Unidade Vila Mariana (11) 2275-2516/2276-2835

Unidade Moema (11) 2738-1700/2738-1900

Blog

10 jul

E a passagem do Brasil na Copa foi marcada por muita torcida e animação das meninas e equipe da Nossa Casa!

Nossas hóspedes se enfeitaram, torceram e de quebra ainda soltaram a voz com a música tema da Copa de 70. Afinal, recordar é viver! Foi muito divertido.

Hóspedes da Nossa Casa assistindo aos jogos da Copa do Mundo 2018

Com certeza, essa energia positiva fez toda a diferença para a nossa seleção, para o Brasil e para o mundo.

A Copa é um momento onde o mundo vibra na mesma sintonia, todos torcem, se abraçam, comemoram e até choram juntos. É um momento de união, de calor humano. Uma ótima reflexão sobre a boa convivência, o respeito ao próximo, e o amor pela nação.

Até a próxima, Brasil. Não foi dessa vez! Mas valeu cada minuto da bagunça gostosa que foi a torcida aqui da Nossa Casa.

Dicas importantes para lidar com o idoso teimoso:

Ele se sente mais experiente do que você!
Dê a voz para ele. Não custa nada você ceder sua opinião e permiti-lo “falar mais alto”. Entenda que ele está se autoafirmando. Mas coloque sua opinião de forma clara, tom de voz suave e respeitosa.
Ex: “Não concordo com o senhor mas, por respeito, permito e aceito”.

Ele sente que precisa defender a vontade própria
Envelhecer já não é fácil! Envelhecer e perder a autonomia e independência, pior ainda! Faça-o sentir-se íntegro ao permitir que sua vontade ganhe, nem que seja por um tempo curto.
Ex: concorde com a cabeça e saia de perto por algum instante.

Ele tem medo de perder sua “autoridade”
A autoridade é aquilo que nos fez ser visto por alguém, de forma positiva e importante. Perdê-la muitas vezes pode significar “ser negligenciado”. E isso para um idoso que sabe já ter muitas limitações é muito desesperançoso.
Ex: coloque-se no lugar dele e experimente a dor da exclusão. De repente a competição entre você e o idoso poderá acabar.

Lidando com o idoso teimoso

Ele quer te irritar por algum motivo sentimental
Algo o contrariou mas ele não sabe explicar. Então, mesmo o que não é falado acaba sendo comunicado de alguma forma. Pode ser que ele se faça valer através de um momento oportuno para ser do contra ou descontar no mundo essa “coisa sem nome”.
Ex: pergunte afetuosamente se algo o aborrece, demonstre confiança em seu tom de voz e jeito de aproximação corporal: “quer conversar um pouco?”

Ele está desenvolvendo um quadro demencial
Observe sinais como desorganização dos pensamentos, repete de forma significativa as frases ou apresenta lapsos com relação a fatos imediatos ou recentes no mesmo dia, se há alguma coisa bem diferente em seus hábitos ou comportamento.
Ex: “nunca gostou de determinada fruta e agora come com frequência, nunca falou palavrão e agora deu pra isso”.

A medicação que utiliza causa efeitos colaterais indesejados
Dificuldades para dormir dias seguidos, dificuldade para se alimentar ou compulsão de uma hora pra outra, agitação motora ou sonolência incomum podem indicar que algo vai mal com a medicação.
Ex: reporte ao geriatra essas observações. Medicamentos para idosos são desafiadores para ajustes. Mas junto ao geriatra, podemos conseguir o melhor. Se houver uma equipe multiprofissional… excelente! Aproveite.

Ele não consegue expressar seus desejos/vontades próprias
Imagine você sendo controlado, guiado e determinado o tempo todo pelas escolhas e decisões de uma outra pessoa. Onde estará você? Os seus gostos, a sua história, o seu “jeitinho de ser”?
Ex: encontre momentos tranquilos para um bom papo, esmo se o idoso não consiga “ir longe na conversa”, capriche na sua interação de forma bem calorosa e criativa. Facilite a abertura da válvula das expressões!

