Unidade Vila Mariana (11) 2275-2516/2276-2835

Unidade Moema (11) 2738-1700/2738-1900

Blog

07 out

Nossa Casa

por nossacasa

Tarde Japonesa Nossa Casa

A Nossa Casa está sempre promovendo eventos diferentes para a quebra da rotina das nossas meninas.

Em agosto, tivemos o Mc Dia Feliz com direito a um Ronald pra lá de especial. 

E no mês de setembro, a Nossa Casa promoveu uma Tarde Japonesa. 

Um delicioso Buffet japonês com delícias preparadas na hora e também apresentação Taiko, instrumentos japoneses de percussão. O som dos tambores arrepiaram a todos. A apresentação foi no estacionamento, contagiava até quem passava na rua! 

Foi mesmo muito emocionante. 

A nossa Marcia, arrasou no look de gueixa. 

Foi realmente uma tarde deliciosa! 

Arigato!

ありがと

Idoso faz Enem

Obstinação e continuação são sinônimos da palavra persistência. Características essas que definem João Isaac. Aos 64 anos, ele enfrentou pela quinta vez o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), em Porto Velho.

O sonho de se tornar engenheiro civil não sai dos planos de Isaac. Mecânico de formação e com mais de 30 anos de experiência, ele diz que é uma questão de tempo para realizar o desejo de sentar em uma cadeira de faculdade. “Eu não desisto porque tenho certeza que a minha hora vai chegar. Eu não tenho pressa, o que tenho é certeza que vou realizar o meu sonho”, declara.

O desejo do idoso de cursar engenharia civil surgiu enquanto o filho, Clebson Vasconcelos, se formava em arquitetura.

“A paixão dele me envolveu ao ponto de despertar em mim o desejo de me formar e, quem sabe um dia, poder trabalhar ao lado dele em um projeto”, revela.

Rotina de estudo

Acordar às 5h, preparar o café e começar a estudar era a rotina do idoso há meses. Ele conta que usa a tecnologia a favor dele na hora dos estudos.

“Com a internet tudo ficou mais prático. Consigo fazer vários testes que simulam as provas do Enem, também faço pesquisas de forma objetiva e busco estar atualizado”, conta.

Em outubro, o idoso esteve no Aulão na Rede, realizado pela Rede Amazônica, para reforçar o conteúdo da prova. “Ações assim, que contam com professores comentando e dando dicas para o Enem, ajudam a fixar o conteúdo”, comenta.

Fonte: G1.

Sadio Mané

A vida de pobreza pode ter ficado para trás, mas Sadio Mané não se esquece desses tempos.

“Para que quero dez Ferraris, 20 relógios com diamantes e dois aviões? O que faria isso pelo mundo? Eu passei fome, trabalhei no campo, joguei descalço e não fui à escola. Hoje posso ajudar as pessoas. Prefiro construir escolas e dar comida ou roupa às pessoas pobres”, afirmou o jogador do Liverpool em entrevista.

“Construímos escolas, um estádio, damos roupas, sapatos, comida às pessoas que vivem em pobreza extrema. Dou 70 euros por mês a todas as pessoas de uma região extremamente pobre do Senegal, o que ajuda na economia familiar”, explicou Sadio Mané.

“Não preciso de exibir carros de luxo, casas luxuosas, viagens e até aviões. Prefiro que a minha gente receba um bocadinho do que a vida me deu.”

Vovó

Provavelmente já passou pela sua cabeça que é preciso aproveitar para viajar e conhecer o mundo enquanto ainda se é novo, né? Mas, afinal, o que te faz pensar que existe uma idade ou fase certa para sair por aí desbravando cada cantinho do mundo? A verdade é que nunca é tarde demais para fazer as malas e se jogar em aventuras da vida!

Motivada pela vontade de viajar e conhecer lugares diferentes, a russa Elena Mikhailovna, de 90 anos, é a prova de que não existe idade limite para fazer o que nos deixa feliz. Por trás de seus enormes óculos, das rugas e dos cabelos brancos, “Vó Lena” como foi carinhosamente apelidada, viaja sozinha, de cajado, mochila nas costas e tem uma vida repleta de histórias. Histórias que com certeza servem de inspiração para as pessoas de todas as idades que sonham em viajar por aí.

