Unidade Vila Mariana (11) 2275-2516/2276-2835

Unidade Moema (11) 2738-1700/2738-1900

Blog

O mundo ainda atravessa um momento delicado. Para cuidarmos da saúde, tivemos que nos adaptar a mudanças que nunca imaginamos viver, ficar longe das pessoas que amamos, sem poder frequentar os lugares que gostamos, fora a preocupação financeira… Tudo isso gerou muita frustração e angústia. Infelizmente, a tristeza passou a frequentar a rotina de muita gente, prejudicando a saúde mental.

É preciso parar e prestar atenção! Além de fazer a nossa parte, usando máscaras e cuidando da higiene e higienização de lugares e coisas, cuidar da saúde mental é algo muito importante que devemos fazer por nós mesmos.

Podemos virar a chave da tristeza para a alegria nos propondo mudanças simples.

Saúde mental

Sabe como? Praticando exercícios!

Não importa como, movimente-se! Já é comprovado que a prática de atividade física libera uma substância chamada endorfina, um hormônio que provoca a sensação de prazer e bem estar. Experimente aplicar pequenas doses de exercícios no seu dia e note a diferença.

Uma caminhada pela manhã, por exemplo, pode tornar o dia muito mais leve e positivo. Sem contar que aumenta os benefícios da vitamina D no organismo. Comece aos poucos, bem de leve, mas comece! Seja na academia, em casa, com a ajuda de aplicativos ou personal.

Leia mais: 3 dicas para comemorar o Natal com segurança

Cuide da saúde física e mantenha a saúde mental!

Maíla C. D’addìo | Formada em Rádio e Televisão pela Universidade FMU
Radialista DRT 0034310/SP

“Como será o Natal este ano?” Com certeza você já se fez essa pergunta.

A situação do mundo ainda está difícil, apesar de estarmos caminhando para uma maior flexibilização, os casos de Covid ainda estão em alta, não temos previsão de cura, ainda estamos longe do fim de tudo isso.

E então, como será o Natal? Sem a criançada correndo pra lá e pra cá? Sem os avós? Somente entre as pessoas da mesma casa?

O Natal é praticamente o único momento do ano em que é possível juntar a família toda, ou boa parte dela. Passar essa data tão importante sem comemorar é algo praticamente inimaginável.

Por isso, vamos ver algumas dicas que podem nos ajudar a resolver esse dilema.

Leia mais: 4 dicas para melhorar a sua relação com os seus pais e avós

Dicas para comemorar o Natal

3 dicas para comemorar o Natal com segurança

1. Drive Thru de troca de presentes: Pode-se eleger a casa de um familiar e marcar um dia e horário para os cumprimentos, de dentro do carro, e troca de presentes – higienizados, bonitinho!

2. Presentes Delivery: mandar entregar um lindo presente a alguém especial também pode ser uma boa saída. Existem infinitas possibilidades no mercado e isso também pode ser um incentivo aos pequenos empreendedores que começaram inclusive na pandemia.

3. Adaptar e não proibir: se não for possível as alternativas acima, tudo bem. Basta preparar o ambiente e as pessoas para que a festa possa acontecer em segurança. Diminuir o número de convidados, ou então fracioná-los entre a véspera e o almoço do Natal, reduzir a duração da reunião e também adaptar o ambiente com devido distanciamento. O vovô e a vovó, por exemplo, devem ter um cantinho especial. Decorá-lo com recadinhos e desenhos dos netos pode ser muito agradável e criativo.

Tão importante quanto as máscaras e álcool em gel, é manter vivo o espírito Natalino dentro de nossos corações!

Maíla C. D’addìo | Formada em Rádio e Televisão pela Universidade FMU
Radialista DRT 0034310/SP

“Qual é o dia mais importante da sua vida?”. Com certeza você já ouviu essa pergunta.

E qual sua resposta? Seu aniversário ou dos seus filhos? Aquele dia em que realizou o sonho da casa própria ou comprou um carro? A formatura?

Sim, podemos considerar como dias marcantes, inesquecíveis, mas o dia mais importante é nada mais nada menos do que HOJE! Sim! Hoje é o dia mais importante da sua vida!

Mesmo se estivermos atravessando um momento difícil como a perda de um ente querido, um amigo, uma grande oportunidade, o emprego, dificuldade financeira, a própria pandemia… o hoje ainda é o dia mais importante da nossa vida.

Precisamos saber que o ontem já não temos mais e o futuro ainda não nos pertence. Então, só nos resta o presente.

