Unidade Vila Mariana (11) 2275-2516/2276-2835

Unidade Moema (11) 2738-1700/2738-1900

Blog

Casal de idosos

Você já deixou de viajar por falta de disposição? Caso sua resposta seja “sim”, esse casal de idosos holandeses pode te encorajar a sair da zona de conforto: Christina e Willem Beekenkamp viajam pelo mundo há 60 anos, desde que se conheceram.

Tudo começou em 1958, quando Christina e Willem se conheceram na  Holanda  e costumavam viajar em um pequeno barco emprestado do pai dela, até se casarem e comprarem o próprio barco.

Vieram os filhos, e o casal não deixou sua paixão pela estrada de lado. Viajaram pela  Europa  com as crianças e foram comprando barcos para eles e para os filhos, que herdaram a paixão pelo mar e pelas grandes jornadas.

Casal de idosos

O casal chegou a construir veículos onde acampavam e dessa forma conheceram boa parte do mundo, carregando na bagagem apenas o básico, como amor. Tanto um pelo outro, como pela Mãe Terra, como diz Christina.

Após uma longa expedição pela América do Norte e América Central, em 1995, eles tomaram a decisão mais radical até então: venderam a casa e hoje fazem do mundo seu lar. Os dois estão na flor da idade: ela está com 84 anos, ele, com 81.

Casal de idosos

Em 2010, concluíram uma meta pessoal: com a viagem para o Iraque, conheceram todos 194 países membros das Nações Unidas. Se a história de Christina e Willem não te inspirar a viajar mais vezes, nada mais irá.

Referência: Go Hurb.

Coração

Estudo sobre perdão apresentado na 40ª edição do Congresso da Sociedade de Cardiologia de São Paulo (Socesp) revelou que quem perdoa sofre menos problemas no coração.

A observação foi feita a partir de dois grupos: o primeiro grupo constituído por pessoas que apresentavam infarto agudo do miocárdio (IAM) e o outro por indivíduos sem doença cardiovascular diagnosticada conhecida.

De acordo com a pesquisa, o grupo dos infartados foi o que mais apresentou dificuldade em perdoar. Enquanto que o grupo mais propenso a perdoar foi justamente o grupo 2, que não possuía nenhum problema cardíaco.

Por isso a associação entre o perdão e a saúde do coração. Dentre as situações que eles estão mais dispostos a perdoar estão:

  • Invasão de privacidade
  • Não receber atenção do parceiro ou parceira que te convidou para uma festa
  • Comentários negativos dentro da família, etc.

Estudo sobre perdão

Foram analisadas cerca de 130 pessoas pelo projeto desenvolvido na Universidade de Santo Amaro (UNISA), em São Paulo.

E além de tratar sobre o perdão, o estudo também verificou outros aspectos relacionados como os índices de espiritualidade entre as pessoas com e sem doenças cardiovasculares.

Nesse caso, não houve tanta disparidade religiosa. 19 dos integrantes do grupo de vítimas de infarto afirmaram sentir Deus várias vezes por dia. Já no grupo 2, esse número cresceu em apenas uma pessoa.

A hipótese é de que os pacientes que tiveram infarto aderiram a uma visão mais religiosa depois do problema como uma forma de lidar com a situação. Assim, a religiosidade deles se aproximou da dos demais.

Referência: Minha Vida

Animais

Todos nós sabemos que idosos negligenciados por suas famílias em casas de repousos, acabam com inúmeros distúrbios, como depressão, ansiedade e estresse. Com animais não seriam diferente.

Pensando nisso, o Pima County Animal Care Center, no Arizona, e o Catalina Springs, casa de repouso especializada em idosos com problemas de memória, fizeram uma parceria especial: unir animais e idosos carentes.

Os idosos dão carinho e cuidados para os gatinhos necessitados, deixando-os mais saudáveis, e em troca, a atividade melhora a condição mental dos idosos por meio do estímulo e conexão com os felinos.

