Unidade Vila Mariana (11) 2275-2516/2276-2835

Unidade Moema (11) 2738-1700/2738-1900

Blog

Desafio na internet - cuidado

Uma menina de sete anos morreu em São Bernardo do Campo, em São Paulo, após participar do chamado ‘desafio do desodorante’, disseminado pelas redes sociais. Na perigosa brincadeira, o participante é convidado a inalar o produto pelo maior tempo que conseguir suportar.

Adrielly Gonçalves estava brincando sozinha em casa, quando disparou o spray de um desodorante diretamente em sua boca e segurou o ar, passando mal imediatamente. De acordo com a tia da criança, ela havia assistido a um vídeo do “desafio do desodorante” na internet e tentava copiar o youtuber.

A tragédia em São Bernardo aconteceu no dia 3 de fevereiro. Depois do ocorrido, a família da vítima tem se empenhado em uma campanha online contra a brincadeira e a fim de alertar os adultos sobre o perigo de crianças repetirem ações irresponsáveis divulgadas nas redes sociais.

Adrielly chegou a ser socorrida, mas já estava morta quando deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) local.

“TRAGÉDIA QUE CORRÓI MEU CORAÇÃO”

“Ela, criança inocente, colocou o desodorante direto na boca e desmaiou, tendo parada cardíaca em sequência”, diz o texto divulgado por Sheila Cristina, parente da vítima, no Facebook.

“Quero que saibam que é, sim, com muita dor no peito, que venho expor minha princesinha devido a tamanha tragédia”, disse a mãe da criança Marcia Gonçalves, nas redes sociais.

“Não está sendo nada fácil, mas prometi a ela, diante de uma mesa de mármore fria, que infelizmente não pude evitar esta fatalidade com ela, uma tragédia que corrói meu coração, mas que irei encontrar forças pra divulgar o máximo para que outras famílias não venham a sofrer o que estamos sofrendo”, continuou.

“Gostaria de alertar aos pais que fiquem de olho nos conteúdos que os filhos pesquisam na internet”, afirma Sheila em sua publicação.

Adrielly era a filha caçula de Marcia e tinha quatro irmãos mais velhos, todos homens.

NÃO HÁ VERSÃO SAUDÁVEL DO DESAFIO

O chamado desafio do desodorante possui diversas versões divulgadas no Youtube e nas demais redes sociais. No entanto, nenhuma das brincadeiras é tida como segura, já que o produto possui substâncias, como o alumínio, que podem ser nocivas para o corpo, quando o desodorante é aplicado em excesso ou por vias não tradicionais.

Fonte: Último Segundo

06 fev

Casa de Repouso é só no nome, viu?! Rs.

A Nossa Casa tem sempre atividade diferente que estimula e até descobre talentos ocultos.

Algumas hóspedes já pintaram lindos quadros sem nunca ter experimentado chegar perto de uma tela, tinta ou pincel.

Dentre as várias atividades da Casa, destacamos no mês de janeiro, a deliciosa tarde gastronômica.

Nossas meninas arrasaram no enroladinho de linguiça. Arrasaram mesmo, ficou muito bom.

A diversão e o empenho foram ingredientes presentes e o resultado não poderia ser outro a não ser: simplesmente delicioso.

Vale tudo quando se tem vontade de aprender e vontade de ensinar.

Vale tudo quando se tem uma receita, algumas dicas, um aprendizado e muita diversão!

A atividade teve como desfecho um saboroso lanche da tarde.

Parabéns meninas e equipe da Nossa Casa.

 

Muitas outras atividades estão por vir.

 

Fantasias, adereços e maquiagens extravagantes são as apostas de muitos foliões para o carnaval. O glitter, em especial, tem ganhado ainda mais destaque daqueles que não querem deixar de se produzir nos dias de festa, sendo aplicado no rosto e corpo para compor o traje. No entanto, dermatologistas e oftalmologistas alertam para os cuidados necessários na hora de utilizar o produto.

A maior atenção tem que ser dada ao teste alérgico, que deve ser feito ao menos um dia antes para avaliar se a pele irá reagir ou não. O procedimento consiste na aplicação do glitter no antebraço, deixando permanecer por quatro horas. Por conseguinte, o brilho deve ser removido, e o folião deve observar se a pele ficou avermelhada, com ardência ou prurido. Em caso de algum desses sintomas, o uso não é aconselhado, pois áreas lesionadas ou com algum ferimento tem maior risco de contaminação e piora do quadro.