Ele quer chamar ou ter sua atenção
Quem repara com grande interesse em alguém idoso e com limitação? Creio que poucos.
Agora, como nos sentimos quando não somos notados? E se as pessoas de quem mais gostamos fizessem isso com a gente? Sensação horrível!
Ex: chame-o pelo nome, de forma respeitosa e clara, sempre! Se for o caso, utilize o pronome “senhor” “senhora” para tal. Demonstre que ele /ela são importantes pra você, pra família… enfim.

Ele quer ser notado no ambiente
Quem de nós não gosta de meio social? Pois então… e esse sentimento não exige palavra ou pensamento organizado. Pois até uma planta quer ser notada no ambiente senão ela morre de sede.
Ser notado no ambiente também nos assegura ajuda mútua. Ficamos mais tranquilos assim, quando sentimos que temos com quem contar!
Ex: Trocar olhares constantes entremeados com sorrisos, perguntas triviais acerca do momento presente pode oferecer confiança na pessoa idosa.

Ele está irritado, contrariado com algo e você não sabe o quê
Quando algo nos irrita a ponto de alterarmos o comportamento, ficamos por um instante perplexos com a situação, com a gente… Temos vontade de desaparecer.
Ex: deixe-o sozinho para que possa “se resolver”, contemplar a situação.

Ele quer uma coisa e você não consegue compreender o que é
Conversar para clarear!
Ex: “sinto que você está diferente. Aconteceu algo que eu possa te ajudar?” e por aí vai…

Ele está com dificuldades auditivas
Muitos idosos desenvolvem gradativa perda de audição mas não admitem (muitas vezes por vergonha e medo de dependência).
Ex: observe se as respostas que ele te dá são coerentes com as perguntas feitas, se o comportamento dele parece estar além e peça uma avaliação ao geriatra para juntos verificarem melhor decisão.

Ele está cansado e não consegue dormir
Você já tentou fazer alguma coisa com muito sono? E que não havia nenhuma cama por perto? Como ficamos? Irritados pois a mente está pedindo socorro! Ela precisa se esvaziar.
Ex: o tempo do idoso costuma ser diferente do tempo das pessoas mais novas. Mas independente disso se a ente está cansada, é melhor não insistir com nada.

Ele está em confusão mental
Confusão mental é algo tão atordoador que a pessoa fica vulnerável a ela mesma, com insegurança e medo do que pode acontecer devido descontrole.
Ex: reduza os estímulos do ambiente e permaneça em lugar seguro até ele se acalmar um pouco mais, retornando a oferta de cuidados aos poucos.

Enfim… podemos perceber que existem várias estratégias que advém da nossa adaptação às situações de teimosia.

E se você continuar assim, navegando nas águas do cuidar, de forma sensata e tranquila verá que o cuidar ficará mais leve!

Fonte: A Terceira Idade

Junto com as temperaturas mais frias do inverno chegam alguns problemas de saúde, normalmente relacionados a alergias e doenças respiratórias, como resfriado, gripe, bronquite, pneumonia, asma e rinite.

Inverno: fuja das doenças da estação

Asma e a rinite são as mais comuns. Elas ocorrem porque o aumento do ar seco mantém mais partículas de poluição no ar. Algumas ações podem ser feitas para minimizar os problemas. Uma delas é mudar a maneira como a limpeza de casa ou local de trabalho é feita. Não use vassoura ou aspirador de pó. O indicado por especialistas é a utilização de panos úmidos, evitando quando possível o uso de produtos químicos.

Manter o ambiente ventilado também é uma dica. Outro cuidado para evitar a contaminação de doenças virais, como gripes e resfriados, é evitar ambientes fechados com grande aglomeração de pessoas, a exemplo de cinemas e shopping.

O frio chega e é a hora de tirar casacos e blusas de lã do armário, mas isso também pode ajudar o desenvolvimento de doenças. É importante que antes de utilizar as peças, elas sejam lavadas. No caso de quem já tem alergias é importante evitar roupas de crochê ou tricô e dar preferência por peças de algodão. E os edredons são mais recomendados que os cobertores de lã.