Dia mais importante da sua vida

Pensar no presente não significa que não devemos fazer planos ou programar algo e, sim, que não devemos deixar para depois o que podemos fazer agora. É preciso começar a agir. Faça uma lista ou uma anotação sobre como estão algumas áreas da sua vida e veja o que é possível fazer diferente a partir de HOJE!

Algumas ideias do que você já pode fazer…

Estudos: algum curso que queira fazer e sempre deixou para depois.
Realização profissional: busque dentro de você o seu verdadeiro talento, quem sabe não está no momento de ser um empreendedor ou empreendedora de sucesso?!
Realização pessoal: como está o seu relacionamento com as pessoas? Perdoe ou peça perdão. Exercite a paciência e a gratidão.

Ao acordar, comece com: HOJE EU VOU… e faça ao menos alguma coisa da lista.

Hoje é sempre um novo dia; o presente, um presente!

Leia mais: Seja uma boa lembrança na vida de alguém

Maíla C. D’addìo | Formada em Rádio e Televisão pela Universidade FMU
Radialista DRT 0034310/SP

04 nov

Ah, as máscaras… quando nos livraremos delas? Mas, se pensarmos bem, o que pudemos aprender com elas? Já pensou nisso? Além da proteção contra o ainda desconhecido vírus que circula pelo mundo, elas funcionam como um filtro. Filtro contra poluição, contra outras doenças respiratórias e também como um filtro de pensamentos.

Como assim?

As máscaras nos fazem refletir sobre o momento delicado que atravessamos, sobre o cuidado que devemos ter conosco e com o próximo e também nos fazem pensar sobre o que devemos prestar mais atenção ao usá-las.

Idosos devem usar máscaras contra o coronavírus

Por exemplo…

Tivemos que aprender a sorrir com os olhos, falar menos e ouvir mais.
Elas nos lembram todos os dias sobre aproveitar mais o tempo que é tão único e precioso.
Elas nos lembram que somos todos iguais, independente de situação financeira ou status.
Elas nos propõem um mergulho aos sentimentos nobres, sobre a descoberta em ser um ser melhor.
Elas nos convidam todos os dias à possibilidade de fazer diferente e de fazer a diferença na vida de alguém.

Vai chegar o dia em que as jogaremos ao alto como sinal de liberdade, mas seus ensinamentos estarão fixados em nosso consciente e coração. Seremos pessoas mais fortes, mais sábias e principalmente, seremos mais humanos.

E seguimos aprendendo…

Leia mais: O novo normal é agora. E agora?

Maíla C. D’addìo | Formada em Rádio e Televisão pela Universidade FMU
Radialista DRT 0034310/SP

Nossas atitudes dizem muito sobre o tipo de lembrança que deixaremos para trás. Esquecendo um pouco a famosa frase “a primeira impressão é a que fica”, qual será a principal impressão que você deixará aos outros?

Uma curiosa reflexão é imaginar o que as pessoas diriam em um evento em lembrança da sua vida? Foi um bom amigo ou amiga, uma boa mãe ou pai, filho ou filha, irmão ou irmã, marido, esposa… como foi sua relação com as pessoas em vida?

Pode até parecer um assunto pesado, mas é a mais pura verdade. Imaginou?

Boa lembrança com amigos

O bom é saber que se você está lendo isso, significa que ainda há tempo de melhorias, caso necessário!

Algumas dicas sábias também devem ser seguidas…

Perdoe aquela pessoa que te chateou no passado. Livre do seu coração qualquer sentimento negativo com relação a alguém.
Aceite as pessoas como elas são. Somos diferentes, carregamos histórias de vida e ensinamentos diferentes. Aceitar de verdade é a maneira mais fácil de não sofrer menos.
Não guarde mágoas. Elas não levam a nada e ainda são causadoras de doenças difíceis de tratar. A raiva, o rancor e remorso são como venenos que ingerimos esperando que o outro morra.
Agradeça! Cada dia que nasce é uma nova oportunidade de se tornar uma pessoa melhor.

E aí, como você realmente quer ser lembrado?

Maíla C. D’addìo | Formada em Rádio e Televisão pela Universidade FMU
Radialista DRT 0034310/SP

22 out

Você se considera uma pessoa otimista ou pessimista? Como está o equilíbrio entre o otimismo e o pessimismo na sua vida?

