas nos olhos e com uma gagueira ele disse: ‘você quer se casar comigo?’”

“Eu pensei que era apenas uma manifestação do mal de Alzheimer. Mas então na manhã seguinte, ele acordou e lembrou de tudo e ficou tão animado para o nosso dia do casamento”.

De acordo com sua esposa, Michael tem lutado “uma batalha difícil” com a doença de Alzheimer desde que ele foi diagnosticado em 2010. Embora ele se esforce para lembrar eventos do dia-a-dia, geralmente não lembra quem são as pessoas a sua volta e até mesmo chega a esquecer quem é Linda.

Já que é assim, nada mais justo do que casar duas vezes, não é mesmo? E foi justamente o que aconteceu, no começo de 2018, na Nova Zelândia, onde o casal vive.

“E no dia de nossa cerimônia, ele acordou e disse para mim ‘hoje é o dia’ e ele estava tão feliz. Na cabeça e no coração, era o que ele queria fazer. Ele queria se casar.”

“Nós estamos destinados a ficar juntos. Nós somos devotos um ao outro e eu vou amá-lo até o fim. O amor verdadeiro conquista tudo”.

Depois desta história, alguém ainda não acredita em amor eterno?

Fonte: Saber Viver Mais

Você já sabe que praticar atividades físicas é importante para manter uma boa saúde, mas e o cérebro? Este órgão também pode ser exercitado para melhorar seu desempenho e o melhor: você pode fazer isso em casa, no seu dia-a-dia com atividades chamadas de neuróbicas.

Quando acostumamos a fazer as mesmas atividades com frequência, é comum ligarmos o modo piloto automático, pois já temos domínio sobre as nossas ações. Assim, o nosso cérebro entra na zona de conforto e pode dar margem para algumas reações, como falhas de memória, raciocínio lento, problemas de concentração…

A proposta das neuróbicas – que funcionam como a aeróbica dos neurônios – é justamente tirar o cérebro da sua zona de conforto e potencializar as suas habilidades cognitivas.

A prática da neuróbica envolve desde exercícios simples – que podem ser feitos no dia a dia – até desafios mais complexos, que proporcionam situações improváveis e podem ser feitos por pessoas de todas as idades.
“As neuróbicas estimulam padrões de atividade neurais que criam conexões entre as diferentes áreas do cérebro e fazem com que as células nervosas produzam nutrientes naturais do cérebro”, explica Solange Jacob, diretora pedagógica nacional do Método SUPERA, rede de escolas dedicadas ao desenvolvimento do cérebro no Brasil.

Segundo ela, para que uma atividade seja considerada “neuróbica”, é preciso desenvolver um ou mais dos nossos cinco sentidos em um novo contexto e/ou transformar uma atividade rotineira em algo inesperado e não-usual.

Como incorporar a neuróbica na rotina diária

Nós podemos praticar exercícios para o cérebro em qualquer lugar: seja em casa, no trabalho, na escola ou nos momentos de lazer.  Fazer atividades de maneira inusitada é uma nova técnica para melhorar a concentração, treinar a criatividade e inteligência.

“Porém, para exercitar o cérebro em sua totalidade, é preciso mais que neuróbicas!”, alerta Solange. “Apesar dessas atividades ajudarem a estimular a mente, a metodologia completa de ginástica para o cérebro do SUPERA  proporciona resultados efetivos no desenvolvimento das habilidades cognitivas, socioemocionais e éticas, garantindo melhor qualidade de vida e real melhora da memória, concentração, raciocínio…”

Tente fazer um teste fazendo alguns exercícios no seu dia-a-dia. Sugerimos aqui 20 ações diferentes que podem ser feitas em casa e podem proporcionar momentos descontraídos com a família e amigos:

01 – Use o relógio de pulso no braço direito (ou no braço esquerdo, se for canhoto);

02 – Escove os dentes ou escreva em uma folha de papel com a mão contrária da de costume

03 – Ande pela casa de trás para frente;

04 – Vista-se de olhos fechados;

05 – Estimule o paladar, coma coisas diferentes;

06 – Veja fotos de cabeça para baixo e tente observar cada detalhes que antes lhe passara despercebido;

07 – Veja as horas num espelho ou troque o relógio do pulso que costuma usar;

08 – Faça um novo caminho para ir ao trabalho ou introduza pequenas mudanças nos seus hábitos cotidianos

09 – Converse com o vizinho que nunca dá bom dia.