Confira mais dicas para fugir dos problemas de saúde que aparecem no inverno:

• Fique atenta às variações de temperatura do inverno. Em casa, no trabalho e em outros locais fechados, é comum sentir calor. Porém, ao sair destes ambientes, a brusca queda de temperatura pode facilitar a ocorrência de doenças. Agasalhe-se antes de sair;
• Mantenha a higiene doméstica, evitando o acúmulo de poeira, que desencadeia diversos problemas alérgicos;
• Use soro fisiológico para olhos e narinas, em caso de irritação;
• Evite exposição prolongada a ambientes com ar condicionado quente ou frio;
• Durma em local arejado e umedecido. Podem ser utilizados umidificadores de ar, toalhas molhadas ou reservatórios com água nos quartos;
• As pessoas com alergia devem ficar atentas e evitar o uso de cobertores que soltam pelos. Substituí-los por mantas de tecido sintético ou algodão pode auxiliar na prevenção de rinites e outros quadros alérgicos;
• As alergias também podem ser reduzidas lavando e secando ao sol antes de usar, mantas, cobertores e blusas de lã, que normalmente ficam guardadas por muito tempo em armários. Pacientes com antecedentes como bronquite e rinite costumam ter crises nesta época. É importante procurar um médico e seguir suas recomendações.

Fonte: MaisEquilíbrio

Nos dias quentes, sempre nos preocupamos em tomar bastante água e outros líquidos saudáveis para nos mantermos bem hidratados. Porém, esquecemos que no inverno devemos ter a mesma preocupação com a quantidade de água em nosso corpo. Sentimos menos sede em dias frios, e isso pode aumentar os riscos de desidratação – mesmo suando menos – em comparação com o verão. A constatação é de Robert Kenefick, fisiologista do Instituto de Medicina Ambiental das Forças Armadas dos EUA, que em um estudo comprova que a desidratação no inverno pode ser mais grave.

Desidratação no inverno

Segundo ele, em dias frios o hormônio que causa a sensação de sede, o ADH ou antidiurético, reage de forma diferente, causando menos sede e fazendo-nos beber menos água. “Sente-se menos sede quando se está exposto ao frio, algo como 4°C, que quando se está exposto à temperaturas de cerca de 22°C. E mais, mesmo quando as pessoas já perderam 4% do seu peso em água, elas não sentem tanta sede assim. Em uma situação normal, isso as faria sentir muita sede”, alega o pesquisador.

O corpo no frio age como se estivesse dentro de uma piscina: o organismo concentra a circulação sanguínea nos vasos centrais, o que faz parecer que o corpo está cheio de água e bem hidratado. Na piscina, isso é causado pela pressão da água, que empurra a concentração para os vasos centrais. Já em dias frios, o corpo reage dessa forma ao contrair os vasos para baixar a temperatura da pele e preservar o calor do corpo. Assim, a ação do ADH é afetada, não avisando ao corpo que ele precisa sim de mais água.

Há outro fator dos dias frios que afetam a ingestão normal de água: o consumo de alimentos e bebidas quentes. Pois é, o que usamos para esquentar o corpo influi na sua hidratação. O nosso organismo ingere voluntariamente líquidos que estão a uma temperatura de 4°C a 10°C. Quando o líquido é quente, o corpo consome menos, justamente por causa do seu calor – sempre bebemos devagar chás e outras bebidas quentes para não queimar a língua, lembram? Alguns ingredientes dessas bebidas quentes, como a canela, ainda auxiliam na desidratação.

Mesmo assim, para aqueles que praticam atividades físicas nos dias frios a ingestão de água não precisa ser necessariamente maior. De qualquer maneira, o corpo sua menos e perde menos líquido durante o inverno, e uma leve desidratação pode ser mais tolerada do que nos dias de calor. Mas é preciso dar atenção igual para a hidratação tanto no inverno quanto no verão, e a ingestão de água pode chegar a até 8 litros diários para quem exige muito de seu condicionamento físico.