A ideia de rodar o mundo partiu de amigos quando a russa tinha 83 anos, ou seja, 7 anos atrás. De lá para cá, Vó Lena viajou uma vez para a Polônia, para o Vietnã e para Israel, duas para a Alemanha e cinco para a República Checa. Além do dinheiro da aposentadoria, ela trabalha vendendo flores e ainda recebe contribuições de alguns parentes para poder realizar seu sonho de viajar cada vez mais. Atualmente ela viaja pelo menos duas vezes ao ano.

Vó Lena também revelou que embora tenha uma saúde consideravelmente frágil, prefere sair por aí e conhecer o mundo, ao invés de ficar em casa, na cidade de Krasnoyarsk, a cerca de 4 mil quilômetros de Moscou.
Ao ser perguntada sobre o que os conhecidos pensam a respeito do seu espírito aventureiro, ela brinca: “As meninas estão com inveja”.

“Quero dizer a todos da minha idade: não tenham medo de viajar. É necessário e útil conhecer o mundo” – afirmou a aposentada.  Para ela, viajar é um meio de se sentir viva e de conhecer pessoas e culturas novas.

 

FonteGostaria de Ir

Sorrir

É bem provável que você já tenha ouvido falar que “sorrir é o melhor remédio”. O que talvez você não saiba é que, de fato, essa afirmação é uma verdade e sorrir faz bem para saúde comprovadamente.

Diversos estudos pelo mundo têm associado o sorriso a alguns benefícios para o nosso corpo e para a mente. Então, aproveite para conhecer a seguir algumas das principais razões para investir no bom humor no seu dia a dia!

  1. Aumento da atividade do organismo

Um estudo da Universidade de Loma Linda, na Califórnia (EUA), apontou que sorrir conseguia impactar na produção e atividade das células conhecidas como NK (ou natural killers), que seriam as responsáveis pelo combate de alguns prejuízos ao organismo — como a destruição de vírus, tumores etc.

Isso quer dizer que o riso é capaz de aumentar a atividade do organismo no sentido de proteger a nossa saúde e o bom funcionamento do nosso corpo. Por isso, o ato de rir diariamente é considerado uma terapia tanto para prevenir doenças como para tratá-las.

  1. Redução do estresse cotidiano

Outra questão apontada pelo estudo da Universidade de Loma Linda foi o nível de cortisol entre dois grupos de pessoas, sendo que um deles convivia silenciosamente e o outro era exposto a uma série de vídeos divertidos.

O resultado foi que o cortisol (o hormônio relacionado ao estresse) era realmente menor no grupo bem-humorado. Ou seja, apostar em maneiras de deixar o dia mais leve e divertido é capaz de afastar o estresse e a tensão acumulados.

E o melhor de tudo é que esse benefício se multiplica, já que sabemos que o estresse pode causar complicações como depressão, ataques cardíacos, obesidade, entre outras. Logo, tudo isso pode ser evitado com a redução do estresse cotidiano.

  1. Favorecimento da circulação sanguínea

Em relação ao sistema cardiovascular os mais sorridentes e felizes também estão em vantagem. De acordo com pesquisas da Universidade de Maryland (EUA), rir protege o coração e reduz as chances de infartos, tromboses e outros problemas desse tipo.

Isso acontece porque quando uma pessoa sorri, o corpo tende a diminuir a pressão arterial e facilitar o fluxo de sangue — o que facilita as funções cardíacas e mantém a oxigenação. Já o estresse é capaz de piorar esse processo e ainda comprometer o endotélio (membrana que reveste e protege os vasos sanguíneos).

  1. Fortalecimento do sistema imunológico e do bem-estar

Outro efeito comprovado de que sorrir faz bem para saúde é a liberação de hormônios como a serotonina e endorfina, que estão ligados às sensações de prazer e felicidade.

Esses hormônios atuam tanto no nosso corpo como na nossa mente. Por isso é que a sensação de bem-estar é quase que uma reação automática de quando estamos felizes e sorrindo.

Ao contrário, quando sentimos raiva ou estamos estressados o organismo libera substâncias (estradiol e adrenalina, por exemplo) que enfraquecem o sistema imunológico ao dificultar a ação das nossas células de defesa — o que aumenta o risco de doenças e outras disfunções.