Referência: Tribuna de Jundiaí

ano novo

“O futuro pertence a quem acredita na beleza dos seus sonhos.” – Eleanor Roosevelt  

É muito comum iniciar um novo ano com energias renovadas, a motivação em alta e uma lista de resoluções que queremos cumprir, de forma a mudar a nossa vida para melhor. Também é comum passado um mês ou dois do ano novo essas resoluções estarem esquecidas e fechadas numa gaveta porque eram demais, não tínhamos tempo, dinheiro, vontade, companhia… Este ano novo, esqueça literalmente a habitual lista de resoluções e concentre-se apenas em fazer deste, o seu melhor ano de sempre.  

  1. Um objetivo. Uma das principais razões pelas quais as nossas resoluções nunca deixam de ser isso mesmo é porque traçamos demasiados objetivos, a maioria dos quais extremamente vagos. Em vez de elaborar uma lista extensa, dedique-se apenas a um objetivo. Porquê? Porque a verdade é que somos mais poderosos e capazes de concretizar o que quer que seja se estivermos focalizados apenas numa coisa de cada vez. Se tiver 10 objetivos perderá demasiado tempo a olhar para todos eles e a decidir em que direção deve partir, o que deve fazer primeiro… se tiver um único objetivo à sua frente, poderá canalizar toda a sua atenção e energia para esse objetivo. E esse é um dos grandes segredos do sucesso, seja em que área for. Neste novo ano, concentre toda a sua atenção nesse objetivo e não só o vai conseguir concretizar, como vai sentir-se maravilhosamente bem por o ter conseguido.
  2. Crie um hábito novo. Os objetivos atingem-se por via dos hábitos, por isso, neste novo ano pense naquele hábito que, praticado diariamente, o vai ajudar a conquistar aquele objetivo único que estipulou para este ano. São os passos pequenos, mas contínuos, que permitem a concretização de objetivos mais vastos e importantes. Decidido qual o novo hábito que vai adotar – tendo sempre em conta a conquista do objetivo geral para o novo ano – dedique-se durante um mês à consolidação desse hábito diário, registando o seu progresso e procurando uma rede de suporte e apoio.  
  3. Hora de agir. Fazer uma lista de resoluções e traçar objetivos é relativamente fácil – o mais difícil é concretizá-los, porque até os melhores planos se tornam obsoletos se não agir, ou seja, se não arregaçar as mãos e começar a trabalhar. A ação é tudo e de forma a poder concretizar aquele objetivo que delineou para o novo ano, tem de começar a agir hoje, agora. Depois, amanhã concretize outra ação. Aliás, deve realizar uma ação palpável, que o leve cada vez mais perto da concretização do seu objetivo, todos os dias. Trate disso diariamente, logo pela manhã – pode ser algo tão simples como fazer 2 telefonemas ou levantar-se 30 minutos mais cedo. Acima de tudo, deve considerar essa ação a mais importante do dia, todos os dias. Se o fizer, será praticamente impossível falhar a concretização do seu objetivo.
  4. Simplifique. Menos é mais e a simplicidade na vida é tudo. Se dedicar algum tempo a simplificar a sua vida de alguma forma terá, certamente, um dos melhores anos de sempre. Quando temos os nossos dias demasiado cheios, a correr de um lado para outro, o mais certo é sentirmo-nos desgastados e sem rumo – tornamo-nos menos eficazes, menos felizes. Tornar a vida mais simples mantém-nos sãos e devolve-nos o poder, a eficácia e a motivação. Pare para refletir sobre as 4 ou 5 coisas mais importantes na sua vida e depois simplifique os seus compromissos, os seus planos, objetivos e listas de afazeres para que estes se alinhem com essas 4 ou 5 prioridades.
  5. Concentre-se na felicidade. Pode parecer um verdadeiro cliché, mas se resolver concentrar-se na felicidade, será efetivamente mais feliz. Não podia ser mais simples. O que é que lhe faz feliz? Então deve ser isso o foco da sua vida. Este ano, faça da felicidade a sua grande prioridade. Depois, faça tudo o que estiver ao seu alcance para tornar essa felicidade uma realidade.
  6. Agende tempo de qualidade para si e para quem mais ama. Se estas duas coisas não constam na sua lista de 4 ou 5 prioridades, então será uma boa ideia rever essa lista – pelo menos uma das coisas prioritárias deve ser fazer algo que goste e outra deve estar relacionada com passar tempo de qualidade com as pessoas de quem mais gosta. Por quê? Porque passar tempo de qualidade consigo, a fazer algo que adora fazer, vai ainda proporcionar-lhe tempo para refletir o que, por sua vez, vai ajudá-lo a eliminar o stress da sua vida e ser mais feliz. Não tem tempo? Arranje tempo! Passar tempo de qualidade com quem mais ama é fundamental na busca pela felicidade – faça disto uma prioridade absoluta!
  7. Aprenda a concentrar-se. A concentração é crucial para que possa atingir qualquer objetivo, quer seja aquele grande objetivo que traçou para o novo ano, quer sejam aquelas pequenas metas e lutas diárias que preenchem os nossos dias. É demasiado fácil perdemo-nos numa maré de papéis, telefonemas, emails ou outras distrações como a Internet. Se se permitir a si próprio a perda de concentração, será muito mais difícil realizar os seus objetivos. Para que este possa ser o seu melhor ano de sempre, aprenda a focalizar-se. Este pode muito bem ser um dos seus novos hábitos. Comece por identificar o seu principal objetivo para o ano novo, depois as suas 4-5 prioridades. Depois, concentre-se em pleno nessas coisas, todos os dias. Todas as manhãs ou na véspera, faça uma pequena lista das “3 coisas mais importantes que tenho de fazer hoje” e faça-as, com concentração absoluta e com a força de vontade necessária para eliminar todas e quaisquer distrações. Coloque o telefone em silêncio, organize a secretária, desligue a Internet… faça o que tiver de fazer para que se possa concentrar a 100% naquilo que tem para fazer. Terminada a primeira tarefa, faça uma pausa e recompense-se. Depois, parta para a tarefa seguinte. Para quem trabalha assim, nada é impossível.