A dermatologista Mayra Mayer alerta para o cuidado em caso de irritação no rosto e em áreas maiores do corpo. “O glitter deve ser retirado, imediatamente, com o óleo bifásico sem friccionar a pele, lavando a região com água corrente. Já para a retirada do produto em áreas maiores do corpo, podemos utilizar óleo de amêndoas ou de coco passando sobre a pele com algodão e, posteriormente, lavando com água e sabão”. Na piora do quadro, procurar ajuda médica.

Existem, também, os glitters hipoalergênicos, versões que passaram por testes em laboratório e têm menos chances de causar alergia. Por outro lado, não há 100% de garantia que o produto não causará o problema. A dermatologista aproveita para dar uma dica que reduz o risco de reações. “É importante usar protetor solar e hidratar a pele antes da aplicação do glitter e da maquiagem, pois uma pele hidratada e íntegra tem menores riscos de desenvolver dermatites”, acrescentou.

A região que mais deve receber o cuidado dos foliões são os olhos. De acordo com o médico oftalmologista Vasco Bravo Filho, do Hospital de Olhos de Pernambuco (Hope), é preciso estar atento no momento de colocar o produto. “Por se tratar de um material áspero, ele pode entrar nos olhos e arranhar a córnea”, explica. Se a purpurina entrar em contato com os olhos, o aconselhado é evitar coçar.  “O recomendado é lavar com água corrente e soro fisiológico, mas, se os olhos permanecerem irritados, é preciso procurar atendimento médico”.

Depois de estar ciente de todos os cuidados importantes, é hora de se jogar na folia e brilhar. A foliã Beatriz Lustosa, 19 anos, confessa que sempre utiliza o produto em suas composições. “Eu acho bonito. Combina com todo look, fantasia. Dá uma animação e combina com a época do ano”.

 

Fonte: diariodepernambuco.com.br

Escritor ficou conhecido por sua antipoesia, recheada de opiniões irônicas, maliciosas e odes a objetos e situações comuns

O escritor chileno Nicanor Parra, vencedor do Prêmio Cervantes em 2011, morreu no último dia 23, aos 103 anos. Em comunicado, o ministro da Cultura do Chile, Ernesto Ottone, informou que o poeta morreu de “causas naturais”, e estava consciente até os últimos momentos.

Poeta, físico e matemático, Nicanor Parra ficou famoso pela criação da antipoesia. O gênero — caracterizado pela ironia, léxico simples e temas cotidianos — teve grande influência na literatura hispano-americana e conferiu ao chileno reconhecimento internacional. Poemas y Antipoemas (1954), Manifiesto(1963), Obra Gruesa (1969), Poemas para Combatir la Calvicie (1993) e Páginas en Blanco (2001) são algumas de suas mais renomadas obras.

“O Chile perde um dos maiores autores da história de nossa literatura e voz singular na cultura ocidental. Estou comovida pelo falecimento de Nicanor Parra! Meus mais profundos pêsames a sua família”, lamentou a presidente Michelle Bachelet em sua conta oficial no Twitter.

Em 2011, recebeu na Espanha o Prêmio de Literatura Miguel de Cervantes, o mais reconhecido da língua castelhana. Também recebeu o Prêmio de Literatura Latino-Americana e do Caribe Juan Rulfo (1991) e o Prêmio Rainha Sofia de Poesia Ibero-Americana (2001).

Antagonista a Neruda

Sua personalidade extravagante, refletida em opiniões irônicas, maliciosas e odes a objetos e situações comuns, aproximou sua obra especialmente dos jovens, entre os quais tem muitos admiradores.

Resistente ao contato com a imprensa e a homenagens, Parra passou seus últimos anos em sua casa em Las Cruces, na costa central chilena, não muito distante de onde vivia Pablo Neruda, na Isla Negra.

Sua obra irreverente e seu rechaço à poesia tradicionalista transformaram Parra no antagonista do trabalho de seu colega chileno e vencedor do Prêmio Nobel de Literatura em 1971, Pablo Neruda, com quem teve uma relação especial.

Durante a ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990), Nicanor Parra foi assinalado por manter uma postura ambígua com o regime, alimentada pelas disputas públicas com Neruda, militante do partido comunista que morreu poucos dias antes da chegada dos militares ao poder, por causas que ainda são investigadas.

