fbpx

Unidade Vila Mariana (11) 2275-2516/2276-2835

Unidade Moema (11) 2738-1700/2738-1900

Blog

22 dez

Só um pouco mais de paciência… 2020 está chegando ao fim, e o que mais ouvimos foi: “que ano, hein?”

O ano que irá para os livros de história, ficará marcado pra sempre como o ano do Coronavírus.

Experimentamos despedidas, encontros distantes, um Natal diferente, sem a presença da família reunida como de costume em todos os anos, possivelmente uma virada de ano mais silenciosa, pois não há ainda motivo suficiente para se comemorar.

Estamos todos na contagem regressiva para que acabe logo, que 2021 traga esperança de tempos melhores, mas sabemos que tempos melhores só acontecem com pessoas melhores.

Apesar de toda tristeza, angústia e sofrimento que o ano velho nos trouxe, podemos transformar tudo isso em combustível para de fato fazer a diferença no ano que vai nascer.

Que tal começar acreditando nisso?

Ano novo

Para um bom ano novo…

Em vez de “Adeus ano velho”, diga: o pior já passou;
Em vez de “Feliz Ano Novo”, diga: mudanças virão;
Em vez de “Que tudo se realize no ano que vai nascer”, diga: estou atento e aberto às oportunidades;
Em vez de “Muito dinheiro no bolso”, diga: que não falte nada em minha casa nem ao meu próximo;
E em vez de “Saúde pra dar e vender”, diga: gratidão por este bem maior.

Leia mais: Você já sabe os seus desejos para 2021?

Maíla C. D’addìo | Formada em Rádio e Televisão pela Universidade FMU
Radialista DRT 0034310/SP

Como você vai contar sobre a experiência da pandemia aos seus netos? Já refletiu sobre isso? Quando tudo passar, como serão as lembranças desse momento difícil? Sabemos que os mais velhos são donos de ricas histórias, protagonistas de grandes momentos – alguns dolorosos, outros felizes, mas, na grande maioria, momentos vitoriosos.

E então, qual será a versão da história que você passará aos seus filhos, netos ou bisnetos?

Pandemia: como você vai contar aos netos?

É fato que ainda vivemos momentos de perdas irreparáveis, mudanças inesperadas, distanciamento das pessoas que gostamos e que ainda não acabou, mas cabe a nós entender as entrelinhas de tudo, aprender ao máximo com a situação e passar essa experiência doida como uma lição de vida.

Selecionamos alguns bons exemplos…

O que a pandemia nos ensinou?

1. Aprendemos a valorizar as coisas simples, como um pôr do sol pela janela;
2. Nos tornamos pessoas menos gananciosas, pois entendemos que o dinheiro não compra saúde e muito menos negocia a hora de ficar ou partir;
3. Aprendemos a sorrir com os olhos e a nos comunicarmos melhor com o uso das máscaras;
4. Praticamos mais a paciência no convívio intenso com as pessoas da mesma casa;
5. Aprendemos a nos reinventar financeiramente;
6. E, por fim, descobrimos o verdadeiro valor de um abraço.

Leia mais: Como manter sua saúde mental

Maíla C. D’addìo | Formada em Rádio e Televisão pela Universidade FMU
Radialista DRT 0034310/SP

Vamos falar sobre os desejos para o próximo ano?

Estamos no fim de 2020. Podemos dizer que foi um ano pesado, triste, de muitas perdas e mudanças inesperadas. Tivemos que aprender a ficar longe das pessoas, desaprender a tocar, abraçar e beijar a quem amamos.

Fomos convidados a uma profunda reflexão, um mergulho para dentro de nós, fomos de encontro à nossa essência, e ali descobrimos que somos capazes das mais belas transformações, que somos melhores do que acreditamos ser, e que, sim, apesar de tudo, podemos viver em um mundo melhor.

Esse clima de final de ano também nos traz desejos de melhora, de esperança de um ano diferente, um ano de cura, de paz e volta ao normal. Então, vamos seguir neste pensamento e fazer a cada dia a nossa parte para que isso de fato aconteça.

Desejos para 2021

Leia mais: Otimismo ou pessimismo?

Nossa dica de hoje é: elabore uma lista de boas atitudes a praticar neste ano que vai nascer.

