Unidade Vila Mariana (11) 2275-2516/2276-2835

Unidade Moema (11) 2738-1700/2738-1900

Blog

Durante o outono, as mudanças bruscas de temperatura e baixa umidade do ar contribuem na proliferação de doenças causadas por vírus e transmitidas com maior facilidade por causa dos ambientes fechados ou com grande volume de pessoas. E não vá achando que somente as crianças estão suscetíveis às viroses, os adultos também costumam sofrer com os problemas respiratórios como asma, rinite ou gripe, que se manifestam com maior intensidade durante essa época do ano.

Outono - cuidado com a saúde

De acordo com a pneumologista Andrea Sette, do Hospital e Maternidade São Luiz, crianças, idosos e pacientes de doenças crônicas estão classificados no grupo de risco e mais vulneráveis a síndromes gripais, que atingem vias inferiores (caso de bronquites e pneumonias) e vias superiores (tosse seca e rinite). “Durante a troca de estações as condições crônicas tornam-se mais abaladas para pacientes de bronquites, asma, rinite e sinusites. O uso de umidificadores de ar pode amenizar as dificuldades respiratórias. É importante, também, estar atento a possíveis irritações nos olhos. Secura e coceira podem indicar um quadro de conjuntivite, comum durante o outono. Em casos de tosse e febre por mais de cinco dias o ideal é procurar tratamento médico”, explica a médica.

Mas não é só o sistema respiratório que acaba comprometido durante o outono, a pele também fica mais ressecada e, consequentemente, mais propensa a rachaduras ou alergias. “O ar mais seco e a baixa temperatura dificultam a dispersão de partículas, o que compromete o sistema respiratório e cardiovascular”, explica Andrea. Para quem costuma sofrer com a chegada do outono, saiba que a prevenção ainda é o melhor remédio contra os male da estação. Não acredita? A pneumologista lista cinco dicas de como manter a saúde e a beleza mesmo com a baixa dos termômetros.

Mantenha os níveis de hidratação do corpo: no verão nos preocupamos muito com a hidratação, pois perdemos muito líquido. No outono não é diferente. As temperaturas são mais baixas, porém o ar está mais seco. O consumo de líquidos é essencial, principalmente de água.

Evite longa permanência em locais fechados: a proliferação de alguns vírus é ainda maior nessa época do ano. Locais fechados favorecem isso. É importante sempre deixar janelas abertas e permitir que o ar se renove.

Pratique a higienização a todo momento: não só durante a troca de estações, lavar as mãos deve se tornar um hábito. Estamos em contato com diversos objetos que podem estar contaminados, por isso é imprescindível lavar as mãos com água e sabonete líquido, de preferência, e sempre que possível fazer uso do álcool em gel para finalizar.

Mantenha uma alimentação balanceada: as síndromes gripais, mais comuns durante a estação, acometem principalmente crianças e idosos por conta do sistema imunológico frágil. Ter uma alimentação equilibrada com os nutrientes e vitaminas necessárias evita que o corpo fique suscetível a contaminações.

Hidrate bem a pele: é comum notarmos que a pele fica mais seca com a chegada do outono. Isso pode acarretar rachaduras e irritações que desenvolvem alergias na pele. O ideal é usar um hidratante específico para o rosto e outro para o corpo. Banhos quentes também devem ser evitados, pois favorecem o processo de ressecamento da pele.

Fonte: MaisEquilíbrio

12 mar

Quando o assunto é botar a mão na massa, as nossas meninas mostram com capricho o que aprenderam na tarde de culinária e comprovaram que realmente cozinhar é uma terapia.

A receita escolhida foi bolo de banana.

Cada hóspede fez o seu bolinho e ficou difícil saber qual estava mais gostoso, viu?

Tarde de culinária

O cheiro maravilhoso se espalhou pela casa, assim como a alegria em poder colocar em prática novamente o que durante anos foi costume para muitas delas: o famoso bolo de vó.

Como sempre, nossas meninas arrasaram e o resultado foi que não sobrou farelo para contar história.