Família de artistas

Nicanor Parra nasceu em 1914 em San Fabián de Alico, na região sul do Chile, em Biobío — um importante berço artístico do país. Parra era o irmão mais velho da famosa cantora e compositora Violeta Parra, e de Eduardo e Roberto, outros dois músicos importantes no país.

A veia artística da família Parra se estendeu ao longo dos anos e contribuiu com inúmeros talentos como Angel Parra, filho de Violeta, outro grande cantor que morreu em Paris no ano passado, aos 73 anos.

Seu filho, Angel Cereceda Parra, foi fundador do bem-sucedido grupo chileno Los Tres, e é reconhecido como um dos grandes guitarristas da América Latina.

 

Fonte: veja.abril.com.br/

05 fev

O poder do bom humor

por nossacasa

Bom humor

Imagine a seguinte situação: em uma segunda-feira de manhã, chuvosa, o despertador não toca. Começa a correria para agilizar o desjejum, até que os respingos de café caem na camisa limpinha. Depois de trocar de roupa, dá a partida no carro e ele não funciona. Vai ter que pegar o transporte público lotado, mas, claro, antes pisa na poça d’água e encharca o sapato. O humor de qualquer um acaba piorando com uma série de situações que pode comprometer o resto do dia, especialmente no ambiente de trabalho.

Segundo o palestrante Erik Penna, uma pessoa mal humorada tende a ficar reclamando das coisas e assim, às vezes, consegue influenciar negativamente os colegas de trabalho, podendo reduzir o próprio desempenho, como também de boa parte da equipe.

“O estudioso no assunto e psicólogo Daniel Goleman, relata que o mau humor nos deixa menos agradável com as pessoas que nos rodeiam, podendo, assim, atrapalhar a sinergia da equipe e reduzir a eficácia de todos”, conta ele.

Além disso, Goleman descreve em sua obra “O cérebro e a inteligência emocional” que, para uma melhor eficácia pessoal, é necessário estar no melhor estado interior e que as pessoas de bom humor costumam ser mais criativas, melhores na resolução de problemas, possuem maior flexibilidade mental e são mais eficazes na tomada de decisões. 

“Pare para pensar como é gostoso trabalhar ou ser atendido por uma pessoa alegre, bem humorada e de bem com a vida. Isso nos transmite energia positiva, pois o otimismo é contagiante e nos impulsiona para as mais belas conquistas”, afirma Penna.

AS EMPRESAS E O BOM HUMOR

Uma série de empresas têm priorizado os candidatos e funcionários bem humorados e otimistas, e isso não vem dos dias de hoje. Bob Iger, chefão da Disney, afirmou durante uma entrevista para a revista Veja em 2013, que são avaliados diversos requisitos na hora de contratar alguém. Para ele, uma das principais características para se trabalhar na Disney é que a pessoa seja pró ativa e otimista. 

De acordo com Penna, uma pessoa feliz tende a colher melhores resultados do que uma pessoa infeliz. “Nesse período de incertezas econômicas, é preciso enfatizar e cultivar ainda mais a cultura do otimismo dentro das empresas. Ações simples podem ajudar num ambiente mais leve, positivo e produtivo, como por exemplo: criar a notícia boa do dia, onde cada colaborador precisa falar de algo especial que aconteceu naquele dia. Um momento durante as reuniões aberto para se falar de fatos otimistas”, explica. 

Além disso, um profissional bem humorado e otimista costuma ficar menos estressado. Um estudo científico da Universidade da Califórnia (USA) aponta que o sorriso faz com que se aumente o nível de colesterol bom no sangue, podendo ainda reduzir o estresse à medida que faz aumentar o nível de cortisol e adrenalina. 

Penna destaca por fim que é preciso ter cuidado com o pessimismo, afinal, é normal do ser humano a seguinte atitude: se acontecer 10 fatos no dia dele, sendo 9 bons e 1 péssimo, é bem provável que ele fique falando mais do ponto negativo do que dos outros 9 positivos. “Você não controla tudo que acontece em sua vida, mas decide de que forma vai agir com as coisas que acontecem com você”, conclui.

Fonte: Ticket e Gestão

 

30 jan

Casa de Repouso é só no nome, viu?! Rs.

A Nossa Casa tem sempre atividade diferente que estimula e até descobre talentos ocultos.

