Unidade Vila Mariana (11) 2275-2516/2276-2835

Unidade Moema (11) 2738-1700/2738-1900

Blog

18 out

Mitos e verdades sobre a terceira idade

Não adianta negar, todo mundo vai envelhecer. O processo, que começa perto dos 30 anos com a queda da capacidade pulmonar e cardíaca máxima e com a diminuição na produção de colágeno, é inevitável. Saiba mais sobre os mitos e verdades que acontecem com o corpo quando você alcança a casa dos 60.

Quando ficamos velhos, ficamos mais esquecidos
Mito. “Quando falamos de envelhecimento, temos alterações em todos os sistemas orgânicos. Do ponto de vista neurológico, existem modificações sim, porém, nem sempre elas comprometem a função cerebral do indivíduo”, explica o geriatra e cardiologista Roberto Dischinger Miranda.  Algumas mudanças no estilo de vida fazem com que o idoso fique menos atento ou participativo. As pessoas mais jovens estão mais ligadas aos fatos que acontecem ao seu redor. À medida que a pessoa fica mais tranquila, tende a diminuir o poder de assimilação dos fatos. “A nossa memória está relacionada à atenção. Pelo próprio estilo de vida que levamos, implica em menor registro, menor foco de memória. Nem sempre lapsos de memória sinalizam doença”, explica o médico. Para evitar que eles apareçam, invista em atividades prazerosas para evitar que o cérebro fique acomodado. Aprender uma nova língua, um instrumento musical ou até mesmo usar o computador pode ser uma ótima maneira de estimular o funcionamento cerebral.

Quando ficamos mais velhos precisamos nos exercitar menos
Verdade. As alterações no organismo próprias do envelhecimento começam aos 30 anos e com elas vem a diminuição das capacidades pulmonar e cardíaca máximas. A repercussão dessas mudanças na vida cotidiana é pequena, porém, a queda de desempenho pode ser facilmente sentida durante os exercícios físicos. “Os exercícios devem ter uma intensidade diferente daquele praticado quando a pessoa era jovem. Mas, em qualquer idade, a atividade física é importante. E a performance ao se exercitar dependerá de cada um, é uma capacidade individual”, comenta o geriatra.

As dores são inevitáveis, principalmente as causadas pela artrite
Mito. Osteoartrose é uma das doenças mais comuns no envelhecimento e provoca dor. “Apesar das dores ocasionadas pela degeneração da cartilagem serem consideras comuns, não podemos considerá-las normais. O paciente deve ir ao médico para fazer um tratamento, fisioterapia e controlar o peso”, explica o médico.

O desejo sexual diminui com a idade
Verdade. Segundo Roberto Dischinger Miranda, o desejo sexual tende a diminuir com a idade, por ser próprio do envelhecimento humano. Nas mulheres, a menopausa faz com que a lubrificação diminua, o que causa dores durante a penetração. No homem, é comum a disfunção erétil. Porém, muitas vezes isso não impede a vida sexual do casal. É importante que os dois estejam bem com a prática, seja uma vez ao dia ou uma vez ao mês.

Acima de 60 anos devo procurar um geriatra
Mito. O geriatra é nada menos que um médico generalista com especialização em doenças mais comuns da terceira idade. Como o processo de envelhecimento começa quando somos jovens, é possível ir ao geriatra para acompanhar o avanço da idade, de maneira preventiva. “Não há nada que impeça a pessoa de envelhecer, o importante é manter a capacidade funcional, motora, física e mental”, explica o médico.

Pessoas com mais de 60 anos sentem menos sede
Mito. A estrutura fisiológica em si não causa essa alteração. “Muitas vezes, o que acontece é que o idoso perde bastante água por um quadro de incontinência urinária ou devido aos remédios diuréticos. Com isso, eles tendem a diminuir a ingestão de água – conscientemente ou não”, diz a nutricionista especializada em gerontologia Maristela Strufaldi. O quadro pode levar à desidratação, tontura, problemas intestinais e prejudicar a pele. “Por mais que o corpo não exija, deve-se tomar a mesma quantidade de água que antes”, defende Maristela.