Você sabe quais são os sintomas da desidratação?
A sede, na verdade, já é um alerta do corpo que indica desidratação, segundo a nutricionista Lenycia Neri, do Hospital das Clínicas. Mas como nos dias frios nossa sensação de sede está afetada, há ainda outros sintomas que indicam se temos a quantidade ideal de água no corpo ou não. Quando desidratados, sentimos dor de cabeça, boca seca, sonolência, e ainda mostramos irritabilidade, problemas na pele, intestino preguiçoso, febre e ausência de suor em casos mais graves.

Além disso, observar a cor da urina também ajuda a diagnosticar a desidratação: quanto mais transparente ela for, mais hidratado você está, alega a nutricionista.

Fonte: Itati

É muito comum ouvirmos queixas de familiares que cuidam de idosos de que “eles são muito teimosos”, “meu pai é muito teimoso”, “minha mãe é muito teimosa”, “que idoso teimoso!” e por aí vai. Porém acredito que a teimosia só acontece numa relação onde há disputa de poder.

Como lidar com o idoso teimoso

Teimar significa ir contra. E se é isto que o idoso faz na hora de tomar um banho ou ficar de frente para algo que você oferece e que ela não deseja… pode ser que o teimoso seja você.

Já parou para pensar?

Pensando na personalidade de um indivíduo idoso
As pessoas acima dos 40 tendem a pensar sobre como será os 60 com uma certa expectativa e certo medo do “que será que vem pela frente”.

As pessoas acima dos 60 querem fazer de tudo para aproveitar a vida, pois acham que a morte está perto.

A pessoa acima dos 80 anos tem certeza que a morte está perto e daí… podem tender a defender a vida com unhas e dentes, caso ainda não tenham aceitado o limite do tempo.

Então observo e imagino que uma pessoa idosa por experiência e tempo de vida representará uma imagem maior em relação a qualquer outro ser mais novo. Onde quero chegar? Naquela famosa frase que muitos falam: ” você me respeita que tenho idade pra ser sua avó”.

E isso… é memória profunda, que uma demência custa para “pegar”!

Como lidar com a teimosia do idoso
Aceite que, mesmo dependente, ele é mais experiente e mais velho do que você!

Reavalie junto ao geriatra a medicação (tipo, doses, frequência…).

No momento da teimosia, interrompa a oferta de cuidados, observe/analise qual fator existente que possa estar provocando esta resistência (vide lista acima).

Sempre que possível, esclareça para o idoso a importância do que você está oferecendo, a fim de garantir-lhe mais bem estar.

Valorize os pequenos sucessos demonstrados pelo idoso, devolvendo assim, uma energia saudável pela sua autoestima e uma relação mais harmoniosa.

Cuidados na hora da “teimosia”
• Evite falar demais para que nem um dos dois (você e o idoso) fiquem com dor de cabeça, o que pode ser muito ruim (além de facilitar os riscos para AVC, ataque cardíaco ou falta de ar).

• Ceda primeiro e deixe o idoso refletindo ou se acalmando por um tempo. Evite remorsos ou chateações por pouco.

• Evite oferecer algo para comer ou beber caso o idoso esteja com raiva (pois ele pode engasgar).

• Evite ter objetos em mãos (tanto nas suas quanto nas do idoso) enquanto os “esbarrões” acontecem entre vocês.

• Não fale que ele está errado ou que ele é teimoso, evite se desgastar pois a personalidade envelhecida tende a se tornar rígida, ainda mais caso não tenha existido preparo prévio para “se envelhecer” (as gerações mais antigas nem pensavam nisso).

• Evite discutir com um idoso com dificuldade de equilíbrio, se ele estiver de pé. Uma queda é fácil de acontecer devido o limiar de atenção que baixa em momentos de tensão.

 

Fonte: A Terceira Idade

Não importa o estilo, o fato é que não há quem não goste de ouvir uma música em casa, no carro, durante uma caminhada ou realizando tarefas simples do dia a dia. O que poucos sabem é que a música, além de promover relaxamento e fazer bem para a alma, atua no tratamento de determinadas doenças e ajuda a manter o cérebro mais ativo.