Referência: Estado Zen.

Down

Apesar de hoje em dia a expectativa média de vida das pessoas com síndrome de Down estar entre 50 e 60 anos de idade, antigamente esta era bem mais baixa, não passando os 20 anos. Contudo, Georgie Wildgust contrariou todas as probabilidades e não só passou a média dos 20 anos, como até ultrapassou todas as expectativas, comemorando 77 anos de idade no dia 16 de Agosto de 2019.

Georgie acredita que a sua longevidade se deve à uma vida social activa e, claro, ao amor e apoio que sempre teve por parte da sua família.

Ainda que os médicos tivessem previsto que ele possivelmente não chegaria sequer aos 10 anos, a sua família sempre fez o possível para que este tivesse uma vida feliz, sendo hoje aposentado em Notthingham e uma das pessoas mais velhas do mundo com Síndrome de Down.

“A sua mãe sempre dizia que ele podia fazer qualquer coisa e, por isso, ele sempre foi muito independente.”, contou Nikki Wright, sobrinha de Georgie, que o visita todas as semanas.

Tendo trabalhado como jardineiro e criador de tapetes antes de se aposentar, Georgie vive actualmente num lar, após a morte da sua mãe em 1993. Contudo, tem dois irmãos, sendo que o irmão mais novo, Colin, 71 anos, morreu há três anos, e a sua irmã, Jean Yessyan, 79 anos, costuma conversar com ele através do Skype da Austrália.

“Honestamente, todos os dias em que você trabalha, ele faz você sorrir“, disse Kimberley Taylor, membro da equipe da clínica, segundo a BBC.

Um verdadeiro milagre e a prova de que o amor e carinho realmente dão anos de vida

ReferênciaSábias Palavras

Natal

Você sabia que quem faz a decoração de Natal mais cedo é mais feliz? É isso o que aponta uma pesquisa publicada no Journal of Environmental Psychology. Os pesquisadores Werner, Lewis e Brown estudaram a relação entre antecipar a montagem da decoração de Natal e a felicidade, mais especificamente a sociabilidade. Conheça melhor o estudo.