Vamos a algumas situações:
Se está fazendo calor, você: reclama ou agradece por não estar chovendo pois saiu de casa sem guarda chuva?
Se está chovendo, você: reclama ou agradece por sentir o ar mais agradável?
Esqueceu algo e teve que voltar, você: reclama ou pensa que pode ter se livrado daquela batida na porta da sua casa?
Fila no mercado, você: reclama ou agradece por poder estar ali fazendo suas compras?

São várias situações no dia a dia onde nos são oferecidas oportunidades de mudar nosso pensamento negativo, que muitas vezes é automático, para o positivo e potencializar o otimismo.

Quando tornamos essa atitude um hábito, as soluções para os problemas tendem a aparecer com mais frequência. Estamos abertos ao positivo e aprendendo com cada situação.

Leia mais: Você diz o que realmente precisa dizer?

Otimismo ou pessimismo

Mas como tornar o otimismo um hábito?

Existe um exercício bem interessante para ajudar a reconhecer as situações positivas do dia a dia. Não importa quantas coisas denominadas ruins aconteceram, sempre vai ter algo de bom.

No final de cada dia, você vai anotar em um caderno três coisas boas que aconteceram.

No início pode até parecer difícil, mas com o passar do tempo, os pensamentos positivos surgem de forma orgânica e otimismo estará sempre ao seu lado!

Tente!

Maíla C. D’addìo | Formada em Rádio e Televisão pela Universidade FMU
Radialista DRT 0034310/SP

Diante de tantas incertezas decorrentes da pandemia, as medidas de segurança se tornaram prioridade na maioria dos cotidianos. 

Por consequência, novos hábitos foram adotados com o objetivo de prevenir e garantir o bem-estar de familiares, amigos e da sociedade como um todo.

Com isso, por receio da exposição e de contrair o novo corona vírus, muitos compromissos importantes tiveram de ser adiados — alguns deles, indispensáveis.

Outubro Rosa: a importância de prevenir

De fato, estamos atravessando uma fase difícil, mas atualmente, com a flexibilização, já é possível remarcar e dar continuidade a tratamentos e check-ups de rotina, por exemplo.

Ainda tomando todas as devidas cautelas, com máscara, distanciamento social e álcool em gel, retomar os exames clínicos e os zelos com a saúde pode prevenir muito além da COVID-19.

Fechando as portas para que outras doenças oportunistas e sérias não se instalem em nosso organismo, agora, mais do que nunca, é preciso redobrar os cuidados com a saúde.

Não só cuidando do físico e da mente, investindo em uma boa alimentação, bebendo bastante água e praticando exercícios e boas atitudes, mas também, comprometer-se com as consultas médicas.

Outubro Rosa: a importância de prevenir o câncer de mama

Neste mês, o Outubro Rosa está aí para nos lembrar muito bem sobre isso. 

Campanha de conscientização sobre o câncer de mama, o Outubro Rosa alerta e relembra a importância do autoexame, das consultas periódicas e do diagnóstico precoce.

Um importante lembrete para que mulheres (e homens!) ao redor do mundo consigam prevenir a doença e compartilhar a mensagem da causa.

Tudo vai passar! Mas, enquanto pudermos agir e sermos os primeiros a fazer diferente pelo nosso melhor, devemos! 

Maíla C. D’addìo – Formada em Rádio e Televisão pela Universidade FMU
Radialista DRT 0034310/SP

Já parou para pensar quem é a pessoa mais importante da sua vida?

Provavelmente, a fim de responder a questão acima e título do nosso artigo de hoje, você tenha pensado nos filhos, pais, parentes ou amigos, certo?

Muito bem, então aqui vai outra pergunta: Em algum momento você pensou em si mesmo(a)? 

Quem é a pessoa mais importante pra você?

Pois é, olhar o próximo é um gesto fundamental e muito nobre, mas, pensar em nós também é uma atitude necessária.

Quando valorizamos a nossa pessoa — e nos colocamos em primeiro lugar , podemos estar bem e em nossa melhor versão para poder ajudar ou se doar a alguém. 

A empatia é um ato de amor. Mas, a lição mais importante é compreender que somente quando nos amamos é que estamos prontos a praticar o amor a quem precisa. 

Respeitar a sua vontade, o seu corpo, os seus sentimentos e o seu tempo é uma virtude. 

Levar as suas opiniões em consideração, zelar pelo nosso bem-estar próprio e nos promover mais qualidade de vida, também pode servir de exemplo para alguma pessoa próxima.

Antes desta leitura, quanto tempo levaria para que a sua resposta fosse simplesmente “eu”?

E agora, quem é a pessoa mais importante pra você? 