Mulher idosa sentada em um banco ouvindo música com fones de ouvido brancos

Conhecida como musicoterapia, trata-se de uma especialização científica que a melodia, ritmo e outros elementos musicais para fins terapêuticos a fim de estimular reações no corpo para recuperar o paciente de determinada enfermidade.

Aliás, os benefícios da música para a saúde já foram comprovados em diversos estudos como os pela American Music Therapy Association-AMTA, dos Estados Unidos, e pela World Federation of Music Therapy-WFMT, localizada em Gênova, na Itália. De acordo com os pesquisadores, dependendo do ritmo a respiração fica mais branda ou mais ofegante, podendo influenciar ainda no batimento cardíaco por causa da pressão sanguínea que fica mais forte ou menos intensa. Prevenindo, dessa forma, doenças cardíacas.

Todavia, ao aumentar a pressão sanguínea atua na melhora do sistema imunológico, no sistema endócrino, nos órgãos dos sentidos e na coordenação motora, ajudando ainda na prevenção e no tratamento de diferentes doenças físicas e mentais e, inclusive, no tratamento do estresse. É por estes e outros motivos que a musicoterapia já é utilizada em diversas clínicas, hospitais e até mesmo centros de reabilitação para integração física, psicológica e emocional como as APAEs.

No cérebro, a música age estimulando regiões ligadas a concentração, processamento de informações e produção de sentido. Isso porque, os estímulos sonoros agem nas áreas temporais do cérebro e que são incumbidas pela decodificação do comportamento musical.

Veja os principais benefícios da musicoterapia:
– Ajuda no relacionamento entre pessoas;
– Atua no desenvolvimento da inteligência espacial, melhorando as habilidades matemáticas;
– Aumenta a concentração e raciocínio lógico;
– Dependendo do ritmo eleva ou diminui a energia muscular;
– Ajuda no tratamento de problemas respiratórios;
– Reduz a fadiga no dia a dia;
– Aumenta as atividades psicomotoras;
– Ajuda no tratamento de hipertensos;
– Previne doenças cardiovasculares.

Notou a quantidade de benefícios? Então o que você está esperando para colocar sua canção preferida para tocar?

Fonte: A Terceira Idade

Café, chocolate e outros alimentos quase passam por vilões quando o assunto é garantir ossos fortes e saudáveis: diminuem a capacidade do organismo de absorver cálcio. A solução, entretanto, não é bani-los da dieta, já que muitos deles – como os grãos integrais – possuem outros nutrientes essenciais à saúde. Segundo a nutricionista Juliana Stein, é preciso saber balancear bem: “Para quem já tem doenças nos ossos, como osteoporose, pedimos para não misturar os alimentos fontes de cálcio com os que atrapalham a sua absorção”. A clássica combinação de café com leite, por exemplo, deve ser evitada. Conheça esses alimentos e saiba como consumi-los com segurança para os ossos.

Alimentos que dificultam a absorção de cálcio pelo corpo

Sal
Encontrado no sal, o sódio aumenta a excreção de cálcio pela urina. A nutricionista Juliana Stein, de São Paulo, recomenda que pessoas com osteopenia ou osteoporose eliminem o chamado sal de adição, aquele que acrescentamos à salada e a outros alimentos. Dica: use como tempero limão, azeite e especiarias.

Café
Misturar essa bebida com leite pode não ser tão indicado, dependendo das proporções de café e leite em sua xícara. “A cafeína, presente no café, tem efeito diurético, o que faz com que o cálcio seja eliminado pela urina”, justifica Juliana Stein. Mas a nutricionista lembra que, para chegar a prejudicar a absorção, a quantidade de café ingerida ao dia deve ser superior a 300mg, o que equivale a três xícaras médias da bebida, aproximadamente.

Refrigerante
Essa bebida é rica em fósforo, que inibe a absorção de cálcio pelo corpo. “O fósforo aumenta a liberação do paratormônio, hormônio que controla a quantidade de cálcio que temos nas células e nos ossos. Se ele está elevado, acaba mobilizando mais cálcio do osso pra corrente sanguínea, descalcificando os ossos”, explica Sandra da Silva Maria, nutricionista da Gastro Obeso Center, em São Paulo. Atenção especial aos refrigerantes de cola: além do fósforo, eles contam com cafeína, a mesma substância do café que aumenta a eliminação de cálcio pela urina.