Parabéns mais uma vez a todas as meninas e equipe da Nossa Casa.

Já aguardamos com água na boca a próxima receita.

A ONU Mulheres anunciou que o tema do Dia Internacional da Mulher deste ano é “o tempo é agora: ativistas rurais e urbanas transformam a vida das mulheres”. Em 2018, o 8 de março ocorre em meio a um movimento global sem precedentes por direitos, igualdade e justiça. Assédio sexual, violência e discriminação contra as mulheres capturaram as atenções e o discurso público, com crescente determinação em favor da mudança, disse a agência da ONU.

Dia da Mulher: quatro mulheres com camisas rosas; uma delas é idosa e está com um megafone em mãos

A ONU Mulheres anunciou que o tema do Dia Internacional da Mulher deste ano é “o tempo é agora: ativistas rurais e urbanas transformam a vida das mulheres”. Em 2018, o 8 de março ocorre em meio a um movimento global sem precedentes por direitos, igualdade e justiça. Assédio sexual, violência e discriminação contra as mulheres capturaram as atenções e o discurso público, com crescente determinação em favor da mudança, disse a agência da ONU.

Pessoas do mundo todo estão se mobilizando por um futuro mais igualitário, por meio de protestos e campanhas globais. Entre elas, está o movimento #MeToo, nos Estados Unidos, que teve reflexos em outros países — com #EuTambém, no México, Espanha e América Latina; #QuellaVoltaChe, na Itália; #BalanceTonPorc, na França; e #Ana_kaman, nos Estados Árabes; “Ni Una Menos”, na Argentina. Outras iniciativas que abordaram temas que vão desde a questão da igualdade salarial até a representação política das mulheres.

Segundo a agência das Nações Unidas, o Dia Internacional da Mulher de 2018 é uma oportunidade para transformar esse impulso em medidas concretas de empoderamento de mulheres de todos os ambientes — rural e urbano — e de reconhecer as ativistas que trabalham sem descanso para reivindicar direitos e desenvolvimento pleno.

Em sintonia com o tema prioritário do próximo 62º período de sessões da Comissão sobre a Situação das Mulheres, que ocorre de 12 a 23 de março em Nova Iorque, o Dia Internacional da Mulher também presta atenção aos direitos e ao ativismo das mulheres rurais, que constituem mais de 25% da população mundial, e a maioria de 43% das mulheres da força de trabalho agrícola mundial.

Estas mulheres cultivam as terras e plantam sementes para alimentar as populações, garantem a segurança alimentar das suas comunidades e geram resiliência diante do clima. Contudo, em praticamente todos os indicadores de desenvolvimento, as mulheres rurais estão atrasadas em relação aos homens rurais e as mulheres urbanas devido às desigualdades de gênero e à discriminação arraigadas.

Por exemplo, menos de 20% das pessoas em todo mundo que possuem terras são mulheres. Além disso, enquanto a diferença mundial de salário entre mulheres e homens se situa em 23%, nas áreas rurais pode chegar até 40%. Por outro lado, elas carecem de infraestrutura e serviços, trabalho decente e proteção social e se encontram em uma situação mais vulnerável em face dos efeitos das mudanças climáticas.

Para materializar a promessa dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável de não deixar ninguém para trás, é preciso atuar com urgência nas áreas rurais para garantir um nível de vida adequado, uma vida sem violência ou práticas nocivas para as mulheres rurais, assim como o seu acesso à terra e aos bens produtivos, à segurança alimentar e à nutrição, ao trabalho decente, à educação e à saúde, incluindo a saúde sexual e reprodutiva e seus direitos conexos, segundo a ONU Mulheres.

As mulheres rurais e suas organizações representam um potencial enorme e, atualmente, estão se mobilizando para reclamar os seus direitos e melhorar seus meios de vida e bem-estar, segundo a agência da ONU. Utilizam métodos agrícolas inovadores, criam negócios exitosos e adquirem novas habilidades, lutam por direitos legais e se apresentam como candidatas políticas.