Pensando por esse lado, mesmo quando as coisas não vão tão bem é melhor manter o alto astral, concorda? Além de deixar a nossa imunidade mais forte, sentimentos como autoconfiança e autoestima são essenciais para nossa saúde mental e para manter uma boa qualidade de vida.

  1. Melhora da digestão e ajuda no emagrecimento

Você sabia que quando rimos diversos músculos são trabalhados, inclusive alguns que estão localizados na região abdominal? Como consequência, é como se esses movimentos fizessem uma espécie de massagem no sistema gastrointestinal e facilitassem o processo digestivo.

Além de ter a digestão facilitada, rir também gasta calorias. No fim das contas, você pode estar se divertindo e ainda ajudando o seu corpo a funcionar melhor, eliminar toxinas e emagrecer um pouco.

Enfim, é bom reconhecer a importância do sorriso e que manter o bom humor é realmente capaz de gerar efeitos positivos. Logo, vale a pena investir em atividades que proporcionem isso para a sua saúde, como encontrar seus amigos com mais frequência.

Fonte: Compass

Aplicativo de Transporte

Para muitos, aplicativos de transporte já se tornou algo “comum”, algo cotidiano. Porém, esses aplicativos não costumam ter cuidados especiais com pessoas mais velhas, os idosos. Com a intenção de oferecer além dos serviços de transporte, uma pessoa com que eles (avôs e avós) possam contar como companheiro para cumprir tarefas diárias com um cuidado melhor, surgiu o aplicativo Eu Vô.

O aplicativo foi desenvolvido na cidade de São Carlos, em São Paulo conseguindo a aprovação da Prefeitura para atuar pela capital. Para utilizar o aplicativo, pedem para marcar a viagem três horas antes. Possui um treinamento especial que é concedido pela própria empresa. O treinamento consiste em socializar com os passageiros mais velhos e também do modo em que o transporta. O pagamento pode ser feito por cartão de crédito ou por pacotes oferecidos no próprio app.

O novo aplicativo já trabalha com cerca de 43 motoristas que já estão cadastrados, e 1500 que se encontram na fila de espera para que possam trabalhar no Eu Vô. Pretendem dobrar suas metas que já foram alcançadas. Os motorista são remunerados, e eles recebem mesmo enquanto não estão trabalhando. Podendo proporcionar um ótimo trabalho aos motoristas e um ótimo cuidado para os passageiros.

Amor

O mundo não precisa de julgamentos, precisa de amor, de pessoas dispostas a olhar para o outro como seu semelhante, alguém que merece carinho, cuidado e respeito, acima de tudo.

Em qualquer direção que olhamos, os julgamentos e críticas parecem estar no controle. As pessoas são cada vez menos capazes de se colocarem no lugar dos outros, e ao invés de praticarem a empatia, permitem que esses sentimentos dominem seus corações.

Sentimo-nos no direito de julgar todas as pessoas a todo momento e o fazemos sem o mínimo de respeito e consideração. Falamos mal de suas escolhas no trabalho, na vida pessoal, condenamos as companhias que escolheram, detestamos a nova cor de seu cabelo e o carro que comprou. Criticamos até mesmo o esmalte da semana ou a maneira como resolveram deixar a barba.

Desenvolvemos um complexo de superioridade e acreditamos que falar mal dos outros é uma conquista que alcançamos e que não há problema algum, já que existem outras pessoas que também nos criticam em nossas costas. Muitas vezes até mesmo justificamos nossos julgamentos como críticas positivas, como se as nossas palavras cheias de maldade de alguma maneira fossem ajudar o outro a viver melhor.

Atitudes como essa emitem uma energia negativa muito forte no Universo e contribuem para que o mundo se torne a cada dia um lugar ruim de se viver. Precisamos urgentemente criar a consciência de que não temos o direito de julgar as pessoas, nem de usar palavras extremamente equivocadas sob o pretexto de “tentar abrir as suas mentes”.

Cada um de nós tem a liberdade de viver a vida como desejar, e precisamos ser capazes de aceitar e respeitar até mesmo aquelas coisas que para nós parecem incompreensíveis.

O mundo não precisa de julgamentos, precisa de amor, de pessoas dispostas a olhar para o outro como seu semelhante, como alguém que merece carinho, cuidado e respeito, acima de tudo.

Nada melhora quando apontamos os dedos, mas o mundo de alguém se transforma quando oferecemos um abraço verdadeiro e um coração disposto a acolher e amar incondicionalmente.