10 – Comece a trocar o mouse de lado.

11 – Decore uma palavra nova por dia, de seu idioma ou de outro e tente aos poucos introduzi-la em suas conversas de forma adequada.

12 – Folheie uma revista e procure uma fotografia que lhe chame a atenção. Agora escreva 25 adjetivos que ache que a descrevem e/ou ao tema fotografado.

13 – Ao entrar numa sala onde esteja muita gente, tente determinar quantas pessoas estão do lado esquerdo e do lado direito. Identifique os objetos que decoram a sala, feche os olhos e enumere-os.

14 – Quando for a um restaurante, tente identificar os ingredientes que compõem o prato que escolheu e concentre-se nos sabores mais subtis.

15 – Selecione uma frase de um livro e tente formar uma frase diferente utilizando as mesmas palavras.

16 – Monte um quebra-cabeça e tente encaixar as peças corretas o mais rapidamente que conseguir, cronometrando o tempo. Repita a operação e veja se progrediu.

17 – Experimente memorizar aquilo que precisa comprar no supermercado, em vez de elaborar uma lista.

18 – Ouça as notícias na rádio ou na televisão quando acordar. Durante o dia escreva os pontos principais de que se lembrar.

19 – Ao ler uma palavra, pense em outras cinco que comecem com a mesma letra.

20 – Leia atentamente e reflita sobre o texto.

Fonte: Supera

Não importa a idade, sofrer com dores nos ossos e articulações é sempre um problema insuportável.

Quem se movimenta muito durante o dia acaba sofrendo mais, é o caso de atletas e profissionais que trabalham em pé ou carregando peso. Uma das melhores formas encontradas de recuperar a cartilagem do joelho e quadril é consumir hortelã.

A hortelã é uma erva aromática que pode ser usada na culinária e para fins medicinais porque possui ação antiespasmódica e analgésica.

Trouxemos para você uma receita de chá de hortelã, que vai ajudar a aliviar as dores na região do joelho e quadril. Lembramos que esse tratamento é caseiro e natural, o ideal também é procurar uma orientação médica.

Veja a receita:

Ingredientes:

-1 colher (sopa) de hortelã seca;
-1 colher (sopa) de tomilho seco;
-1 colher (sopa) de sálvia seca;
-1 colher (sopa) de alecrim seco;
-1 litro de água.

Preparo

Ferva a água em uma panela e depois adicione as ervas. Após colocar as ervas deixe ferver por mais cinco minutos.

Desligue o fogo e deixe em descanso por 15 minutos. Você pode adicionar mel se desejar, para deixar a bebida com mais sabor. Armazenar a bebida na geladeira.

Beba duas xícaras por dia, sendo que a primeira tem que ser consumida ainda pela manhã em jejum e a segunda antes de dormir. Siga essa rotina por três semanas.

Você vai notar que os joelhos se fortalecerão e deixarão de doer. Também vai sentir uma melhora sensível no quadril.

* Nota: As informações e sugestões contidas neste artigo têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Fonte: Pensador Anônimo 

Foto: Guto Costa

Devagar, devagarinho, Martinho da Vila vai chegando lá. Cantor, compositor, poeta e escritor, o músico de 79 anos mostra que nunca é tarde para aprender e voltou às salas de aula. Ele é aluno do 5º período do curso de Relações Internacionais de uma universidade particular na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio.

Bastante aplicado, Martinho se destaca nas aulas por ser extremamente inteligente e dedicado. Esse é o primeiro curso universitário do cantor, que é autor de 14 livros com temas que variam sobre Brasil, política, samba e escravidão.