Algumas hóspedes já pintaram lindos quadros sem nunca ter experimentado chegar perto de uma tela, tinta ou pincel.

Dentre as várias atividades da Casa, destacamos no mês de janeiro, a deliciosa tarde gastronômica.

Nossas meninas arrasaram no enroladinho de linguiça. Arrasaram mesmo, ficou muito bom.

A diversão e o empenho foram ingredientes presentes e o resultado não poderia ser outro a não ser: simplesmente delicioso.

Vale tudo quando se tem vontade de aprender e vontade de ensinar.

Vale tudo quando se tem uma receita, algumas dicas, um aprendizado e muita diversão!

A atividade teve como desfecho um saboroso lanche da tarde.

Parabéns meninas e equipe da Nossa Casa.

Muitas outras atividades estão por vir.

30 jan

O poder do bom humor.

por Maila Campozana

Bom humor

Imagine a seguinte situação: em uma segunda-feira de manhã, chuvosa, o despertador não toca. Começa a correria para agilizar o desjejum, até que os respingos de café caem na camisa limpinha. Depois de trocar de roupa, dá a partida no carro e ele não funciona. Vai ter que pegar o transporte público lotado, mas, claro, antes pisa na poça d’água e encharca o sapato. O humor de qualquer um acaba piorando com uma série de situações que pode comprometer o resto do dia, especialmente no ambiente de trabalho.

Segundo o palestrante Erik Penna, uma pessoa mal humorada tende a ficar reclamando das coisas e assim, às vezes, consegue influenciar negativamente os colegas de trabalho, podendo reduzir o próprio desempenho, como também de boa parte da equipe.

“O estudioso no assunto e psicólogo Daniel Goleman, relata que o mau humor nos deixa menos agradável com as pessoas que nos rodeiam, podendo, assim, atrapalhar a sinergia da equipe e reduzir a eficácia de todos”, conta ele.

Além disso, Goleman descreve em sua obra “O cérebro e a inteligência emocional” que, para uma melhor eficácia pessoal, é necessário estar no melhor estado interior e que as pessoas de bom humor costumam ser mais criativas, melhores na resolução de problemas, possuem maior flexibilidade mental e são mais eficazes na tomada de decisões.

“Pare para pensar como é gostoso trabalhar ou ser atendido por uma pessoa alegre, bem humorada e de bem com a vida. Isso nos transmite energia positiva, pois o otimismo é contagiante e nos impulsiona para as mais belas conquistas”, afirma Penna.

AS EMPRESAS E O BOM HUMOR

Uma série de empresas têm priorizado os candidatos e funcionários bem humorados e otimistas, e isso não vem dos dias de hoje. Bob Iger, chefão da Disney, afirmou durante uma entrevista para a revista Veja em 2013, que são avaliados diversos requisitos na hora de contratar alguém. Para ele, uma das principais características para se trabalhar na Disney é que a pessoa seja pró ativa e otimista.

De acordo com Penna, uma pessoa feliz tende a colher melhores resultados do que uma pessoa infeliz. “Nesse período de incertezas econômicas, é preciso enfatizar e cultivar ainda mais a cultura do otimismo dentro das empresas. Ações simples podem ajudar num ambiente mais leve, positivo e produtivo, como por exemplo: criar a notícia boa do dia, onde cada colaborador precisa falar de algo especial que aconteceu naquele dia. Um momento durante as reuniões aberto para se falar de fatos otimistas”, explica.

Além disso, um profissional bem humorado e otimista costuma ficar menos estressado. Um estudo científico da Universidade da Califórnia (USA) aponta que o sorriso faz com que se aumente o nível de colesterol bom no sangue, podendo ainda reduzir o estresse à medida que faz aumentar o nível de cortisol e adrenalina.

Penna destaca por fim que é preciso ter cuidado com o pessimismo, afinal, é normal do ser humano a seguinte atitude: se acontecer 10 fatos no dia dele, sendo 9 bons e 1 péssimo, é bem provável que ele fique falando mais do ponto negativo do que dos outros 9 positivos. “Você não controla tudo que acontece em sua vida, mas decide de que forma vai agir com as coisas que acontecem com você”, conclui.