Maíla C. D’addìo – Formada em Rádio e Televisão pela Universidade FMU
Radialista DRT 0034310/SP

Com certeza você já se deparou com diversas opiniões e divergentes pontos de vista sobre casas de repouso

Muitas pessoas consideram os residenciais para idosos locais de abandono, esquecimento, descaso e solidão.

No entanto, antes de generalizar os serviços das casas de repouso ou formar uma concepção apenas por conhecimento de comentários alheios, é preciso entender um pouco mais sobre a realidade do setor.

Se voltarmos um pouco no tempo, podemos perceber que as coisas eram bem diferentes. 

A intensa rotina de trabalho não existia como atualmente, desta forma, era normal que sempre houvesse alguém em casa para, então, cuidar dos avós e/ou pais, compartilhando com eles a nossa companhia.

Com a correria do dia a dia, o trabalhar e estudar fora, e, agora, com a retomada das atividades após a quarentena, fica mais difícil oferecer a total atenção e estímulos especiais que os idosos precisam. 

Casas de repouso: o que as pessoas pensam sobre?

Uma vez que o zelo com as pessoas na terceira idade envolvem atividades, exercícios, bem-estar, medicações, boa alimentação, auxílio para realizar tarefas, entre outras questões, a assistência 24 horas por dia é a solução ideal para que os idosos recebam o acompanhamento necessário para viver bem.

E é exatamente aí que entram os residenciais para idosos, casas de repouso, centros de vivência e outros. 

Lugares especializados em cuidar do seu bem maior, manter vínculos familiares e atender todas as necessidades de senhores e senhoras de idade,  como se fosse a extensão da sua própria casa. 

Com muita dedicação e carinho, as casas de repouso acolhem idosos para protegê-los com muita hospitalidade e respeito.

Casas de repouso são ótimos para os idosos

Procure conhecer pessoalmente, conversar e observar, assim, você poderá notar que o ambiente e cotidiano promovidos pelos residenciais são confiáveis e favoráveis a disposição e conforto dos futuros e futuras hóspedes.

E agora, já está reconsiderando o seu conceito sobre casas de repouso?

Esperamos que sim! Já que acreditamos que oferecer a oportunidade de uma melhor qualidade de vida para quem sempre cuidou de nós não é abandono, e sim, uma verdadeira prova de amor e gratidão. 

Maíla C. D’addìo – Formada em Rádio e Televisão pela Universidade FMU
Radialista DRT 0034310/SP

Criada no Brasil em 2015, o Setembro Amarelo é a campanha para a conscientização sobre a prevenção ao suicídio. 

A ação, como o próprio nome diz, reforça a atenção da sociedade aos cuidados e recomendações de prevenção ao suicídio com a cor amarela durante o mês 9.

E, apesar do movimento acontecer apenas em setembro, as precauções devem ser abordadas ao longo do ano, a fim de garantir mais visibilidade à causa.

Setembro Amarelo: como ajudar?

A campanha do Setembro Amarelo é uma forma de informar a todos sobre a importância de estar sempre atento ao próximo, ainda mais no momento que o mundo está passando

Muitas viram suas vidas virarem de cabeça para baixo, enfrentaram períodos difíceis tanto pessoalmente, quanto profissionalmente , tiveram de encarar isolamentos severos e outras situações completamente atípicas e inesperadas.

Isso tudo, somados a inúmeros outros motivos particulares, podem, eventualmente, colocar as pessoas em condições mais vulneráveis e delicadas.

Com isso, a população deve se atentar e compreender que este cenário não deve ser ignorado, pois não se trata de frescura, drama, falta de fé, etc.

É preciso valorizar a vida!

Setembro Amarelo, apoie essa campanha.

Geralmente quem está passando por esse período não consegue identificar que precisa de ajuda, e muitas vezes, se fecha em um mundo paralelo e não permite que as pessoas se aproximem. 

No entanto, o Setembro Amarelo carrega a responsabilidade de zelar pelo próximo com consciência, consideração e empatia.

Então, quando possível, estenda a mão, dê uma palavra amiga, ofereça o ombro, converse ou apenas escute. 

Com certeza, uma dessas atitudes pode fazer toda diferença na vida de alguém, e pode ser a abertura necessária para que a pessoa coloque para fora o que lhe aflige e resolva buscar auxílio. 

Faça a sua parte e ajude a salvar vidas!

Maíla C. D’addìo – Formada em Rádio e Televisão pela Universidade FMU
Radialista DRT 0034310/SP

Página 1 de 3412345...102030...Última »