Procurado pelo EXTRA, o sambista contou que escolheu o curso de RI por causa do seu trabalho como embaixador da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

“Já pratico relações internacionais há muito tempo, mas eu queria pegar um pouco de conhecimento mais teórico”, explica. “Na faculdade, eu sou um aluno de conhecimento, um ouvinte. Faço os trabalhos que todos fazem, cumpro uma carga horário, mantenho a frequência nas aulas, mas não preciso fazer prova”.

Ele releva ainda que sua atitude de voltar a estudar tem servido de exemplo para muita gente retornar às salas de aula.

“Várias pessoas de uma certa idade, até de 50 anos, que tinham vontade de fazer um curso superior, mas que não tinham muita coragem, chegam e falam que foram incentivados por mim a estudar. E isso é bacana. Conhecimento nunca é demais”.

Fonte: Extra

O estilo de vida minimalista está (finalmente!) deixando de ser coisa só de casal aventureiro! Até um shopping center, nos Estados Unidos, fechou suas portas e foi transformado em um condomínio cheio de apartamentos pequeninos. Agora pessoas que vivem na “flor da idade” também estão aderindo ao movimento.

Segundo a Tumbleweeds Houses, cresce cada vez mais o número de idosos que buscam casas pequenas, a fim de diminuir suas responsabilidades na terceira idade. Afinal, entre outros benefícios, espaços assim tem o conforto de uma casa comum, mas sem a necessidade de grande empenho para manutenção, e são equipados com painéis solares – o que permite a independência energética e extingue as contas de luz!

Aos 72 anos de idade, a senhora Bette Presley se mudou para uma casa de 15 metros quadrados e não volta atrás de jeito nenhum. “Somos todos consumistas. Nós compramos muito. Não precisamos de tudo isso que temos”, acredita Bette. “Eu vivenciei a desordem, o viver em excesso, e não achei nada satisfatório”, conta em entrevista ao jornal San Luis Obispo Tribune.

O que a encanta sobre as casas minimalistas é sua portabilidade (e possibilidade de viajar com ela a qualquer momento). Sim, porque Bette adaptou sua moradia com mais janelas para apreciar ainda mais as vistas dos locais por onde passa e adicionou uma banheira externa para curtir, ao ar livre, suas viagens.

Fonte: The Greenest Post

“Me deixa! Estou estressado!” A geração que se estressa e se frustra por tudo. Que se consideram eternamente infelizes. O que buscam esses meninos? O que lhes prometeram? Que o importante é ser feliz? Que ele pode ser o que quiser, no lugar que quiser? Que se cursar a faculdade X vai se realizar, que se estudar na escola Y vai passar direto e depois é só correr para o abraço?

Jovens que vão aos consultórios com demandas frágeis e de muito sofrimento. A dor da falta do não faltar. Sensação de não pertencimento, de estar perdido, de não saber o que quer da vida, nem saber se quer alguma coisa. Geração de poucos adjetivos.

O show das três bandas foi TOP, a viagem à Disney foi LEGAL. O aniversário no buffet foi NORMAL. O casamento da melhor amiga foi CHATO. E se sentem frustrados, mas não identificam o que lhes falta.

Choram pelo golfinho ferido, mas não tiram seu prato da mesa do shopping.

Colaborar em casa é “favor”, arcar com despesas? Nem pensar! Participar de tarefas, seja para fazer compras no supermercado, alimentar os dogs, ir ao banco, cartório, farmácia…. tudo é postergado, é exaustivo.

Geração das polpas de frutas, não descasca laranja, não chupa caroço de manga. Vive de sonhos áureos, mas não quer pisar no chão quente para alcançá-los.

Começar a trabalhar sem muito ganhar, nem pensar. Quem marca suas consultas, médicos, dentistas?

Não visita avós, não sai de seus quartos vivendo no mundo irreal do Instagram. Aponta defeitos com comentários maldosos nas redes sociais. Não elogia. Acredita que todos exigem muito deles. Não oferecem seus préstimos. Reclamam do mínimo obstáculo. Culpam os pais por “forçarem a barra”.