Dicas para um 2021 melhor

1. Cultive boas amizades, mesmo que à distância. Esta é uma maneira de amenizar a saudade e estar presente na vida de pessoas especiais;
2. Não deixe para amanhã o que se pode fazer hoje. O amanhã pode ser tarde demais ou não existir;
3. Ajude ao próximo sempre que possível. Essa simples atitude contagia mais gente do que podemos imaginar;
4. Respeite e valorize os mais velhos. Os idosos são os protagonistas que conhecemos das mais incríveis e verdadeiras histórias. Quando isso for possível, visite uma Casa de Repouso e peça para que contem suas experiências de vida;
5. Dê bons exemplos aos seus filhos. É isso que eles vão levar e lembrar de você para sempre.

Um ano melhor depende de cada um de nós. E, juntos, somos mais fortes.

Maíla C. D’addìo | Formada em Rádio e Televisão pela Universidade FMU
Radialista DRT 0034310/SP

02 dez

Saudade é uma palavra bem usada ultimamente para expressar a falta que estamos sentindo dos amigos e família. Já enfrentamos um rigoroso afastamento das coisas que gostamos, da rotina, pode-se dizer até que em um determinado momento da pandemia pudemos sentir saudade do trânsito doido de São Paulo. Pode? Pode.

A saudade às vezes pode doer, pode trazer arrependimento, mas é importante acreditar que ela também pode ser uma válvula propulsora para fazer a diferença!

Leia mais: Seja uma boa lembrança na vida de alguém!

Saudade

Como a saudade pode nos ajudar?

Assim: a saudade pode ser um sentimento que alimenta a esperança de dias melhores, de um mundo melhor com pessoas melhores. Nos motiva a buscar outros caminhos, outras maneiras de concretizar planos, resgatar algo ou até mesmo não deixar pra depois o que estamos com vontade de fazer.

Pensar na saudade por esse aspecto com certeza nos abre uma infinidade de possibilidades e novos significados para a nossa existência.

E do que você vai matar a saudade quando tudo estiver no seu normal? O que ela vai te motivar a fazer a diferença? O que você deixou pra depois e que está sentindo falta agora?

Quando tudo passar, vai, sai correndo e mata essa saudade que esmaga o peito! Realize, concretize e resolva!

Maíla C. D’addìo | Formada em Rádio e Televisão pela Universidade FMU
Radialista DRT 0034310/SP

O mundo ainda atravessa um momento delicado. Para cuidarmos da saúde, tivemos que nos adaptar a mudanças que nunca imaginamos viver, ficar longe das pessoas que amamos, sem poder frequentar os lugares que gostamos, fora a preocupação financeira… Tudo isso gerou muita frustração e angústia. Infelizmente, a tristeza passou a frequentar a rotina de muita gente, prejudicando a saúde mental.

É preciso parar e prestar atenção! Além de fazer a nossa parte, usando máscaras e cuidando da higiene e higienização de lugares e coisas, cuidar da saúde mental é algo muito importante que devemos fazer por nós mesmos.

Podemos virar a chave da tristeza para a alegria nos propondo mudanças simples.

Saúde mental

Sabe como? Praticando exercícios!

Não importa como, movimente-se! Já é comprovado que a prática de atividade física libera uma substância chamada endorfina, um hormônio que provoca a sensação de prazer e bem estar. Experimente aplicar pequenas doses de exercícios no seu dia e note a diferença.

Uma caminhada pela manhã, por exemplo, pode tornar o dia muito mais leve e positivo. Sem contar que aumenta os benefícios da vitamina D no organismo. Comece aos poucos, bem de leve, mas comece! Seja na academia, em casa, com a ajuda de aplicativos ou personal.

Leia mais: 3 dicas para comemorar o Natal com segurança

Cuide da saúde física e mantenha a saúde mental!

Maíla C. D’addìo | Formada em Rádio e Televisão pela Universidade FMU
Radialista DRT 0034310/SP

“Como será o Natal este ano?” Com certeza você já se fez essa pergunta.

A situação do mundo ainda está difícil, apesar de estarmos caminhando para uma maior flexibilização, os casos de Covid ainda estão em alta, não temos previsão de cura, ainda estamos longe do fim de tudo isso.