 

Fonte: ticketegestao.com.br

Vida social na terceira idade

Quando uma pessoa madura perde um cônjuge, um amigo próximo ou até mesmo um animal de estimação, pode ser fácil perder a perspectiva da vida. É muito fácil descer até um estado de solidão e reclusão na qual elas param de se relacionar com pessoas que uma vez representaram papéis importantes no dia-a-dia. Os filhos (se houverem) já seguiram seu caminho próprio e frequentemente estão muito envolvidos com suas vidas e problemas próprios, de modo que não podem mais passar muito tempo com seus pais enquanto estes envelhecem. Conviver com a solidão e perda na terceira idade é difícil, mas não é impossível retomar uma vida social. Uma boa postura é um fator decisivo, assim como aproveitar ao máximo as oportunidades que vierem pela frente.

A seguir, você verá algumas dicas para lhe ajudar a começar uma nova vida social frutífera, para que possa voltar a viver sua vida com significado e propósito.

1. Determine quais atividades você costumava gostar de praticar. Se a sua perda fez com que você perdesse o gosto pelo seu hobby favorito, retome tudo de onde parou, com a ajuda de um clube local, um grupo ou uma igreja — ou até mesmo na internet ou pesquisando na biblioteca local. Use o jornal local para ficar informado sobre eventos de interesse. Visite aulas na universidade local sobre assuntos que possam atiçar sua curiosidade ou imaginação; amplie seu conhecimento.

2. Mantenha a forma. Embora escalar o Monte Everest não seja mais uma opção, certamente nada impede que você continue a praticar atividades físicas. Certifique-se de consultar um médico antes de iniciar qualquer programa de treinamento.

3. Encontre um amigo. Se estiver relutante em ir sozinho, existem organizações voluntárias que podem lhe ajudar a conseguir transporte. Lembre-se que o transporte público para cidadãos com mais de 65 anos é gratuito. Aos poucos, a timidez de sair sozinho irá passar.

4. Fique aberto a novas sugestões. Isto pode ser desconfortável no início, especialmente se envolver tecnologias novas. Pense em tentar novas atividades que sejam possíveis no seu estado físico e que você considere interessantes. Evite reagir negativamente a sugestões de pessoas a sua volta que podem estar tentando lhe ajudar. Pense bem antes de rejeitar completamente ideias novas. Talvez você descubra algo tão interessante que você vai desejar ter conhecido antes.

5. Torne-se um mentor de pessoas mais jovens. Pessoas jovens gostam de aprender e adorarão descobrir o conhecimento acumulado que você tem para oferecer. Ofereça seus serviços no clube local para dar palestras, ensinar ou servir de guia em passeios ao museu, parque, zoológico, etc. Pessoas de idade são respeitadas por seu conhecimento. Valorize-o, compartilhando-o com os outros.

6. Mantenha uma atitude positiva. A dor sempre estará lá; é parte da natureza da perda. Você merece o melhor, depois de dar tanto de si para o mundo. Mantenha um sorriso sempre. Sorrir dispara reações químicas no seu cérebro que ajudam a levantar o ânimo. Alugue um filme alegre ou um clássico para assistir em casa. Veja programas humorísticos na tv ou compre um livro de humor para rir livremente. Redescubra seu senso de humor e seu bem-estar vai melhorar; isto se torna mais importante quanto maior for a montanha de tristeza em que você tiver se afundado.

7. Pense alto. Pesquise a internet para ver o que as pessoas idosas estão fazendo de mais desafiador: atravessar o país de bicicleta, esquiar, escrever um romance, entrar nas competições esportivas categoria Master, etc. Todas estas coisas são possíveis quando você tem uma postura positiva. Você é tão velho quanto se permitir. Seus sonhos, tão grandes quanto conseguir sonhá-los. E aquelas coisas que há muito você havia prometido a si mesmo? Talvez hoje seja o dia de torná-las realidade.

Avisos:

– Conheça seus limites. Consulte um médico antes de começar qualquer atividade física.

– Se estiver com problemas de visão e dificuldades para ler, faça todos os exames e explore as possibilidades de tratamento médico. Compre óculos adequados para suas necessidades. Procure livros com letras grandes. Existem versões disponíveis na maioria das bibliotecas. É sempre possível aumentar o tamanho da fonte no seu computador ao ler coisas da internet. Peça ajuda a alguém se não conseguir fazer isto sozinho.

Fonte: WikiHow

24 jan

Casa de Repouso é só no nome, viu?! Rs.

A Nossa Casa tem sempre atividade diferente que estimula e até descobre talentos ocultos.