Na escola, solucionaram problemas matemáticos em turmas avançadas e não conseguem solucionar problemas reais como tirar segunda via de boletos, ir à repartição pública e lidar com burocracias…

Querem respostas rápidas, fáceis e ficam aborrecidos sempre, mesmo quando essa resposta vem. Entediam-se. Trocam de escola, de curso, de emprego, de parceiros, de amigos, nada e nem ninguém os compreende. Nada os preenche.

Culpam o sistema, a família, o amigo difícil, o porteiro chato, a coordenadora do curso, a lei, o chefe que exige. Reclamam do almoço, de não ter roupa pra sair, de não ter dinheiro. Passam o dia no ar-condicionado, consumindo o salário dos pais.

Andam de carro, uber, táxi…. não lavam suas cuecas, nem suas calcinhas. Não buscam conhecimento. Nem espiritualidade.

Não se encantam com decorações natalinas, nem com um ipê florido no meio da avenida. Reivindicam direitos de expressão e não oferecem nada em troca. Nenhuma atitude.

Consideram-se vítimas dos pais. Julgam.

Juízes duros! Impiedosos! Condenam.

Choram pelo cachorro maltratado e desejam que o homem seja esquartejado.

Compaixão duvidosa.

Amorosidade mínima.

“Preciso disso! Tem que ser aquilo!” E haja insatisfação! Infelicidade. Descontentamento. Adoecimento. Depressão. Suicídio….

Geração estragada. Inconformada. Presa em suas desculpas. Acomodada em suas gaiolas de ouro.

Inertes, não assumem a responsabilidade de viver, de se mexer, de traçar seu caminho, de enfrentar o que está fora da caverna de Platão.

Postam sorrisos, praias paradisíacas, mas não se banham no mar curador. Limpam o lixo na praia com os amigos e não arrumam a própria cama. Em casa, estampam tristeza, sofrimento, dor…. a dor de ter que crescer sem fazer por onde…. merecer.”

Fonte: Seu Amigo Guru 

Reprodução: Samantha Bishop

A norte-americana Samantha Bishop fez um ensaio fotográfico sexy e divertido da própria mãe para presentear o pai. As fotos mostram a vovó, Lisa, em um ensaio boudoir um pouco fora do comum. Além de estar vestindo lingerie e fazendo poses sensuais, Lisa aparece nas imagens cercada de materiais de tricô. O resultado do ensaio fez sucesso nas redes sociais.

Ao site HuffPost, Samantha conta que a ideia de fazer o ensaio fotográfico surgiu há cerca de um ano como uma piada da própria mãe. “Ela achou hilário e queria fazer isso para o meu pai”, diz a fotógrafa.

Então, as duas planejaram unir o ar sexy do ensaio sensual com o universo das vovós para fazer os cliques. Para isso, ao mesmo tempo em que Lisa vestiu um sutiã de renda preto, ela manteve os cabelos enrolados em bobs. Enquanto as poses eram sexy, os acessórios de tricô de Lisa garantiam o senso de humor dos cliques.

Samantha aproveitou para registrar a reação do pai ao receber o presente com as fotos da esposa. Ele se divertiu ao ver as fotos de Lisa. “Ele riu como um garoto”, fala a fotógrafa. 

O ensaio sensual da vovó fez tanto sucesso que chegou a ser compartilhado por mais de 62 mil pessoas no Facebook e recebeu mais de 15 mil comentários. “Você é uma fotógrafa muito criativa”, escreveu uma usuária. “É lindo ver como um casal maduro continua louco um pelo outro. Espero que eles ainda tenham muitos anos de amor e risada juntos”, disse outra.

A repercussão foi tão positiva que Samantha transformou as fotos da mãe em um calendário disponível para venda, onde os compradores podem escolher suas fotos favoritas para compor cada mês. Além disso, a fotógrafa fez uma publicação falando como o ensaio fotográfico foi positivo para a autoestima e autoconfiança da sua mãe. “Ela decidiu que precisamos fazer uma segunda sessão de fotos”, fala.

Fonte: Bem Notícias 

Página 5 de 24« Primeira...34567...1020...Última »