E então, como será o Natal? Sem a criançada correndo pra lá e pra cá? Sem os avós? Somente entre as pessoas da mesma casa?

O Natal é praticamente o único momento do ano em que é possível juntar a família toda, ou boa parte dela. Passar essa data tão importante sem comemorar é algo praticamente inimaginável.

Por isso, vamos ver algumas dicas que podem nos ajudar a resolver esse dilema.

Leia mais: 4 dicas para melhorar a sua relação com os seus pais e avós

Dicas para comemorar o Natal

3 dicas para comemorar o Natal com segurança

1. Drive Thru de troca de presentes: Pode-se eleger a casa de um familiar e marcar um dia e horário para os cumprimentos, de dentro do carro, e troca de presentes – higienizados, bonitinho!

2. Presentes Delivery: mandar entregar um lindo presente a alguém especial também pode ser uma boa saída. Existem infinitas possibilidades no mercado e isso também pode ser um incentivo aos pequenos empreendedores que começaram inclusive na pandemia.

3. Adaptar e não proibir: se não for possível as alternativas acima, tudo bem. Basta preparar o ambiente e as pessoas para que a festa possa acontecer em segurança. Diminuir o número de convidados, ou então fracioná-los entre a véspera e o almoço do Natal, reduzir a duração da reunião e também adaptar o ambiente com devido distanciamento. O vovô e a vovó, por exemplo, devem ter um cantinho especial. Decorá-lo com recadinhos e desenhos dos netos pode ser muito agradável e criativo.

Tão importante quanto as máscaras e álcool em gel, é manter vivo o espírito Natalino dentro de nossos corações!

Maíla C. D’addìo | Formada em Rádio e Televisão pela Universidade FMU
Radialista DRT 0034310/SP

“Qual é o dia mais importante da sua vida?”. Com certeza você já ouviu essa pergunta.

E qual sua resposta? Seu aniversário ou dos seus filhos? Aquele dia em que realizou o sonho da casa própria ou comprou um carro? A formatura?

Sim, podemos considerar como dias marcantes, inesquecíveis, mas o dia mais importante é nada mais nada menos do que HOJE! Sim! Hoje é o dia mais importante da sua vida!

Mesmo se estivermos atravessando um momento difícil como a perda de um ente querido, um amigo, uma grande oportunidade, o emprego, dificuldade financeira, a própria pandemia… o hoje ainda é o dia mais importante da nossa vida.

Precisamos saber que o ontem já não temos mais e o futuro ainda não nos pertence. Então, só nos resta o presente.

Dia mais importante da sua vida

Pensar no presente não significa que não devemos fazer planos ou programar algo e, sim, que não devemos deixar para depois o que podemos fazer agora. É preciso começar a agir. Faça uma lista ou uma anotação sobre como estão algumas áreas da sua vida e veja o que é possível fazer diferente a partir de HOJE!

Algumas ideias do que você já pode fazer…

Estudos: algum curso que queira fazer e sempre deixou para depois.
Realização profissional: busque dentro de você o seu verdadeiro talento, quem sabe não está no momento de ser um empreendedor ou empreendedora de sucesso?!
Realização pessoal: como está o seu relacionamento com as pessoas? Perdoe ou peça perdão. Exercite a paciência e a gratidão.

Ao acordar, comece com: HOJE EU VOU… e faça ao menos alguma coisa da lista.

Hoje é sempre um novo dia; o presente, um presente!

Leia mais: Seja uma boa lembrança na vida de alguém

Maíla C. D’addìo | Formada em Rádio e Televisão pela Universidade FMU
Radialista DRT 0034310/SP

04 nov

Ah, as máscaras… quando nos livraremos delas? Mas, se pensarmos bem, o que pudemos aprender com elas? Já pensou nisso? Além da proteção contra o ainda desconhecido vírus que circula pelo mundo, elas funcionam como um filtro. Filtro contra poluição, contra outras doenças respiratórias e também como um filtro de pensamentos.

Como assim?

As máscaras nos fazem refletir sobre o momento delicado que atravessamos, sobre o cuidado que devemos ter conosco e com o próximo e também nos fazem pensar sobre o que devemos prestar mais atenção ao usá-las.