“Este é um momento em que milhares de mulheres valentes da indústria cinematográfica, do teatro e das artes começaram a alçar as suas vozes contra o abuso e as agressões sexuais por parte de homens poderosos do setor. No âmbito das mulheres rurais, estas vozes encontram um poderoso aliado na Aliança Nacional de Camponesas, uma organização norte-americana de camponesas que conhece bem o abuso de poder”, segundo a ONU Mulheres.

O 8 de março une as ativistas de todo o mundo e a ONU Mulheres para aproveitar a oportunidade, celebrar os avanços, tomar medidas e transformar a vida das mulheres em todo o mundo. Agora é o momento, concluiu a agência das Nações Unidas.

Fonte: Nações Unidas do Brasil (ONU Brasil)

Apesar da possibilidade de estímulos cerebrais reverterem a doença, não podemos ter certeza da cura do Alzheimer. Enquanto isso, devemos nos prevenir, observando os possíveis sinais.

Idosa sentada na cama, sorrindo, e lendo em um iPad os sintomas do Alzheimer

O mal de Alzheimer se desenvolve lentamente e, por isso, muitas famílias acabam não sabendo se o problema de esquecimento é resultado da doença ou é apenas a velhice.

Deborah Halpern, pertencente a uma entidade de cuidadores em Kensington, Maryland, nos Estados Unidos, faz a seguinte comparação:

“Uma pessoa bastante idosa pode esquecer frequentemente onde deixou as chaves. Mas alguém que sofre com Alzheimer, quando encontra o que está perdido, não faz ideia do que se trata”.

Quer que a gente esclareça melhor? Veja os sinais de alerta para esta terrível doença:

1. Perda de memória: esquecer ocasionalmente nomes é normal, mas quem tem Alzheimer esquece cada vez mais coisas ao longo do tempo.

2. Dificuldade em realizar tarefas do cotidiano.

3. Problemas com a linguagem: o vocabulário fica cada vez mais curto e difícil de compreender.

4. Sensação de que está perdido e sozinho, mesmo em meio à família.

5. Comportamentos estranhos, como sair de casa com roupas íntimas.

6. Passividade: quem sofre de Alzheimer tende a esquecer as coisas que gostava de fazer e acaba ficando muito tempo sentado em frente à televisão.

7. Problemas de raciocínio para executar simples tarefas, como usar um cartão de crédito ou preencher uma folha de cheque.

8. Perda do senso, como colocar as chaves no congelador.

9. Mudança repentina de humor, indo da calma à fúria sem nenhum motivo.

10. Tristeza cada vez maior.

Quer saber como podemos prevenir esse mal? A melhor coisa a se fazer é estimular a mente; jogos como xadrez e palavras-cruzadas ajudam.

Ah! Se você não sabe, há uma estreita relação entre o cérebro e a saúde do coração. Ou seja, à medida em que se aumenta o risco de doença cardiovascular, também se aumenta o risco de Alzheimer.

Portanto, tudo o que diminui o risco de problemas cardíacos, também previne a doença do esquecimento.

Veja o que você deve evitar para ficar mais protegido:

– Fumo: os fumantes têm o dobro de chances de desenvolver Alzheimer
– Colesterol ruim alto, que dificulta a circulação em todo o corpo
– Pressão arterial elevada
– Obesidade
– Diabetes
– Gordura de origem animal em excesso
– Bebida alcoólica em excesso

Há algumas medidas extras que podemos tomar para reforçar a proteção contra a doença:

– Exercício físico
– Dieta baseada em frutas e legumes
– Consumo adequado de antioxidantes como ômega 3 e vitaminas C e E

Essas dicas, entretanto, não substituem um especialista. Consulte sempre o seu médico.

Fonte: Dicas e Receitas Caseiras

Sinais do Parkinson

Os sinais iniciais do Parkinson são sutis e surgem gradualmente. Podem passar despercebidos por muito tempo ou ser considerados traços característicos do envelhecimento, o que dificulta o diagnóstico da doença. Mas o quanto antes ela for detectada, maiores são as chances de os tratamentos retardarem sua progressão. Se você ou alguém próximo apresenta mais de um dos sintomas abaixo, procure um médico de sua confiança para uma investigação completa.