Já temos tantos exemplos negativos de como não agir… devemos nadar contra a maré, trazer harmonia e paz em uma sociedade tão desgastada. A única coisa capaz de mudar o mundo, de trazer mais alegria para todas as pessoas e substituir as lágrimas por sorrisos é o amor. Apenas o amor transforma e desperta o melhor de todos nós.

Portanto, quando pensar em julgar alguém, lembre-se de que esse não é o seu direito, é apenas uma escolha ruim que não te acrescentará nada.

Mantenha a sua boca fechada e os braços abertos. Ofereça amor ao invés de julgamentos, e começará a perceber o quanto as coisas se transformam para melhor em sua vida.

Cuidar do outro é cuidar de nós mesmos e tudo de bom que fazemos para as outras pessoas reflete em nossas vidas.

Fonte: O Segredo

Orlando Drummond

Um garoto! É assim que Orlando Drummond, o nosso eterno Seu Peru, se define. O centenário, que se completou no último dia 18 foi comemorado do jeitinho que ele gosta: na casa da filha Lenita, em Araras, na companhia dos parentes mais próximos. Mas, para o ator, apesar de emblemática, a nova idade não representa nenhuma mudança no seu estilo de vida.

“Eu continuo o mesmo garoto que sempre fui, com alegria e amor da minha família. Me sinto privilegiado! Sou um homem de hábitos simples e de uma rotina bastante normal, nada especial”, revela o comediante que, nos últimos meses, vem recebendo um carinho a mais por conta do aniversário.

Além de uma participação especial na nova edição da ‘Escolinha do Professor Raimundo’, o ator e dublador foi homenageado pela Câmara Municipal do Rio de Janeiro. Orlando até se emociona ao comentar sobre o recebimento do conjunto de medalhas Pedro Ernesto, a principal homenagem que a cidade presta aos que mais se destacam na sociedade.

“É uma grande honra ser lembrado por tanta gente mesmo estando fora do ar há tanto tempo. Sou reconhecido por onde passo, e esse carinho no meu centenário me deixa muito emocionado! Sou um homem abençoado por ter tanta gente que gosta de mim”, conta o intérprete mais famoso de Seu Peru, que aproveita a oportunidade para dar um conselho: “a receita para chegar aos 100 anos é o bom humor. Sou um apaixonado pela vida”.

Duas escolas

Sem nenhuma rivalidade, Orlando comenta que assiste regularmente à nova versão da ‘Escolinha’ e admite gostar do que vê. “O (Marcos) Caruso é um ícone. Me sinto lisonjeado em ver o Peru tão bem representado por um ator tão brilhante”, elogia o mestre que, apesar de gostar da nova versão, não deixa de assistir aos episódios do programa da época em que era ele uma das estrelas.

“Gosto muito de ver a antiga escolinha no canal Viva. Mas também sou um espectador assíduo de todas as novelas da Rede Globo”, confessa o humorista, que imortalizou os bordões “use-me e abuse-me” e “estou por aqui”.

Apoio LGBT

Em um momento em que nunca se falou tanto sobre os direitos da comunidade LGBT, Orlando entende que ter interpretado um personagem homossexual possa gerar muitas reações diversas, mas o ator sustenta sua posição em favor da diversidade. “Qualquer forma de preconceito é burra e qualquer forma de amar vale a pena. Costumo dizer que a palavra mais próxima de amor é humor. Acredito que o Seu Peru seja fruto disso”, confessa o ator, que sentiu, ao mesmo tempo, o ódio dos homofóbicos e o apoio da comunidade gay.

“Eu pude sentir na pele esse preconceito e, graças a Deus, pude responder com amor e humor. Mas de resto, como Peru, sempre fui muito bem acolhido”, revela, com orgulho.

De família

Outro trabalho que traz muita satisfação a Orlando é o de dublador. A profissão, um de seus xodós, é exercida por ele até hoje com maestria. “A dublagem sempre foi minha grande paixão. Fiz o Scooby-Doo, Popeye, Alf, Gato Guerreiro, Puro Osso e tantos outros personagens”, lembra ele, de forma carinhosa, enquanto faz questão de falar que o ofício passou para seus descendentes.