Idosos devem usar máscaras contra o coronavírus

Por exemplo…

Tivemos que aprender a sorrir com os olhos, falar menos e ouvir mais.
Elas nos lembram todos os dias sobre aproveitar mais o tempo que é tão único e precioso.
Elas nos lembram que somos todos iguais, independente de situação financeira ou status.
Elas nos propõem um mergulho aos sentimentos nobres, sobre a descoberta em ser um ser melhor.
Elas nos convidam todos os dias à possibilidade de fazer diferente e de fazer a diferença na vida de alguém.

Vai chegar o dia em que as jogaremos ao alto como sinal de liberdade, mas seus ensinamentos estarão fixados em nosso consciente e coração. Seremos pessoas mais fortes, mais sábias e principalmente, seremos mais humanos.

E seguimos aprendendo…

Leia mais: O novo normal é agora. E agora?

Maíla C. D’addìo | Formada em Rádio e Televisão pela Universidade FMU
Radialista DRT 0034310/SP

Nossas atitudes dizem muito sobre o tipo de lembrança que deixaremos para trás. Esquecendo um pouco a famosa frase “a primeira impressão é a que fica”, qual será a principal impressão que você deixará aos outros?

Uma curiosa reflexão é imaginar o que as pessoas diriam em um evento em lembrança da sua vida? Foi um bom amigo ou amiga, uma boa mãe ou pai, filho ou filha, irmão ou irmã, marido, esposa… como foi sua relação com as pessoas em vida?

Pode até parecer um assunto pesado, mas é a mais pura verdade. Imaginou?

Boa lembrança com amigos

O bom é saber que se você está lendo isso, significa que ainda há tempo de melhorias, caso necessário!

Algumas dicas sábias também devem ser seguidas…

Perdoe aquela pessoa que te chateou no passado. Livre do seu coração qualquer sentimento negativo com relação a alguém.
Aceite as pessoas como elas são. Somos diferentes, carregamos histórias de vida e ensinamentos diferentes. Aceitar de verdade é a maneira mais fácil de não sofrer menos.
Não guarde mágoas. Elas não levam a nada e ainda são causadoras de doenças difíceis de tratar. A raiva, o rancor e remorso são como venenos que ingerimos esperando que o outro morra.
Agradeça! Cada dia que nasce é uma nova oportunidade de se tornar uma pessoa melhor.

E aí, como você realmente quer ser lembrado?

Maíla C. D’addìo | Formada em Rádio e Televisão pela Universidade FMU
Radialista DRT 0034310/SP

22 out

Você se considera uma pessoa otimista ou pessimista? Como está o equilíbrio entre o otimismo e o pessimismo na sua vida?

Vamos a algumas situações:
Se está fazendo calor, você: reclama ou agradece por não estar chovendo pois saiu de casa sem guarda chuva?
Se está chovendo, você: reclama ou agradece por sentir o ar mais agradável?
Esqueceu algo e teve que voltar, você: reclama ou pensa que pode ter se livrado daquela batida na porta da sua casa?
Fila no mercado, você: reclama ou agradece por poder estar ali fazendo suas compras?

São várias situações no dia a dia onde nos são oferecidas oportunidades de mudar nosso pensamento negativo, que muitas vezes é automático, para o positivo e potencializar o otimismo.

Quando tornamos essa atitude um hábito, as soluções para os problemas tendem a aparecer com mais frequência. Estamos abertos ao positivo e aprendendo com cada situação.

Leia mais: Você diz o que realmente precisa dizer?

Otimismo ou pessimismo

Mas como tornar o otimismo um hábito?

Existe um exercício bem interessante para ajudar a reconhecer as situações positivas do dia a dia. Não importa quantas coisas denominadas ruins aconteceram, sempre vai ter algo de bom.

No final de cada dia, você vai anotar em um caderno três coisas boas que aconteceram.

No início pode até parecer difícil, mas com o passar do tempo, os pensamentos positivos surgem de forma orgânica e otimismo estará sempre ao seu lado!

Tente!

Maíla C. D’addìo | Formada em Rádio e Televisão pela Universidade FMU
Radialista DRT 0034310/SP

Página 3 de 3712345...102030...Última »