1. Tremor – Pernas, mãos, braços e até lábios podem tremer, quando a pessoa está em repouso, parada. No início, ele atinge apenas um lado do corpo.

2. Rosto mascarado – O olhar fica parado; a expressão facial, mais séria e os movimentos musculares, mais raros, independentemente da vontade.

3. Micrografia – Ao escrever, as letras ficam menores e os espaços entre elas, idem. Dificilmente, as palavras atingem a pauta superior.

4. Má postura – O corpo não fica reto como antes. E as pessoas passam a notar uma inclinação do tronco e da cabeça para frente.

5. Voz baixa – O tom de voz diminui e o timbre também se altera. Fica a sensação, para o parkinsoniano, de estar falando cada vez mais alto, até gritando.

6. Hipotensão postural – É a queda súbita da pressão arterial ao se levantar. Provoca tontura e sensação de desmaio.

7. Perda olfativa – Mais de 90% dos pacientes de Parkinson não sentem cheiros como antes. Muitos também apresentam alterações no paladar.

8. Noites inquietas – É comum uma certa agitação durante o sono profundo. Os movimentos são tão repentinos e intensos que incomodam quem está ao lado.

9. Dificuldade para caminhar – Os membros ficam mais rígidos e os braços se mexem menos quando a pessoa anda. A sensação de estar grudado ao chão melhora ao se movimentar.

10. Constipação – O intestino funciona menos ou com dificuldade, causando um enorme desconforto no abdome.

Esta lista de sinais iniciais do Parkinson foi disponibilizada pela National Parkinson Foundation (NPF). Procure sempre um especialista.

(Fonte: Dr. Erich Fonoff)

Alzheimer curado pela primeira vez

A estimulação cerebral profunda está se tornando muito precisa. É uma técnica que permite aos cirurgiões implantarem eletrodos em quase qualquer área do cérebro e incrementá-las ou diminuí-las — como um sintonizador de rádio ou um termostato — para corrigir disfunções. Um olhar dramático em técnicas emergentes, em que uma mulher com mal de Parkinson para instantaneamente de tremer e as áreas do cérebro erodidas pelo mal de Alzheimer retornam à vida.

No vídeo abaixo, Andres Lozano fala sobre a técnica aplicada e a solução de alguns casos, é espetacular:

A doença de Alzheimer foi revertida pela primeira vez no Canadá e com sucesso. Uma equipe de investigadores canadenses, da Universidade de Toronto, liderada por Andres Lozano, usou uma técnica de estimulação cerebral profunda, diretamente no cérebro de seis pacientes, conseguindo travar a doença. O estudo vem publicado na Annals of Neurology.

Em dois destes pacientes, a deterioração da área do cérebro associada à memória não só parou de encolher como voltou a crescer. Nos outros quatro, o processo de deterioração parou por completo.

Nos portadores de Alzheimer, a região do hipocampo é uma das primeiras a encolher. O centro de memória funciona nessa área cerebral, convertendo as memórias de curto prazo em memórias de longo prazo. Sendo assim, a degradação do hipocampo revela alguns dos primeiros sintomas da doença, como a perda de memória e a desorientação.

Imagens cerebrais revelam que o lobo temporal, onde está o hipocampo e o cingulado posterior, usam menos glicose do que o normal, sugerindo que estão desligadas e ambas têm um papel importante na memória.

Para tentar reverter esse quadro degenerativo, Lozano e sua equipe recorreram à estimulação cerebral – enviar impulsos elétricos para o cérebro através de eléctrodos implantados.

O grupo instalou os dispositivos perto do fórnix – um aglomerado de neurónios que enviam sinais para o hipocampo – dos pacientes diagnosticados com Alzheimer há pelo menos um ano. Os investigadores aplicaram pequenos impulsos eléctricos 130 vezes por segundo.

