Unidade Vila Mariana (11) 2275-2516/2276-2835

Unidade Moema (11) 2738-1700/2738-1900

Blog

09 jul

Como lidar com o idoso teimoso – Parte II

por nossacasa

Dicas importantes para lidar com o idoso teimoso:

Ele se sente mais experiente do que você!
Dê a voz para ele. Não custa nada você ceder sua opinião e permiti-lo “falar mais alto”. Entenda que ele está se autoafirmando. Mas coloque sua opinião de forma clara, tom de voz suave e respeitosa.
Ex: “Não concordo com o senhor mas, por respeito, permito e aceito”.

Ele sente que precisa defender a vontade própria
Envelhecer já não é fácil! Envelhecer e perder a autonomia e independência, pior ainda! Faça-o sentir-se íntegro ao permitir que sua vontade ganhe, nem que seja por um tempo curto.
Ex: concorde com a cabeça e saia de perto por algum instante.

Ele tem medo de perder sua “autoridade”
A autoridade é aquilo que nos fez ser visto por alguém, de forma positiva e importante. Perdê-la muitas vezes pode significar “ser negligenciado”. E isso para um idoso que sabe já ter muitas limitações é muito desesperançoso.
Ex: coloque-se no lugar dele e experimente a dor da exclusão. De repente a competição entre você e o idoso poderá acabar.

Lidando com o idoso teimoso

Ele quer te irritar por algum motivo sentimental
Algo o contrariou mas ele não sabe explicar. Então, mesmo o que não é falado acaba sendo comunicado de alguma forma. Pode ser que ele se faça valer através de um momento oportuno para ser do contra ou descontar no mundo essa “coisa sem nome”.
Ex: pergunte afetuosamente se algo o aborrece, demonstre confiança em seu tom de voz e jeito de aproximação corporal: “quer conversar um pouco?”

Ele está desenvolvendo um quadro demencial
Observe sinais como desorganização dos pensamentos, repete de forma significativa as frases ou apresenta lapsos com relação a fatos imediatos ou recentes no mesmo dia, se há alguma coisa bem diferente em seus hábitos ou comportamento.
Ex: “nunca gostou de determinada fruta e agora come com frequência, nunca falou palavrão e agora deu pra isso”.

A medicação que utiliza causa efeitos colaterais indesejados
Dificuldades para dormir dias seguidos, dificuldade para se alimentar ou compulsão de uma hora pra outra, agitação motora ou sonolência incomum podem indicar que algo vai mal com a medicação.
Ex: reporte ao geriatra essas observações. Medicamentos para idosos são desafiadores para ajustes. Mas junto ao geriatra, podemos conseguir o melhor. Se houver uma equipe multiprofissional… excelente! Aproveite.

Ele não consegue expressar seus desejos/vontades próprias
Imagine você sendo controlado, guiado e determinado o tempo todo pelas escolhas e decisões de uma outra pessoa. Onde estará você? Os seus gostos, a sua história, o seu “jeitinho de ser”?
Ex: encontre momentos tranquilos para um bom papo, esmo se o idoso não consiga “ir longe na conversa”, capriche na sua interação de forma bem calorosa e criativa. Facilite a abertura da válvula das expressões!

Ele quer chamar ou ter sua atenção
Quem repara com grande interesse em alguém idoso e com limitação? Creio que poucos.
Agora, como nos sentimos quando não somos notados? E se as pessoas de quem mais gostamos fizessem isso com a gente? Sensação horrível!
Ex: chame-o pelo nome, de forma respeitosa e clara, sempre! Se for o caso, utilize o pronome “senhor” “senhora” para tal. Demonstre que ele /ela são importantes pra você, pra família… enfim.

Ele quer ser notado no ambiente
Quem de nós não gosta de meio social? Pois então… e esse sentimento não exige palavra ou pensamento organizado. Pois até uma planta quer ser notada no ambiente senão ela morre de sede.
Ser notado no ambiente também nos assegura ajuda mútua. Ficamos mais tranquilos assim, quando sentimos que temos com quem contar!
Ex: Trocar olhares constantes entremeados com sorrisos, perguntas triviais acerca do momento presente pode oferecer confiança na pessoa idosa.

Ele está irritado, contrariado com algo e você não sabe o quê
Quando algo nos irrita a ponto de alterarmos o comportamento, ficamos por um instante perplexos com a situação, com a gente… Temos vontade de desaparecer.
Ex: deixe-o sozinho para que possa “se resolver”, contemplar a situação.

Ele quer uma coisa e você não consegue compreender o que é
Conversar para clarear!
Ex: “sinto que você está diferente. Aconteceu algo que eu possa te ajudar?” e por aí vai…

Ele está com dificuldades auditivas
Muitos idosos desenvolvem gradativa perda de audição mas não admitem (muitas vezes por vergonha e medo de dependência).
Ex: observe se as respostas que ele te dá são coerentes com as perguntas feitas, se o comportamento dele parece estar além e peça uma avaliação ao geriatra para juntos verificarem melhor decisão.

Ele está cansado e não consegue dormir
Você já tentou fazer alguma coisa com muito sono? E que não havia nenhuma cama por perto? Como ficamos? Irritados pois a mente está pedindo socorro! Ela precisa se esvaziar.
Ex: o tempo do idoso costuma ser diferente do tempo das pessoas mais novas. Mas independente disso se a ente está cansada, é melhor não insistir com nada.

Ele está em confusão mental
Confusão mental é algo tão atordoador que a pessoa fica vulnerável a ela mesma, com insegurança e medo do que pode acontecer devido descontrole.
Ex: reduza os estímulos do ambiente e permaneça em lugar seguro até ele se acalmar um pouco mais, retornando a oferta de cuidados aos poucos.

Enfim… podemos perceber que existem várias estratégias que advém da nossa adaptação às situações de teimosia.

E se você continuar assim, navegando nas águas do cuidar, de forma sensata e tranquila verá que o cuidar ficará mais leve!

Fonte: A Terceira Idade