Alimentos com ácido oxálico e fitatos
O ácido oxálico – encontrado em gérmen de trigo, nozes, feijão, espinafre, tomate e acelga -aumenta a eliminação de cálcio pelas fezes. O fitato age da mesma forma. Um exemplo de alimento com essas duas substâncias são os cereais integrais. No entanto, isso não significa que eles devem deixar de ser ingeridos, já que são ricos em fibras necessárias para o bom funcionamento do intestino. “Em casos de pessoas que já tenham doenças nos ossos, uma boa alternativa é ter uma alimentação com bastante frutas, vegetais e legumes, o que garantirá o pH ácido ao estômago – condição necessária para a boa absorção do cálcio”, diz Sandra, que justifica: “Quanto maior a ingestão desses alimentos, maiores as chances de você consumir zinco, mineral que equilibra o pH do estômago”.

Chocolate
Além de ter cafeína, o chocolate conta com o ácido oxálico que, como dito anteriormente, aumenta a eliminação de cálcio pelas fezes. “A quantidade de cafeína é a mesma, independente da quantidade de cacau”, garante Sandra. Ela também alerta que o chocolate ou achocolatado em pó adicionado ao leite tem o mesmo efeito. Para comer essa delícia com menos culpa, a nutricionista aconselha o consumo de chocolates com maior teor de cacau, pois, apesar de prejudicar a absorção de cálcio, há, ao menos, maior ação antioxidante – o que não acontece com chocolates com menos cacau em sua composição.

Gorduras
Existe um tipo específico de gordura que faz com que o cálcio seja liberado pelas fezes, em vez de ir para os ossos: os ácidos graxos saturados de cadeia longa, encontrados em manteiga e carnes gordurosas. A nutricionista Juliana Stein explica que, ao chegar ao intestino, esse tipo de gordura forma uma substância chamada oxalato, que se liga às moléculas de cálcio, formando um complexo insolúvel. “Esse complexo acaba sendo excretado nas fezes”, conta.

Excesso de ferro
Embora aconteça raramente, é possível que o ferro em excesso faça com que o cálcio não seja absorvido. Isso acontece por causa de uma disputa entre esses dois minerais, como explica a nutricionista Juliana Stein. “Eles são absorvidos pela mesma ‘porta’ – chamada de glute, que encaminha as substâncias à corrente sanguínea – e competem entre si para serem absorvidos”, diz. O cálcio costuma ganhar o páreo, mas perde quando o ferro está em uma quantidade muito maior. No entanto, lembram as nutricionistas Juliana e Sandra, isso é raro de acontecer, já que geralmente as dietas são mais ricas em cálcio do que em ferro.

Excesso de proteínas
“O organismo gasta muito cálcio para processar a proteína”, diz a nutricionista Danielle Moreira, do Rio de Janeiro. Por isso, abusar nas fontes de proteínas pode aumentar a eliminação de cálcio pela urina, dificultando a sua absorção. Mas como saber se você está passando dos limites na ingestão de proteínas? A nutricionista Juliana Stein explica que uma pessoa que não seja atleta precisa de 0,8 a 1g de proteínas diárias por quilo de seu peso. “Quem passa dessa 1g já tem a chamada dieta hiperproteica”, afirma.

Fonte: Minha Vida

Reflexão e mudança de atitude sobre a demência tipo alzheimer

Apesar de todos esses anos de pesquisa, a Demência de Alzheimer ainda carrega muitos mistérios a cerca do funcionamento da mente humana, que lentamente a ciência vai tratando de compreender e explicar.

Posso falar qualquer coisa na frente da pessoa com Demência de Alzheimer?

Lembro-me, por exemplo, que durante os tempos de faculdade, há uns vinte anos atrás, fomos ensinados que o neurônio era uma célula estática, ou seja, nascíamos com um certo neurônios com suas respectivas conexões com outros neurônios, e com o tempo, o processo de perda era inexorável e progressivo.