Testes realizados um ano depois mostram que a redução da glicose foi revertida nas seis pessoas. Esta descoberta pode levar a novos caminhos para tratamentos de Alzheimer, uma vez que é a primeira vez que foi revertida.

(Fonte: Razões Para Acreditar)

Nota: As informações e sugestões contidas neste artigo têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de Educação Física e outros especialistas.

Casal idoso dançando na praia - viagens para a terceira idade

Após o lançamento do programa Viaja Mais, do Ministério do Turismo, os turistas da terceira idade ganharam atenção redobrada das agências de viagens. O problema, porém, surge na hora de escolher o destino – muitos sentem-se perdidos em meio a tantas opções. Conciliar conforto, atividades adequadas e infraestrutura é o maior desafio. Para facilitar a vida dos viajantes, o iG Turismo bolou um Top 10 de destinos, com os lugares mais procurados em agências especializadas em atender a melhor idade e sugestões imperdíveis.

1. Águas de Lindóia (SP)

Situada a 180 quilômetros de São Paulo, a cidade atrai muitos turistas da terceira idade por causa de seus balneários de águas termais. Além disso, a paisagem serrana e o ar puro de Águas de Lindóia trazem a tranquilidade que muitos viajantes procuram.

2. Caldas Novas (GO)

Destino preferido dos que buscam tratamentos ou apenas relaxar nas águas termais, Caldas Novas oferece uma grande variedade de hospedagens – tem o maior complexo hoteleiro do Centro Oeste. As águas quentes chegam aos 51ºC e são procuradas por suas propriedades terapêuticas.

3. Serra Negra (SP)

Quem gosta de viajar para fazer boas compras, deve incluir Serra Negra em seu roteiro. Famosa pela produção de malhas, a cidade do interior de São Paulo, abriga feiras de artesanato e inúmeras lojas de roupas.

4. Cidades históricas (MG)

Consideradas patrimônio da humanidade, as cidades históricas de Minas Gerais (Ouro Preto, São Thomé das Letras, Mariana, Tiradentes, entre outras) são um passeio imperdível. Para os católicos, visitar as diversas igrejas banhadas a ouro e decoradas com obras de grandes artistas, como Aleijadinho, é uma experiência emocionante. Algumas cidades, como Ouro Preto, apresentam terreno bastante íngreme. Por isso, o ideal é contratar os serviços de uma van, para facilitar a locomoção e aproveitar o passeio ao máximo. As ruas de paralelepípedo também podem dificultar a caminhada. A dica é usar calçados confortáveis.

5. Fortaleza (CE)

As águas quentes do mar de Fortaleza e as opções de diversão que uma grande cidade oferece são os principais atrativos da capital do Ceará. O artesanato também marca presença em Fortaleza: bordados, crochês, tecelagens e palhas trançadas são encontrados nas diversas feiras e mercados da cidade.

6. Roteiro dos Vinhos (RS)

No roteiro enoturístico das cidades de Flores da Cunha e Nova Pádua, o visitante conhece a estrutura interna das vinícolas, os vinhedos e degusta vinhos elaborados no local. Cursos de viticultura e degustação de vinhos também são oferecidos aos turistas. As vinícolas do roteiro participam da Associação de Produtores dos Vinhos dos Altos Montes (APROMONTES), que organiza os passeios.

7. Holambra (SP)

Esta colônia de holandeses, apelidada de “Cidade das Flores”, convida o turista a relaxar e curtir a natureza local. Além do atrativo principal (as flores), Holambra oferece passeios em parques, bairros com arquitetura européia e restaurantes de culinária holandesa. Maior produtora de flores e plantas ornamentais do País, a cidade recebe anualmente, em setembro, o maior evento de flores da América Latina, a Expoflora.

8. Natal (RN)

Também bastante procurada pelos turistas da terceira idade, esta cidade do litoral nordestino oferece paisagens de tirar o fôlego e aventuras mais ousadas, como passeios de dromedário ou de bugue pelas dunas. Considerada uma das costas mais bonitas do Nordeste, Natal vale a pena pelas praias paradisíacas e pela infraestrutura que oferece.