“A paixão é tão grande que meus netos Felipe, Alexandre, Eduardo e até minha bisneta Mariah seguiram na profissão. A Mariah, inclusive, começou com 1 aninho e meio. O processo foi natural. Sempre admiraram meu trabalho e acabaram entrando para o ramo”, diz.

Todos levam meu nome e meu legado. Sou um homem de muita sorte”, conta o Vovô Orlando sobre a família que construiu ao lado de Gloria, sua companheira há 68 anos, a quem chama de alma gêmea.

Conectado

Em maio, contrariando o que normalmente se espera de um idoso, Orlando voltou a surpreender seu público ao criar uma conta no Instagram. Em menos de cinco meses online, o comediante já acumula quase 60 mil seguidores e teve o perfil verificado pela rede social. “Essa ideia partiu dos meus netos para ter um contato mais próximo com as pessoas que admiram meu trabalho e que gostam de mim. Fico muito feliz sempre que eles me mostram a repercussão de alguma foto ou alguma homenagem que alguém faz”, comemora.

Referência: Meia Hora

Ambulância

Curitiba ganhou uma ambulância para resgatar cachorros e gatos em risco nas ruas. O veículo, batizado de “Unidade de Resgate Animal”, foi entregue no último dia 30 e já está funcionando.

Quem encontrar animais em situação de rua acidentados com risco de morte em espaços públicos pode acionar o serviço pela Central de Atendimento da Prefeitura, pelo telefone 156 ou pela internet.

Ambulância para cachorros

De acordo com a administração municipal, todos os animais atendidos vão ser identificados e castrados.

O atendimento é feito no Centro de Referência para Animais em Situação de Risco (Crar), que fica na Cidade Industrial de Curitiba (CIC).

Animais agressivos em vias públicas também serão resgatados pela ambulância.

Referência: G1

Alzheimer

Neurocientistas americanos da NeuroEM Therapeutics, em Phoenix, EUA,  conseguiram reverter a perda de memória provocada pela doença de Alzheimer com a utilização de um chapéu com ondas eletromagnéticas.

Em um pequeno estudo-piloto, realizado com apenas oito voluntários, o chapéu magnético conseguiu reverter um ano de memória perdida em apenas dois meses.

Os pacientes, que sofrem de doença de Alzheimer, de leve a moderada, receberam um chapéu MemorEM, que utiliza emissores criados especialmente para gerar um fluxo específico de ondas eletromagnéticas através do crânio.

Os pesquisadores observaram “desempenho cognitivo aprimorado” em sete dos oito voluntários na pesquisa.

O tratamento foi realizado duas vezes por dia, durante o período de uma hora, e são muito simples de administrar em casa.

O estudo foi publicad no Journal of Alzheimer’s Disease mostrando alguns resultados, que precisam de mais pesquisas.

Memória restaurada

“Talvez a melhor indicação de que os dois meses de tratamento tenham um efeito clinicamente importante nos pacientes com DA [doença de Alzheimer] neste estudo, nenhum dos pacientes quis devolver o dispositivo de cabeça ao Instituto da Universidade do Sul da Flórida / Byrd Alzheimer após o estudo ser concluído”, diz o biólogo Gary Arendash, CEO da NeuroEM Therapeutics.

Segundo ele, um paciente disse: “Voltei”.

O chapéu

O equipamento MemorEM, criado pela NeuroEM Therapeutics, está sendo desenvolvido por dois cientistas que são os fundadores da empresa.

O estudo tem como base pesquisas anteriores desta mesma equipe, que havia se concentrado em roedores, o que demonstrou que o chapéu eletromagnético transcraniano chamado TEMT, na sigla em inglês, seria capaz de proteger o cérebro contra a perda de memória, ou até mesmo reverter perda anterior em ratos mais velhos.

Com base nas evidências já alcançadas, o TEMT parece capaz de deteriorar as proteínas amilóide-beta tóxicas e também as proteínas tau que tem forte relação com o Alzheimer: as ondas parecem ser capazes de desestabilizar as ligações fracas de hidrogênio que mantêm os aminoácidos unidos.

Aparentemente essas proteínas entopem o cérebro destruindo e sufocando os neurônios necessários para manutenção das memórias, gerar fala à partir de pensamentos entre outros processos cognitivos fundamentais para nosso funcionamento.

A partir de uma série de testes cognitivos, criados para medir o nível de demência, a influência das ondas eletromagnéticas foi vista como “grande e clinicamente importante”.