 

Neuroplasticidade

Hoje já existe o conceito da neuroplasticidade, que é a ideia de que o neurônio não é uma célula imutável, mas que pode aumentar seu comprimento e suas conexões, mesmo na velhice.

Esse conceito é base do entendimento de que algumas práticas preventivas. Por exemplo: como o controle da pressão arterial, e de promoção de saúde, como o exercício físico e mental, podem evitar danos e gerar uma “reserva” de neurônios, importante na proteção contra as demências, como Alzheimer.

 

Mistérios da mente humana
Mas voltando aos mistérios da mente humana, no contato com os cuidadores de pessoas que têm alguma demência, são muito frequentes os questionamentos a cerca das sensações, pensamentos e emoções destes pacientes.

Ouvi muito os familiares perguntando: “Doutor, a cabeça dela está tão ruim, será que está sentindo dor?”.

Nas demências, o olhar distante, a perda progressiva da memória e da capacidade de reconhecer coisas, pessoas e até a própria face nas fases mais avançadas, levam os indivíduos que estão próximos a pensar que seus entes queridos também não têm condições de reagir ou expressar suas emoções, sejam elas boas ou ruins.

A verdade é que idosos demenciados sentem sim dor e podem apresentar memória emocional. A questão é que esta expressão pode ser diferente da que ocorre em pessoas não demenciadas.

Quanto à dor física, o paciente pode não ter condições de dizer o que está sentindo e nem onde dói, mas ela é expressa, por exemplo, através de uma agitação ou de uma insônia.

E a memória emocional? Mesmo não se lembrando de fatos, a repercussão emocional de algum episódio pode ocorrer e permanecer durante um bom tempo, principalmente nas fases iniciais da doença.

Relato de Pesquisa
Pesquisadores da Universidade de Iowa apresentaram cenas de filmes tristes e alegres a 17 pessoas saudáveis e com Alzheimer.

Após cinco minutos do fim do filme, as pessoas com Demência de Alzheimer retiveram muito poucas informações sobre aquilo que assistiram, porém foram capazes de ter um sentimento de alegria ou tristeza por um período de 30 minutos.

Ou seja, as emoções podem permanecer muito vivas, mesmo com a perda da memória recente. A explicação dessa dissociação entre memória e emoção pode estar na anatomia.

Aqueles indivíduos que mantém suas emoções mais vivas parecem ter suas amígdalas menos comprometidas.

As amígdalas não são aquelas da garganta, mas estruturas esféricas muito pequenas no lobo temporal do cérebro, onde são processadas todas as reações emocionais.

Elas estão bem próximas ao hipocampo, a estrutura responsável pela formação das novas memórias.

Isso é muito importante para os familiares e para os que cuidam de alguém com Demência de Alzheimer e outras demências.

 

Conhecimentos importantes
Cientes de que as pessoas com essas doenças estão muito propensas a esse “contágio emocional”, cuidadores e familiares devem procurar transmitir emoções positivas, não projetar suas angústias sobre seus entes queridos e ter muita atenção com o que falam e como falam com a pessoa cuidada.

Um tom de voz mais alto do cuidador pode gerar estresse e até mesmo uma reação agressiva no paciente.

Por outro lado, uma ligação telefônica de um familiar ou um passeio no fim da tarde pode deixar a pessoa com Demência de Alzheimer mais feliz.

Enfim, os detalhes podem fazer toda a diferença, é a sabedoria de conduzir cada momento com amor e empatia que tornam os dias mais leves.

 

Fonte: A Terceira Idade

18 jun

Um robô na Nossa Casa

por nossacasa

O mundo está cada vez mais tecnológico.

Nós vemos robôs nas indústrias, alguns carros com comportamento de robôs, então, por que não ter um em uma Casa de Repouso? Já imaginou?

Neste mês, tivemos uma atração aqui na Nossa Casa com a presença de um robô pra lá de diferente.

Sua programação era baseada na alegria e na música, e no final, as nossas hóspedes e familiares caíram na bagunça. Afinal, de médico, maluco e robô, todos temos um pouco. Rs.