Algumas hóspedes já pintaram lindos quadros sem nunca ter experimentado chegar perto de uma tela, tinta ou pincel.

Dentre as várias atividades da Casa, destacamos este mês, a deliciosa tarde gastronômica.

Nossas meninas arrasaram no enroladinho de linguiça. Arrasaram mesmo, ficou muito bom.

A diversão e o empenho foram ingredientes presentes e o resultado não poderia ser outro a não ser: simplesmente delicioso.

Vale tudo quando se tem vontade de aprender e vontade de ensinar.

Vale tudo quando se tem uma receita, algumas dicas, um aprendizado e muita diversão!

A atividade teve como desfecho um saboroso lanche da tarde.

Parabéns meninas e equipe da Nossa Casa.

Já queremos saber quando será a próxima!

A sensação de voltar ao trabalho depois das férias e a nossa rotina real têm poucas coisas em comum. Enquanto muitos esperam voltar ao trabalho com energias renovadas após um período de descanso, o que normalmente acaba acontecendo é que gastamos muito tempo tentando responder uma tonelada de e-mails e acumulando diversas tarefas que vão surgindo ao longo das semanas.

“Você tem que se organizar para que haja o mínimo de acúmulos enquanto estiver fora”, diz Julie Morgenstern, consultora de carreiras e autora do livro ‘Nunca cheque seus e-mails pela manhã’. “Uma vez investido neste processo, ele se torna automático,” conclui.

Mas como é possível evitar esse transtorno pós-férias e manter seu espírito de descanso? Veja algumas dicas:

Planeje a sua volta

Segundo Julie, as pessoas que desejam passar um período longe do trabalho precisam começar a planejar não só suas viagens com antecedência, como o retorno delas, para evitar ao máximo o acúmulo de tarefas pendentes pós-férias.

Laura Vanderkam, autora do livro ‘Como mulheres de sucesso fazem valer seu tempo’, sugere que, enquanto muitas pessoas tentam estender ao máximo suas viagens, voltando para casa somente nodomingo à noite, é preciso antecipar um pouco essa volta. “Considere voltar no sábado em vez do domingo para aumentar o tempo de desfazer as bagagens, organizar a casa e se preparar melhor para a volta ao trabalho”.

Vá com calma

A não ser que você esteja preparado para tornar sua vida uma loucura, não volte ao escritório depois de suas férias sem antes ter feito bons planejamentos.

“A tendência das pessoas é tentar compensar todo o tempo de reuniões perdido”, diz Laura. “Tente ao máximo estender esses agendamentos ao segundo dia para criar um pouco de espaço na sua agenda”, conclui a especialista.

Julie também acredita que o mesmo tempo que seria usado em alguma reunião ou apresentação deve ser usado para organizar suas tarefas pendentes com calma. “Crie um tempo de transição para você e não agende nada para o seu primeiro dia no escritório. Quando as pessoas pensam que você está disponível, elas irão encher sua agenda de compromissos”, afirma.

Comunique-se!

Tanto Julie como Laura acreditam que você deve comunicar o seu período de férias aos seus colegas e associados, para que assim eles também se organizem e saibam para quem encaminhar suas tarefas enquanto estiver fora.

Assim quando você voltar ao escritório, sua demanda de trabalho provavelmente não irá te sufocar nos primeiros dias e terá mais tempo de se organizar com calma.

Livre-se dos seus e-mails

Só o pensamento de perder todo o conteúdo da sua caixa de entrada no e-mail pode causar um certo frio na barriga. Porém algumas pessoas acreditam que se livrar de todas as suas mensagens assim que você volta de férias, pode ser tudo o que você precisa para relaxar e voltar ao trabalho sem precisar passar dias respondendo e-mails antigos.
“Algumas pessoas dão uma rápida checada para ver se tem algo muito importante entre as mensagens recebidas e depois apagam tudo”, diz Laura.

Ser insubstituível não te torna um funcionário melhor

Laura acredita que a volta ao trabalho pode ser um ótimo momento para alguns ajustes no seu estilo de profissional. Você pode até acreditar ser um membro fundamental para o lugar onde trabalha, mas pensar que a empresa não funcionaria sem você pode trazer prejuízos a longo prazo.

Bom retorno!

 

Fonte: http://forbes.uol.com.br

Página 16 de 21« Primeira...10...1415161718...Última »