Um ano de memória recuperada

A escala medida pelo diagnóstico da doença do Alzheimer varia entre uma média de cinco pontos para alguém sem Alzheimer, para uma média de 31 pontos para quem sofre da Doença e o estudo observou uma mudança positiva na média que foi de mais de quatro pontos em sete dos oito voluntários.

Esse nível de mudança, de quatro pontos, corresponde a uma redução cognitiva de mais de um ano em pacientes com Alzheimer.

Portanto equivaleu a um ano do impacto negativo da doença de Alzheimer na memória e pensamento revertido. Isso no espaço de dois meses de testes.

Sem efeito colaterais

O estudo também demonstrou que nenhum dos participantes pareceu sofrer efeitos colaterais ou quaisquer danos no cérebro que causados pelo tratamento com ondas eletromagnéticas.

A próxima empreitada seria um estudo bem maior, envolvendo mais pacientes com doença de Alzheimer,

A empresa está planejando um estudo envolvendo 150 voluntários para este ano. Se ele demonstrar que o tratamento TEMT tem eficácia e é seguro, poderá alcançar aprovação regulatória para comercialização do equipamento.

“Esses resultados fornecem evidências preliminares de que a administração do TEMT avaliada neste pequeno estudo de DA pode ter a capacidade de melhorar o desempenho cognitivo em pacientes com doença leve a moderada”, disse Amanda Smith, neurocientista da Universidade do Sul da Flórida (EUA).

Referência: Só Notícia Boa

Abraço

A banda Jota Quest, em sua canção “Dentro de um abraço” afirma, dentre outras coisas,  que tudo o que a gente sofre, dentro de um abraço se dissolve. Palmas para essa banda, o abraço merece todas as homenagens do mundo.

O abraço é tão sagrado que aproxima dois corações, de forma que um possa sentir as batidas do outro.

E vai além disso, determinados abraços são capazes de conectar almas. Nos dias atuais, estamos cada vez mais conectados, virtualmente, vale lembrar. Tenho a impressão de que o abraço anda meio escasso nas relações humanas, tomara que eu esteja enganada.

O abraço não pode se extinguir, ele é um porto seguro para quem tem o privilégio de recebê-lo e ofertá-lo. Abraçar é acolher a dor do outro dentro da circunferência dos nossos braços. Um abraço traduz tantas coisas. Ele revela a saudade que sentimos do outro. Ele é o porta voz da nossa fragilidade quando não conseguimos verbalizar nossos medos.

Abraço é acolhimento. É compaixão. É amizade. É amor. É paixão. É entrega. É desejo. É gratidão. É solidariedade. É respeito. É empatia. É carinho. É reconciliação. É carícia. É socorro. É refúgio. É perdão.

Muitos dos abraços que trocamos um dia, se entrelaçaram com a saudade.

Particularmente, tenho saudades dos abraços que o meu filho me dava no portão de casa, me recebendo no final de um dia inteiro de trabalho. Vinha cheio de novidades para me contar e me perguntando: “mamãe, a senhora apagou muito fogo hoje”?

Outra saudade que perfura o meu coração é de quando ia passar as férias na minha terra natal e, quando descia do ônibus, me refugiava dentro do abraço do meu pai, na rodoviária de Alvorada do Norte — GO. E de todos os abraços que recebi até então, o mais privilegiado foi o da minha mãe, o último dela, 5 minutos antes de ela ir morar com Deus…paro por aqui. Se eu tivesse algum poder de convencimento eu pediria a todas as pessoas que abraçassem mais seus entes queridos. Pediria que não economizasse esse carinho tão milagroso. Não custa nada e os benefícios são incontáveis. Entre casais, em especial, o hábito de se abraçarem é fundamental para a harmonia e a conexão dos cônjuges. Abrace sem motivo, não precisa de uma circunstância específica. Abrace porque está ao alcance das mãos, abrace para expressar contentamento por ter essa pessoa…abrace por estar sem fazer nada e logo estarão inspirados a fazer algo… rsrs.

Abracem-se por estarem vivos. Sou tão apaixonada por abraços, que estou aqui fazendo um texto sobre ele.

Por Ivonete Rosa para o “O Segredo”. 

Fonte: O Segredo

Página 1 de 2612345...1020...Última »