9. Portugal

Muitas pessoas deixam de viajar para o exterior por insegurança com a língua estrangeira. Por não apresentar esta barreira, Portugal é uma boa porta de entrada para a Europa, além de oferecer ótimas opções de turismo. A História bem preservada do país é um convite aos brasileiros a descobrir suas raízes.

10. Socorro (SP)

Muitas pessoas deixam de viajar para o exterior por insegurança com a língua estrangeira. Por não apresentar esta barreira, Portugal é uma boa porta de entrada para a Europa, além de oferecer ótimas opções de turismo. A História bem preservada do país é um convite aos brasileiros a descobrir suas raízes.

Fonte: iG

19 fev

Carnaval na Nossa Casa

E o Carnaval 2018 não poderia passar batido por aqui.

Então resolvemos armar a maior bagunça logo na entrada da Nossa Casa, para contagiar a quem passasse pela rua.

E foi sucesso, viu?

Nossas meninas arrasaram nos instrumentos musicais, o professor de dança mandou muito bem no som e todo mundo caiu no “ziriguidum” com direito a marchinha personalizada da Nossa Casa e a presença da “Clo Beleza”.

Que máximo!

Música é tudo de bom. Faz bem a alma, espanta a solidão e enche nossa vida de alegria.

E no quesito alegria, a Nossa Casa é nota 10.

Parabéns meninas e equipe da Nossa Casa. 

Esperamos mais samba em 2019.

Como dizia Dorival Caymmi: quem não gosta de samba, bom sujeito não é.

Envelhecimento precoce

Algumas pessoas, ainda jovens, aparentam bem mais idade do que realmente tem. Em muitos casos, o envelhecimento precoce ocorre por pequenas atitudes que temos todos os dias, e que já se tornaram um hábito. Contudo, pequenas mudanças podem ser significativas e trazer um novo aspecto para a pessoa que deseja cuidar do corpo e da mente!

Pensando nisto, disponibilizamos para você algumas dicas para retardar o envelhecimento. As mudanças na rotina podem, inclusive, diferenciar o nosso comportamento e nos rejuvenescer.

1. Diminua a quantidade de sal

A alimentação é muito importante para o processo do envelhecimento precoce. Da mesma forma, pequenas mudanças alimentares podem contribuir para retardar o envelhecimento. Verificar a quantidade de sal na alimentação é um dos primeiros passos, já que quando consumido em excesso pode acarretar o aumento de pressão arterial, retenção de líquidos e inchaço.

2. Faça hidratações no rosto

Fazer uso de uma boa hidratação facial ajuda na diminuição dos efeitos acarretados pela exposição ao sol, frio ou poluição. Sempre passe o protetor solar antes de sair de casa. Ele pode ser de boa ajuda para o cuidado com o corpo e retardar o envelhecimento. Invista tempo para cuidar da pele!

3. Adquira hábitos saudáveis

Não tem para onde correr. Os nossos hábitos contribuem profundamente para o envelhecimento. Da mesma forma, ter hábitos saudáveis, com a prática de atividades e uma alimentação balanceada contribui diretamente para retardar o envelhecimento. Para retardar o envelhecimento é importante evitar o açúcar e carboidratos, como massas, pães e outros farináceos não integrais. Em contrapartida, investir em alimentos, como frutas, verduras e legumes contribui para o bem estar do corpo.

4. Evite dietas radicais

Evitar dietas radicais é um bom passo para retardar o envelhecimento. Essas dietas costumam ocasionar flacidez na pele, cansaço e estresse. Obviamente que alguma dietas podem sim ajudar para o funcionamento do organismo, mas é bom não exagerar, afinal tudo quando utilizado em excesso faz mal para o nosso corpo.

5. Beba bastante líquidos

Para retardar o envelhecimento é imprescindível a ingestão de bastante líquidos durante o dia, principalmente água, já que ajuda a manter a boa forma e a hidratação da pele. É recomendável beber 2 litros de água. Porém, é importante não beber a água de uma só vez. É preciso beber pouco a pouco ao longo do dia.