Os idosos sentem menos sono
Mito. Algumas teorias defendem que o que acontece na verdade é uma mudança na arquitetura do sono. “Muitas vezes, o idoso tem a sensação de que dorme menos ou de que não dormiu bem. Mas nem sempre isso é real”, comenta Miranda. Quando a atividade do corpo é menor durante o dia, é natural que as horas de sono diminuam. Porém, nem sempre é preciso tratar com medicamentos. Primeiramente, é preciso investigar as causas dessa mudança e, se possível, tratá-las.

O paladar muda com a chegada da idade
Verdade. Assim como os outros músculos, as papilas gustativas, que ficam na língua, tendem a atrofiar. Isso influencia na percepção do paladar. “Para compensar essa perda, os idosos tendem a buscar alimentos ora muito doces, ora muito salgados”, elucida Maristela.

Os músculos desaparecem com o passar do tempo
Verdade. Segundo a nutricionista, a queda funcional do corpo faz com que aumente a quantidade de gordura, diminua a quantidade de massa magra e ocasione a queda no colágeno. O quadro, normal com o envelhecimento, acontece devido à morte celular e à atrofia muscular. O problema pode ser levemente corrigido com atividade física e alimentação balanceada.

Existem doenças consideradas normais na 3ª idade (diabetes, hipertensão)
Mito. Tudo que é considerado doença não pode ser chamado de normal. Pressão alta, diabetes, catarata são comuns, porém, jamais devem ser consideradas normais, uma vez que comprometem a vida do indivíduo. “O ideal é envelhecer com saúde e bem-estar”, completa o geriatra.

 

Fonte: www.terra.com.br

10 out

Música é vida

por Maila Campozana

Quem não gosta de ouvir música, não é mesmo? Não importa o estilo, o fato é que em casa, no carro, na rua ou na Casa de Repouso a música é sempre uma boa pedida.

A música faz bem à alma, ao coração e à mente, pois além de promover alegria ou relaxamento, também é capaz de trazer recordações de bons momentos, ajudando a manter o cérebro mais ativo.

Acompanhando todos os estudos sobre o bem que a música é capaz de nos fazer, incluímos em nossas semanas, uma atividade pra lá de especial.

A Maestrina Andréa Feketé está presente na Nossa Casa, às quintas feiras preenchendo nossas tardes de musica e alegria.

Com um repertório extenso e diferenciado, ela arrasa no piano e ainda conta com a ajuda das nossas meninas com seus diversos instrumentos musicais e a Márcia no microfone.

E não pára por ai, os familiares são sempre bem vindos e também entram na dança.

É sempre muito especial.

A Nossa Casa agradece o carinho de sempre da nossa querida maestrina. Excelente pessoa e excelente profissional

As horas a menos para descansar durante o horário de verão geram um desgaste natural, acentuado pela adaptação inicial ao relógio. Uma pesquisa conduzida por laboratórios de cinco países sul-americanos, incluindo mais de 9.250 pessoas do Brasil, mostrou que 46% da população sente algum tipo de desconforto com o começo do horário de verão. “Entre os distúrbios resultantes da mudança estão a dificuldade para dormir e a consequente sonolência pela manhã”, afirma o fisioterapeuta e especialista em fisiologia da Universidade Guarulhos (UnG), Renato Costa.

Quando a rotina muda, não importa se no começo ou no fim do horário de verão, seu ciclo biológico é alterado e o organismo não consegue se preparar. Resultado: você acorda cansado e não consegue render no trabalho e na escola. Há ainda mais riscos de acidentes de trânsito e no trabalho. Os perigos só desaparecem cerca de duas semanas depois, quando o corpo já teve tempo de se acostumar aos novos horários. Por outro lado, tem gente que atravessa a estação inteira com problemas. Para sofrer menos com o horário de verão, siga as dicas do fisioterapeuta:

Mantenha o ritmo mais leve

Relaxe no dia em que o horário de verão entra em vigor, evitando indisposição. Pegar leve nos exercícios, realizar atividades que acalmem, como ioga, por exemplo, é uma saída.

Não exagere nas refeições

Faça refeições mais leves, que não exijam muito esforço do seu organismo para a digestão.

Durma mais

Tente ir para a cama duas horas mais cedo do que o habitual. Provavelmente, você não vai pegar no sono imediatamente, mas o clima calmo prepara o corpo para o descanso.