O que diz a pesquisa

Os pesquisadores buscaram associar a receptividade dos moradores das casas decoradas com a percepção das outras pessoas. Isso levou a um resultado sobre a abertura ou não do morador para novas amizades ou manutenção das já existentes.

Foi realizado o seguinte experimento:

  1. Os pesquisadores tiraram fotos de fachadas de casas – decoradas ou não – e fizeram testes com os moradores, a fim de averiguar sua receptividade aos outros vizinhos;
  2. Em seguida, mostraram essa fotos para estranhos e pediram para que dissessem se era uma família mais receptiva, disponível para amizades ou não;
  3. Depois relacionavam com o resultado dos testes realizados previamente.

O que eles descobriram é que a grande maioria acertou o perfil da família, de acordo com a frente da casa. Quem faz a decoração de Natal mais cedo é mais feliz porque as moradias estavam relacionadas a pessoas mais abertas e receptivas. Já as menos decoradas, o contrário.

Dessa forma, os pesquisadores concluíram, com base em seus testes e pesquisa bibliográfica, que por ter uma maior abertura e interação, as pessoas das casas mais bem decoradas eram mais felizes. Só que essa não é a única vantagem. Veja outras bastante interessantes também.

Outras vantagens de arrumar a decoração de Natal mais cedo

  1. Alivia o estresse

A decoração natalina pode te ajudar a relaxar mais, dada a leveza e alegria a qual ela remete. Chegar em casa, após uma jornada de trabalho, e ver tudo com aquelas cores e luzes especiais, faz com que o organismo libere o hormônio da felicidade.

Para quem fica mais tempo em casa, essa sensação de estar perto das festas também ajuda a relaxar mais.

  1. Abre portas

As luzes e enfeites natalinos literalmente abrem portas. Quem faz a decoração de Natal mais cedo é mais feliz e, como foi dito no estudo, a casa decorada passa a impressão de acolhimento e receptividade.

Isso faz com que ainda mais pessoas queridas e novas amizades procurem fazer uma visitinha. Quem sabe elas vêm com biscoitos e leite?

  1. Nostalgia

Lembrar do passado pode te levar para dentro de você. Reconectar-se com bons e não tão bons momentos vividos no passado pode trazer à tona alguns gatilhos perdidos. Repensar e trabalhar com maturidade o que passou, ajuda a amadurecer e encontrar o equilíbrio, através de um novo olhar – mais maduro – sobre o passado.

Relembrar as comilanças, a família reunida, as tradições, expectativas… Isso faz muito bem, sejam boas lembranças ou momentos para reflexão.

  1. Reencontro com a criança dentro de você

É impossível lembrar do Natal sem lembrar da infância. Aquela época mágica quando você ia dormir cedo para esperar o Papai Noel. Seria tão bom ainda acreditar nele, não é mesmo? Às vezes a vida precisa de um pouco de magia para ficar ainda mais interessante.

Decorar a casa mais cedo faz com que sua criança interior fique ativa por mais tempo, te ajudando a ter mais criatividade, dinamismo e capacidade de contemplação do belo, nos pequenos detalhes.

  1. Escape da rotina

Durante dois meses inteiros a sua casa estará diferente, linda, perfumada e iluminada! Esse escape da rotina é muito saudável e até necessário. Sair da zona comum faz com que sua mente se torne mais ativa, buscando coisas novas, pensamentos diferentes e outros olhares sobre a mesma realidade.

Referência: Leia Notícias.

Amigas

A história que você vai ler a seguir é daquelas que aquecem o coração de qualquer um. Conheça Olive Woodward e Kathleen Saville, duas senhorinhas de 89 anos da Inglaterra que, pasmem, são amigas desde os 11.

Olive e Kathleen se conheceram ainda na escola. De lá para cá, não se desgrudaram mais, tanto que hoje, quase 80 anos depois, elas ainda fazem questão de ficar juntas: a dupla acaba de se mudar para a mesma casa de repouso para se manter unida.

A amizade que se iniciou na infância foi fortalecida devido a alguns detalhes: as duas sempre moraram na mesma rua, e os maridos trabalhavam na mesma empresa. Tudo isso contribuiu para que a vida familiar não as separasse.