6. Mantenha a pele limpa

Limpar a pele é importante para retardar o envelhecimento. Por isso, reserve uma parte durante a manhã e a noite para limpar bem a pele. O ideal é realizar um processo de limpeza, com um sabonete específico para o seu tipo de pele – que pode ser seca, oleosa ou mista. Após isso, utilize um adstringente facial para remover as impurezas. Por fim, utilize um hidratante facial. Alguns cosméticos, inclusive, disponibilizam produtos para ser utilizado durante o período do sono, o que ajuda aquelas pessoas que estão sempre ocupadas e que não tem tanto tempo para se cuidar. Não lave o rosto várias vezes ao dia. Isso pode acabar com os nutrientes do rosto ressecando a pele ainda mais.

7. Sorria bastante

Sorrir ajuda a relaxar os músculos e o sistema nervoso. Além disso, o ato de sorrir ajuda na melhora do bom humor e também contribui para o bom funcionamento do corpo. Sorrir sempre contribui para manter a aparência sempre jovem e feliz. Por isso, sorria!

Fonte: Biosom

12 fev

Sexualidade na terceira idade

No final do século 20, vimos uma revolução no conceito da sexualidade, e essas mudanças repercutiram na vida sexual do idoso. Não se concebe, hoje, a sexualidade ligada apenas à função reprodutiva, mas como fonte de prazer e de realização em todas as idades.

A afirmação é da psicóloga Ana Teresa de Abreu Ramos Cerqueira, professora do departamento de Neurologia, Psicologia e Psiquiatria e da Pós-Graduação em Saúde Coletiva da Unesp. “Há limitações para se viver plenamente a sexualidade na velhice, o que pode haver em todas as idades, mas é preciso tentar superá-las ou minimizá-las”, completa.

Uma pesquisa coordenada por Carmita Abdo, professora da Faculdade de Medicina da USP e coordenadora do ProSex (Programa de Estudos em Sexualidade da USP), que contou mais de 8 mil entrevistados, mostra como homens e mulheres, em diferentes faixas etárias, se dizem sexualmente ativos. Confira o gráfico abaixo:

Sexualidade na terceira idade

“Um dos motivos que levam à redução da atividade sexual entre os idosos é a perda de libido, que pode ocorrer devido à diminuição da produção hormonal masculina e feminina”, conclui o geriatra Salo Buksman, da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia.

TABUS

“A sociedade ainda vê a sexualidade na velhice como um tabu, algo reservado aos mais jovens. Há a exigência de que os homens não podem falhar e as mulheres têm de ter beleza e juventude como fontes únicas de atratividade. Tudo isso causa a diminuição do sexo”, destaca a psicóloga Ana Teresa. O geriatra Buksman concorda que os próprios idosos se discriminam em relação à aparência. “Cultuamos o jovem, o esguio. Há uma depreciação do aspecto físico do idoso”, finaliza.

Segundo ele, a sociedade sempre incutiu na cabeça das pessoas que o sexo na terceira idade seria algo profundamente inadequado, colocando uma barreira psicológica principalmente para a mulher idosa. “Ela pensa que já passou dessa fase, que é uma avó e tem que se dar ao respeito”, enfatiza.

DIREITO AO PRAZER EM TODAS AS IDADES

O sexo na terceira idade pode ser libertador e prazeroso, mas depende de como se encara a velhice e as modificações que ela causa em todos os aspectos da vida. “O idoso pode lidar com conformismo e rejeição ou levar a velhice com criatividade. O avanço não é devolver ao velho o desempenho do jovem, mas conseguir novas formas de satisfação”, sugere Ana Teresa. 

Mas, em qualquer idade, o sexo exige proteção. “É preciso alertar para o aumento no índice de doenças sexualmente transmissíveis em idosos, incluindo o HIV. Os mais velhos raramente usam preservativos, mas também devem evitar o comportamento de risco, usando camisinha para evitar doenças sexualmente transmissíveis”, alerta Buksman.

Fonte: Portal Terceira Idade

Página 10 de 16« Primeira...89101112...Última »