Não perca tempo

Deixe todas as suas coisas arrumadas para o dia seguinte, evitando perder tempo ou passar nervoso antes de sair de casa na segunda-feira.

Aproveite para descansar

Até sentir que seu organismo está acostumado com a mudança, recuse os convites para sair e voltar tarde demais para casa. No dia seguinte, acordar pode ser muito complicado.

Organize seus horários

Pelo menos na primeira semana do horário de verão, fixe horários para todas as suas atividades e tente respeitá-los ao máximo. Isso evita distúrbios de apetite (como fome fora de hora) e um cansaço exagerado.

 

Fonte: http://www.minhavida.com.br

Charlotte Guttemberg e Chuck Helmke entraram na edição 2017 do Guinness – Livro dos Recordes como o casal de idosos mais tatuado do mundo e a história dos dois é ainda mais legal do que qualquer título que existe no mundo

Charlotte tem 67 anos, mas só fez sua primeira tattoo faz 10 anos – uma borboleta com flores.

Por que ela demorou tanto? Porque o falecido marido dela não curtia tatuagens e teria ficado chateado caso ela fizesse uma. Quando ele morreu, ela decidiu que ia fazer uma tatuagem sim e que ninguém poderia impedir isso.

Charlotte é de Melbourne, na Flórida (EUA) e, depois de fazer a primeira tattoo, decidiu que o céu era o limite.

Na primeira sessão mais longa, ela ficou nervosa pra caramba e, foi nesse dia que conheceu Chuck.

Chuck também ia fazer uma tattoo e, como havia feito sua primeira nos anos 50, quando estava no exército, estava mais habituado a lidar com a experiência do que Charlotte.

Vendo que Charlotte estava nervosa, Chuck se ofereceu para ficar ao lado dela, acalmando as ideias dela enquanto a sessão transcorria.

Pronto: o conto de fadas estava armado!

Pouco depois daquela experiência conjunta, os dois começaram a sair, trocar ideias e marcaram novas sessões em que poderiam ir juntos.

Um ano depois daquela primeira sessão de tatuagem, os dois viúvos começavam um novo relacionamento e não se separaram mais.

Charles tem 75 anos de idade e, apesar de ter feito sua primeira tattoo em 1959, ele ficou 40 anos sem ouvir o “zzzzzzzz” da máquina de tatuar

Quando Charlotte e Charles se encontraram, os dois perceberam na hora que a tatuagem era algo que eles tinham em comum

Hoje, as tattoos combrem 91,5% do corpo de Charlotte. Ela ainda quer fazer mais!

Charlotte acha que alguns pontos de sua cabeça ainda precisam ser cobertos e, cada vez que ela olha para os pés, pensa que chegou a hora de pintar os dedos permanentemente.

Já Chuck tem 93,75% do corpo coberto por tatuagens

Ele fica pensando se tem mais coisas pra fazer, mas as áreas que ainda têm espaço para novas tatuagens – dedos do pé, cabeça e virilha — são as áreas mais doloridas e, por isso, ele não tem certeza se vai valer a pena.

De qualquer modo, sempre tem aqueles trabalhinhos de retoque e manutenção.

Uma coisa é certa: os dois estarão juntos quando chegar a hora de fazer mais uma tatuagem!

Fonte: https://hora7.r7.com

Sempre que precisamos presentear alguém de mais idade já pensamos: “Puxa… Mas o que eu vou dar pra ele(a)?”. Calma! Não é tão difícil quanto parece!

Existem aqueles que são mais difíceis de agradar… Mas a maioria se contenta com uma lembrancinha – se sentirem que foi dada com todo carinho. Mas também não é por isso que não vamos caprichar, não é mesmo? Seguem algumas dicas de presentes que agradam e que deixa uma pessoa idosa muito feliz.

Flores são muito bem recebidas. Os idosos costumam respeitar a natureza e gostam bastante de flores e plantas. Um arranjo para decorar a casa é uma ótima escolha. E se a pessoa que você vai presentear for do tipo que não tem tempo ou não tem muito jeito para cuidar de plantas, hoje em dia existem várias opções de arranjos artificiais que com certeza deixarão mais bonito o cantinho da casa a que se destinarem.