Mas nem tudo foi perfeito na vida das amigas. Kathleen perdeu o marido em 1989, após 35 anos de casamento, e viveu sozinha até o ano passado, quando se mudou para a clínica. O companheiro de Olive viveu 15 anos a mais que o de Kathleen e faleceu em 2004. Depois de morar só por algum tempo, ela decidiu se juntar à melhor amiga na instituição. As senhoras são as pacientes mais velhas de lá, mas quem convive com elas garante que, apesar de beirarem os 90 anos, as duas têm o espírito de 63.

E qual é o segredo para uma amizade tão duradoura? Segundo elas, é “nunca discutir e sempre contar ao outro o que pensa”. E, aparentemente, a fórmula realmente funciona. “Estou tão feliz que Olive esteja aqui agora”, diz Kathleen. 

Se isso não é o verdadeiro significado de “meta de amizade”, não sabemos o que é!

Referência: R7.

Felicidade

As coisas simples da vida são como aquelas estrelas que brilham em noites claras. Elas estão sempre lá, nos cercando, nos oferecendo sua magia sutil; No entanto, nem todos os dias paramos para olhar para elas ou lembramos que elas existem.

Somente quando estamos perdendo, somente quando a vida nos dá um revés pequeno ou grande, subitamente apreciamos o que realmente constrói nosso coração, o que constitui cada uma daquelas cordas internas que dão música e significado à nossa existência.

“As coisas simples, amáveis ​​e discretas formam dia a dia a borda da nossa vida, onde repousar em dias tempestuosos e onde todas as nossas alegrias fazem sentido.”

Algumas pessoas dizem que quanto mais simples o nosso modo de vida, menos preocupações teremos e menos erros faremos. Agora, todos estão livres para complicar suas vidas o quanto quiserem, todos nós temos o direito de assumir riscos, projetar sonhos e ter um círculo social tão amplo e variado quanto quisermos.

O principal, a chave de tudo, não é levar uma vida simples, mas ser simples em pensamentos e saber o que é importante, o que realmente faz nosso coração feliz e nos identifica. De lá, todos nós somos muito livres para construir nossos microuniversos individuais. Nós convidamos você a refletir sobre isso.

Coisas simples são as maiores coisas da vida

Há um fato que nos impressiona, o Google publicou há poucos dias quais são as pesquisas mais comuns entre os usuários. Entre elas, o que é quase sempre uma tendência é uma em particular: “como ser feliz?”

“Ser feliz é fechar os olhos e não querer mais nada e, para isso, basta deixar de medir a felicidade pelo dinheiro que temos ou não temos: mas por aquelas coisas simples que não mudaríamos por todo o dinheiro do mundo.”

Todos nós temos mais de uma coisa que nunca mudaríamos nem pela mais incrível das riquezas. A vida de seus filhos, seu parceiro, seus irmãos … E talvez até seus animais de estimação. Porque o que eles nos dão e o que lhes oferecemos é uma troca de afetos que não tem preço.

Agora, o problema com tudo isso é que a vida, às vezes, não é nada fácil. Você sabe, por exemplo, que a coisa mais importante para você são seus filhos, mas você deve completar um longo dia de trabalho que o impeça de estar com eles o tempo que desejaria.

Você gostaria, indubitavelmente, que tudo fosse mais fácil e, a partir daí, que às vezes nos sentíssemos perdidos diante de tantas pressões, tantas obrigações que dia após dia nos afastam do que é realmente essencial. Portanto, seria interessante pensar nesses aspectos por alguns instantes.

Levar uma vida plena e consciente

Levar uma vida plena e consciente é saber entender em que momento da sua vida você está e sentir o seu presente, o aqui e agora.

Devemos ser conscientes do que nosso coração nos diz e das necessidades que você tem ao seu redor. Você pode, por exemplo, trabalhar mais horas, dando-lhe a oportunidade de ter mais coisas, mas sabe que, apesar de tudo, prefere investir esse tempo em sua família.

Viver uma vida plena também é entender que todo esforço vale a pena, porque tudo que você faz te faz feliz e oferece felicidade aos seus.