Veja algumas imagens e um vídeo abaixo: 

Um robô na Nossa Casa

 

Neste dia também contamos com a performance da divertidíssima Bela Wilde (idealizada pelo ator e músico Vítor Vívolo), que fez todo mundo cantar e relembrar os tempos de bailinhos e discotecas. Procure por ela no Instagram e no Facebook.

 

Bela Wilde na Nossa Casa

 

Que delícia de tarde!

Até a próxima.

Muita gente prefere convidar os amigos para assisitir aos jogos da Copa do Mundo em casa, em vez de ir a um barzinho. A ideia é ótima, já que é garantia de que os convidados não enfrentarão as enormes filas de espera por uma mesa nos bares que transmitem os jogos. Porém, para que a festa dê realmente certo, é necessário organização!

Como organizar uma festa de copa do mundo

Confira oito dicas do Guia da Semana para que sua confraternização com os amigos seja um sucesso:

 

1. Elabore uma lista de convidados realista
Se você mora num apartamento de 30m² e convidar 30 pessoas, a festa será desconfortável para todos. É melhor ser mais seletivo antes de fazer o convite, chamando apenas a quantidade de pessoas que o ambiente comporta.

 

2. Eleja o que os convidados devem trazer
Se você pode e quer bancar uma festa sozinho, não há nada de errado nisso. Sorte dos seus amigos, que vão aproveitar uma “boca livre”! Mas se o seu orçamento é mais modesto, peça para os convidados trazerem alguma coisa pré-determinada. Nesse caso, as bebidas são a opção mais prática, já que é possível comprá-las em muitos lugares e os convidados não terão trabalho. Se for essa sua opção, vale comprar algumas cervejas além das que os seus amigos trarão – e elas devem ser colocadas na geladeira ou freezer antes do horário que as pessoas chegarão. Assim, todos terão bebidas geladas desde o começo da festa!

 

3. Lembre-se dos convidados que não tomam bebida alcóolica
É de bom tom disponibilizar bebidas não-alcóolicas em qualquer festa. Opções práticas são água (com e sem gás), refrigerantes (comum e sem açúcar), chá gelado (com e sem açúcar) e sucos de caixinha.

 

4. Escolha o que vai servirNuts, pipoca, salgadinhos e frutas frescas são opções práticas e rápidas de petiscos. Torradas, pão sueco e grissini com patês também agradam. Você também pode encomendar salgados e doces. Para uma refeição mais “substanciosa”, prepare sanduíches de metro: basta encomendar os pães com antecedência a alguma padaria próxima à sua casa e recheá-los da forma que a sua criatividade permitir: queijos, frios, atum, milho, maionese, alface, rúcula, tomate… Use sua imaginação!

 

5. Pizza é sempre uma boa opção
Se você não sabe cozinhar e não quer ter trabalho de encomendar comida, que tal combinar com os amigos e pedir pizzas antes e depois do jogo? Assim, você economiza (já que a conta será repartida) e todos ficam de barriga cheia.

 

6. Prepare uma decoração temática
Bandeirinhas, cartazes, toalhas de mesa, guardanapos, copos, talheres e pratos nas cores da bandeira brasileira são itens que podem deixar sua festa mais divertida e alegre!

 

7. Peça para os convidados usarem roupas com as cores do Brasil
As roupas coloridas dos seus amigos também farão diferença na alegria do ambiente. Se vocês não têm camisa da seleção, não tem problema: usem peças lisas nas cores da bandeira e o visual canarinho já estará garantido! Para as mulheres, também é possível usar bijuterias, maquiagem e unhas nas cores verde, amarelo, azul e branco. Perucas coloridas são outra escolha divertida!

 

8. Façam barulho
Buzinas, chocalhos, caxirolas, vuvuzelas… Não importa o nome, fazer muito barulho para comemorar os gols do Brasil é fundamental! Disponibilize alguns desses instrumentos e peça para os seus amigos trazerem outros. Assim, a bagunça será sonora!

 

Fonte: Guia da Semana

Página 10 de 20« Primeira...89101112...20...Última »