Ainda nesta linha, objetos de decoração também são bem aceitos. Por serem pessoas de mais idade, objetos mais tradicionais fazem mais o gosto deles. Lojas de artesanatos têm muitas coisas que agradam a terceira idade, como porta-chaves, porta-condimentos, caixas para organizar medicamentos, caixas de costuras, livros de receitas, entre outros.

Pessoas nesta faixa etária, geralmente, gostam muito de se lembrar da família ou de momentos marcantes. Então, uma ótima opção é presentear essa pessoa especial com uma foto que você sabe que a deixará muito feliz. Escolha um porta-retrato bonito e nele coloque uma foto dela com você, ou da família reunida, ou dela com um filho que mora distante, por exemplo. Não há como errar!

E por falar em foto… Se a pessoa que vai ganhar o presente for a vovó, que tal lhe dar um avental personalizado com a foto de todos os netos? Além de ser um presente útil com certeza ela vai adorar cozinhar tendo todos os netos assim, tão “juntinhos” dela!

Se for alguém mais idoso (acima 80 – atualmente não é mais raro de se encontrar) você pode optar por pantufas, chinelos e meias bem quentinhas. Este tipo de presente costuma agradar bastante, principalmente no inverno, pois eles costumam sentir mais frio que as pessoas mais jovens. Cuidado apenas com o solado, que deve ser de borracha, antiderrapante, para prevenir acidentes, ok?

E se você achar que nenhuma dessas dicas vai agradar, temos, então, outra dica: tecidos! Lojas especializadas têm os mais variados cortes e tipos de tecidos e um deles certamente a agradará. Se for homem, opte por cores neutras, para que ele possa fazer uma bela camisa. E se for mulher, procure tecidos com estampas neutras, que ficariam bonitas em um vestido, por exemplo.

Existem diversas outras dicas, tais como: jóias/bijuterias para vovós mais chics, celulares (optando por aqueles com teclas/tela maiores), computador (atualmente os idosos estão muito conectados) e outros variados.

Só não se esqueça do principal: quando for entregar o presente, independente do que for, abra aquele sorriso e lhe dê aquele abraço. Aí, sim, o presente vai estar completo!

 

Fonte: http://portalamigodoidoso.com.br

 

03 out

Como surgiu o dia do idoso?

por Maila Campozana

 

O Dia do Idoso é comemorado em 1º de outubro, data que marca a promulgação do Estatuto do Idoso.

No dia 1º de outubro, comemora-se o Dia do Idoso, pessoa que possui idade igual ou superior a 60 anos. Essa data, que marca o dia em que a Lei N°10.741 (Estatuto do Idoso) entrou em vigor, é fundamental para reforçar a importância da proteção a esse público e para reavaliarmos nossa atitude com relação aos idosos.

O envelhecimento é um fenômeno biológico normal que atinge todos os organismos vivos, mas muitas pessoas não sabem lidar com esse processo. Diante disso, o aumento da expectativa de vida no Brasil, que hoje ultrapassa os 71 anos de idade, representa um desafio para toda a sociedade, que deve criar formas de amparar melhor os idosos.

– Estatuto do Idoso – Lei Nº 10.741, de 1º de outubro de 2003

A criação do Estatuto do Idoso em 2003 representou um grande avanço na vida dessa parcela de nossa população, que frequentemente é vítima de maus-tratos e abusos de todas as formas. Esse estatuto estabeleceu os direitos dos idosos, como a prioridade em alguns serviços e a garantia de acesso à saúde, alimentação, educação, cultura, lazer e trabalho.

A partir do Estatuto do Idoso, também ficou estabelecido, entre outros pontos, que é crime:

– Discriminar pessoa idosa, impedindo ou dificultando seu acesso a operações bancárias, aos meios de transporte, ao direito de contratar ou por qualquer outro meio ou instrumento necessário ao exercício da cidadania, por motivo de idade.

– Abandonar o idoso em hospitais, casas de saúde, entidades de longa permanência, ou congêneres, ou não prover suas necessidades básicas, quando obrigado por lei ou mandado.

– Expor a perigo a integridade e a saúde, física ou psíquica, do idoso, submetendo-o a condições desumanas ou degradantes ou privando-o de alimentos e cuidados indispensáveis, quando obrigado a fazê-lo, ou sujeitando-o a trabalho excessivo ou inadequado.

– Negar a alguém, por motivo de idade, emprego ou trabalho.