Se não houver reciprocidade, não há cumprimento. Olhe para a sua vida como se fosse um círculo: se não houver equilíbrio consigo mesmo e com o que o rodeia, será difícil desfrutar dessa felicidade.

O prazer do simples é uma atitude

Nem todas as pessoas sabem como aproveitar as coisas simples que a vida lhes oferece. Talvez porque eles são incapazes de vê-los, outros porque não os apreciam e estão mais inclinados para o apego material, para satisfação imediata, o que não dura …

“Respire, ame, seja feliz, aproveite as coisas simples da vida … Este é o único urgente, o resto, embora você não acredite, é secundário.”

Desfrutar do prazer do simples é uma atitude que muitos cultivam porque já possuem uma paz interior adequada e sem artifício. O gozo do simples chega a alguns depois de uma longa jornada onde, de repente, agem de consciência e descobrem prazeres que não haviam tido em conta anteriormente:

  • O prazer de boas amizades.
  • Um bom dia e uma inesperada carícia.
  • Do riso contagiante de uma criança.
  • O vento embriagante depois de uma tempestade
  • De um sol que afunda no oceano em absoluto silêncio
  • De um despertar de domingo sem qualquer preocupação na mente

Não hesite em praticar essa simplicidade de pensamento e emoções no seu dia-a-dia, porque quando finalmente encontrarmos essa felicidade interior, ela durará para sempre porque estará conectada ao nosso verdadeiro eu.

Referência: Pensar Contemporâneo.

09 dez

Nossa Casa

por nossacasa

Bazar

Como sempre, o Bazar Beneficente da Nossa Casa foi de arrasar.

Muita alegria, muita animação, muita coisa legal!

No artesanato, as lindas e famosas peças produzidas pelas nossas hóspedes nas aulas de artes.  

 

Muitos amigos e familiares estavam presentes, tanto na unidade Moema quanto na Vila Mariana, e já garantiram seus presentes de Natal.

Dessa vez, a entidade assistida foi a Associação Cruz Verde (Referência em Paralisia Cerebral). 

Recebemos bastante doações como fraldas infantis, pasta de dente, escovas de dente e outros utensílios de higiene pessoal. Ajude você também. 

É muito bom poder somar alegria, boa ação e amor ao próximo.

Agora é reta final de 2019.

Boas festas! 

Ary Fontoura

Após o término de “A Dona do Pedaço” (Rede Globo), Ary Fontoura, que vivia o advogado Antero na novela, tirou uns dias de férias e viajou para Nova York, nos Estados Unidos.

O ator, que tem 86 anos, está dividindo os momentos com seus seguidores nas redes sociais e provou que idade é só um número ao bancar o “blogueirinho” no Instagram.

Ary Fontoura

Enquanto muitas pessoas enxergam a idade como um empecilho, Ary Fontoura está provando que ela só representa um número em sua vida.

Em Nova York, o ator está aproveitando o cenário natalino que já se espalhou pela cidade e os pontos turísticos para fazer fotos e vídeos.

E o mais legal é a maneira como ele está dividindo esses momentos com seus seguidores. Em um vídeo que publicou, Ary escreveu na legenda: “Primeiro registro aqui em New York”.

Nele, o ator mostrou um pouco da decoração de Natal da Times Square, um dos pontos turísticos e comerciais mais famosos de Nova York, e recomendou que os fãs conheçam a cidade.

“Aqui em Times Square, mandando um beijo para todo mundo. Desejo que todos vocês, aqueles que nunca estiveram aqui, venham um dia e os que já estiveram, voltem. Abração!”

Já em outro registro, Ary apareceu usando uma jaqueta, um gorro e óculos de sol e perguntou: “Gostaram do estilo?”

Na mesma imagem, o ator usou a #goovibes, que em português significa “boas vibrações” e, geralmente, é usada na linguagem de pessoas mais jovens na internet, mas ele mostrou que está por dentro das hashtags e do linguajar moderninho.

Mesmo com 86 anos, o ator continua com a motivação lá em cima.

Referência: Vix.

Página 5 de 32« Primeira...34567...102030...Última »