– Apropriar-se de ou desviar bens, proventos, pensão ou qualquer outro rendimento do idoso, dando-lhes aplicação diversa de sua finalidade.

– Reter o cartão magnético de conta bancária relativa a benefícios, proventos ou pensão do idoso, bem como qualquer outro documento com objetivo de assegurar recebimento ou ressarcimento de dívida.

– Exibir ou veicular, por qualquer meio de comunicação, informações ou imagens depreciativas ou injuriosas à pessoa do idoso.

– Coagir, de qualquer modo, o idoso a doar, contratar, testar ou outorgar procuração.

Saúde do Idoso

Muitos avanços já foram feitos no que diz respeito à legislação e, hoje, os maus-tratos, por exemplo, são punidos com mais rigor do que há alguns anos. Entretanto, o desafio da idade não se restringe à legislação, pois se refere também à saúde, uma vez que muitos idosos sofrem com a diminuição das suas capacidades físicas e, muitas vezes, mentais.

Envelhecer envolve diversos problemas que afetam a qualidade de vida de uma pessoa, como dificuldade para locomover-se, problemas de memória, além de várias doenças crônicas comuns da idade, tais como diabetes e pressão alta.Muitos desses problemas poderiam ser amenizados com a realização de atividades físicas, atividades intelectuais e, principalmente, consultas periódicas ao médico.

 

Fonte: http://mundoeducacao.bol.uol.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

17 jul

Música é vida!

por Maila Campozana

 

Música é vida!

Quem não gosta de ouvir música, não é mesmo? Não importa o estilo, o fato é que em casa, no carro, na rua ou na Casa de Repouso a música é sempre uma boa pedida.

A música faz bem à alma, ao coração e à mente, pois além de promover alegria ou relaxamento, também é capaz de trazer recordações de bons momentos, ajudando a manter o cérebro mais ativo.

Acompanhando todos os estudos sobre o bem que a música é capaz de nos fazer, incluímos em nossas semanas, uma atividade pra lá de especial.

A Maestrina Andréa Feketé está presente na Nossa Casa, às quintas feiras preenchendo nossas tardes de musica e alegria.

Com um repertório extenso e diferenciado, ela arrasa no piano e ainda conta com a ajuda das nossas meninas com seus diversos instrumentos musicais e a Márcia no microfone.

E não pára por ai, os familiares são sempre bem vindos e também entram na dança.

É sempre muito especial.

A Nossa Casa agradece o carinho de sempre da nossa querida maestrina. Excelente pessoa e excelente profissional.

Continuando seu ciclo de eventos de 2.017 a NOSSA CASA UNIDADE VILA MARIANA, convida a todos para ouvirem e se encantar com o Tenor ALLAN VILCHES, que após 5 anos retorna a NOSSA CASA. Sera uma tarde alegre e sugestiva.

 

Apresentação Tenor Allan Vilches

As atividades começaram aceleradas na Unidade Moema,  recém inaugurada no dia 05.04.

Dia 10 contamos com a Presença do Geraldo Alves, que foi o primeiro empresário do Altemar Dutra, Roberto Carlos, Vanderléia, Sergio Reis e dezenas de outros, projetando-os a nível nacional e internacional.

Ele veio divulgar sua história e lançar seu primeiro livro: O MAGO DAS ESTRELAS.

Além de brindar os presentes com lindas narrativas tocou piano e Acordeon  (sua especialidade). Foi uma tarde deverás agradável e alegre.

Geraldo Alves visita a unidade Moema

 

05 abr

A vibração e a emoção causada pela presença do RONNIE E VON cortando a faixa inaugural da UNIDADE MOEMA da NOSSA CASA, é motivo de muito orgulho para toda a equipe de colaboradores, sócios e principalmente dos hospedes que já se encontram nesta unidade.

A visita foi marcada por vários momentos de carinho e confraternização e que podem ser  visualizados na foto contando com os sócios Amélia, Marcia e Wilson junto ao nosso eterno príncipe.

Esta presença ocorreu no dia 31 de março último, e a inauguração oficial no dia 05.04.2017, com a presença de cerca de 200 convidados.

inauguracao-nossa-casa-moema-ronnie-von

 

Página 19 de 19« Primeira...10...1516171819